person_outline



search

[Desabafo] SUFOCO

Confesso que fui complacente ao perceber que havias deixado a ruptura. Passou por ela.

Eu, por vez, ainda piso em terreno calco. Na areia movediça.

Vi o meu mais insano e desmedido amor, amando outra pessoa. O prazer e o desprezo numa mesma cena. O sufoco e um alívio.

De imediato, a primeira coisa que me veio à mente foi “universo, que ela seja o amor que o satisfaça”, logo em seguida “destino, que o amor dele não a machuque como fez comigo”.

Aquilo me destruiu. Me dilacerou. Dois sentimentos em pólos extremos me consumiram quando o destino me contou. De uma forma invasiva, fiquei devastada. O meu doentio amor estava com outro alguém. Felizmente eu estava dentre as páginas viradas e envelhecidas.

Isso me destruiu por trazer a tona um pensamento que eu mesma já havia esquecido. Saber que eu poderia e queria ter sido o amor que o satisfez, sobretudo, que ter sido alvo de seu amor não tivesse me desfeito.

Não bastasse, chorei. Chorei porque tudo o que eu mais desejava era virar a página e queimar o livro, enquanto o máximo que eu conseguia fazer era incessantemente reler o parágrafo final.

Você me condenou ao inferno e estou vivendo nele, ainda não me libertei de você e é um enorme tormento.

Janaina Couto ©
[Publicado — 2020]

@janacoutoj

Pin It
Atualizado em: Sáb 1 Ago 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222