person_outline



search

EDUKOF CONTRA O DITADOR DO UNIVERSO PARALELO capitulo 6 o despertar

Anoite foi chegando quando tata e Danilo cessem da sala de armas ,Danilo parece exatos tata vai até a bancada e pega uma maca e Danilo vai procura alguma coisa na geladeira ,tata se apoia seu cotovelo e observa Afreim na sala sentado atento no celular lendo os relatório e edu no computador observando os códigos com as pontas dos dedos alisando seu queixo ,Danilo se aproxima  de tata e diz com a boca cheia de bolo que tinha pego na geladeira
-ai que fome
Tata se vira para ele e diz
-que tal agente fazer uma bela macarronada com um belo bife
Danilo
-e um purê cairia bem você não acha
Tata
-claro que sim, que tal chamamos os meninos para ajudar
Danilo dá uma risadinha de irônico e diz
-eles vão acabar à trabalhando, deixa que eu faço o fure e o bife
Tata
-ta eu fico com o macarrão e que tal uma salada
Danilo e tata começa a fazer o jantar e os meninos continua a se concentra em seus relatórios ,Danilo tinha terminado a carne e só faltava a batata tata tinha feito seu macarrão e estava cortando o tomate para a salada no balcão quando Danilo se escora no balcão ao lado dela e diz
-só falta a batata que tão chamamos os meninos para arrumar a mesa
Tata
-ta bem pro hoje está bom eles devem estar exatos
Danilo
-conserta a nunca vi eles tão concentrados  como hoje
Danilo dá um grito deles e diz
-meninos vem jantar quer dizer vem colocar a mesa eu e tata fizemos um belo jantar vocês devem estar com fome
Afreim core para a cadeira que fica de frente ao balcão e edu se aproxima e com uma cara de cansado, tata coloca o tomate numa tigela com alface e tempera ,Danilo pega a batata e leva para pia para descascar a batata para fazer purê ele dá um grito lá da pia e diz
-Afreim vem me ajudar a descascar essas batata
Afreim faz uma cara de cansado e desse da cadeira e vai ser arrastado para ajuda Danilo, tata pega uns pratos embaixo da bancada e começa a colocar os pratos na bancada, edu a observa atentamente como que se quisesse dizer algo mais não sabe como. tata sem olhar para ele sente que ele está olhando para ela freneticamente e diz com uma voz suave e calma
-o que você quer me pergunta edu??
Edu fica sem jeito e supresso e diz
-eu ... eu nada por que você acha isso ??
Tata
-porque deis que você sento ai você não para de me olhar e sua feição parece que você está desesperado em pergunta algo. Agora vamos diz logo
Edu engole seco e demora a pergunta como se estivesse escolhendo as palavras
-e que eu queria saber o que aconteceu lá no armazém ??
Tata para subitamente de colocar os prato como se estivesse surpresa em ouvir aquela pergunta e diz sem olhar para edu
Como assim, você estava lá não aconteceu nada edu
Edu
-eu vi o jeito que portuga olhou para você, você acha q
Tata coloca uma pilha de prato com uma sertã brutalidade na bancada e cosa seu olhos como se estivesse cansada e diz
-o que você quer dizer com isso edu ??]
Edu se apoia na bancada com seus cotovelo e se curva e diz calmamente e baixinho para que os meninos não escute
-o que eu quero dizer e que se portuga pode ter os mesmo sentimento que ortu tem por você e isso agora será que você pode me responder tata
Tata se apoia com as mão na balcão e se curva para edu e diz baixinho com uma ponta de sarcasmos
-sim edu assim como você acha que gosta de mim ele pode achar também. mais como eu te disse esse sentimento não e seu mais sim das lembranças de Eduardo e vamos esquecer isso pó favor
Edu dá um suspiro e se afasta de tata e escora na cadeira e diz cabisbaixo
-eu sei o que cinto por você tata e não foi por causa das lembranças, sei que você quer me proteger eu entendo de verdade mais acho que você fez isso tanto pelas pessoas que você acaba esquecendo que posso te proteger também
Tata dá um suspiro e ela se desarma ela dá a volta na bancada e se aproxima de eu que está com a cabeça abaixada, tata coloca a mão em seu ombro edu olha para ela, ela dá um sorriso e diz
-me desculpe edu pela minha insistência nesse assunto e que nossa prioridade e terminamos essa missão e como disse não quero te dar falsa esperança e como te disse quando tudo isso acabar não vou lembra de nada e sei que e difícil controla essa emoção e com tempo você vai perceber que você estava equivocado esse sentimento não e seu edu
Edu pega em seu braços com forca e se aproxima de seu rosto e diz com irritação
-como você pode duvidar dos meus sentimentos por você, eu sei o que sinto, não vem com essa que e por causa das lembranças, como você pode me pedir isso, como você pode dizer para me esquecer isso, você me disse uma vez que sabe o que o amor pode fazer em uma pessoas, então você e a melhor pessoa para saber que não e, em um estralar de dedos que deixamos de amar alguém
Tata está com uma cara de surpresa para edu que olha com uma olhar de revolta, ela parece não encontra palavras para contradizer edu suspira e dá um sorrisinho para tata e puxa ela em sua direção e diz em seu olvido
-você não tem nada a mi dizer, parece que te deixei sem palavras, mais vou facilitar as coisas eu não vou correr mais atrás de você se você enciste em não acreditar em mim tudo bem vou fazer sua vontade
Edu contundia seguras os braços de tata ele a recua ela continua muda e com uma cara de surpresa ele a solta e continua  a olha para ela ,ela leva suas mão em direção ao seus braços e massageia delicadamente ela respira fundo e se vira edu a sege com os olhos ela pega os talheres e começa a colocar envolta de cada prato em silêncio no último prato que está na direção de edu ela olha para ele e diz com uma voz fria
-e muito nobre da sua parte edu em entender que nossa causa e maior que tudo isso que sentimentos nos enfraquece mais nunca esqueça disso edu que não devemos fazer promessas da boca para fora, e que eu te conheço muito bem em saber que você não vai compre ,
A postura de edu se desarma como se ela tivesse  vendo sua alma ele engole seco e diz com a voz trêmula
-como você pode ter tanta certeza eu já não disse que vou fazer o que você pediu
Tata volta seus olhos ao balcão e coloca os últimos talher na mesa e diz
-eu te conheço edu e sei que você não e esse cara que você quis transparecer
Edu fica sem chão em ouvir o que tata disse como se ela tivesse vendo sua alma ele não diz nada e tata simplesmente se vira e vai até o fogão para pega a panela de mararão, edu se apoia no balcão e leva a mão em seu queixo e fica pensativo. Danilo e Afreim vem da cozinha Danilo com o purê e Afreim com o suco Afreim diz .
-pronto quem está com fome ??
Tata volta da cozinha com o marcarão e coloca no balcão e todos se sentado e Danilo diz
-cadê o portuga ainda não veio to com fome
Afreim
-parece que seu eu gosta de tocar piano mesmo
Danilo
-quem vai lá chama ele
Edu
-eu vou pode deixar
Edu se levanta e vai até a porta do armazém que dá ao pátio e ao outro armazém quando ele chega ela ele entra e vê portuga tocando com task em seus pês dormindo ,ele se aproxima e portuga nem percebe sua presença ele se senta só seu lado e portuga abre os olhos e para de toca e olha para edu e da um sorriso e diz
-cara se eu sobe-se que toca seria tão bom eu já teria feito isso antes
Edu solta uma risada curta e diz
-como assim cara?
Portuga
-quando toco isso me acalma eu esqueço de  toda essa doideira parece tudo começa a fazer sentido sabe as lembranças as emoções  vem não tudo de uma vez elas vem em sequência sabe eu consigo organizar ela controlar cada umas delas
Edu
-e o que você lembrou especificamente
Portuga
-de tudo sabe acho que tudo as emoções as coisas que ortu fez até sei lutar as armas que ele usa tudo ate eu vi eu tata tudo o que foi dito tudo o que ela sabe foi ortu que encenou ela tanto como luta e música tudo o que ela e foi por causa de ortu ,e vou te dizer cara ele não pegava leve com ela deve ser por isso que ela e tão ríspida com agente
Edu
-então você deve ter lembrado que ortu matou uns dos Eduardo que tata se apaixonou
Portuga cosa a cabeça e fica um pouco envergonhado e diz
-achei que você não sabia quer dizer você ainda não teve Neuma lembrança que eu saiba
Edu
-eu tive umas sim e uma dela foi essa a morte de Eduardo
Portuga
-foi mal cara quer dizer a sensação de ver a morte de Eduardo pelo seus olhos deve ter sido doloroso
Edu
-um pouco quando vi já veio tudo de uma vez fiquei sem ar mais me  diz o que ortu sentiu
Portuga
-ele gostava da tata secretamente ,e quando ele fez isso ele estava totalmente fora de si quer dizer pega alguém que você ama nos braços de outro não e fácil mais depois do que aconteceu ele se arrependeu ,quer dizer ver a tata no estado que ela estava depois da morte de Eduardo ele preferia mil vezes deixar eles junto do que ver o sofrimento no olhar de tata
Edu
-eu imagino quando eu tento fala sobre ele ela se desestabiliza eu  vejo que ela sofre até hoje  ,mais eu também vi quando ela começou a tocar aquela música eu vi em seu olhar você gosta dela também ??]
Portuga
-não cara aquele não foi eu mais sim o sentimento que ortu sente por ela ,mais quando aquele sentimento veio eu juro cara eu tive uma vontade de pegá-las nos meus braços e beijá-la e nunca mais deixa-la
Edu
-mais como você tem tanta certeza que aquele sentimento não era seu quer dizer você pode esta gostando dela
Portuga
-eu tenho certeza porque não faria isso com meu amigo  você e meu irmão cara e aquele sentimento veio tão de repente e intenso que sei que não e meu mais sim da lembrança
Edu suspira e olha para o teto querendo entender o que está acontecendo e portuga coloca a mão em seu ombro e diz
-você gosta dela ne cara
Edu
-eu não sei mais ela fica dizendo toda hora que esse sentimento não e meu que por causa das lembranças
Portuga
-e são ou não?
Edu
-agora não sei, você diz que tem certeza que aquele olhar que você deu para ela não era seu mais sim de ortu ,mais agora eu não sei o que cinto por ela cara
Portuga
-vamos lá edu quando foi que você começou a sentir esse sentimento por ela
Edu
-acho que foi logo após eu ter abrasado ela por traz lá no armazém .quando eu disse aquela frase ‘minha pequena guerreira ‘tata disse que foi a última coisa que Eduardo disse antes dele morrer
Portuga
-então foi isso que edu sussurrou em seu ouvido ,mais então cara deve ser mesmo por causa das lembranças
Edu
-mais se lá cara eu tento me convencer disso mais lá no fundo me diz que não
Portuga
-mais antes dessa lembrança você sentiu alguma coisa por ela antes de chegamos aqui se la o que você sentia a relação a ela
Edu
-ah cara a primeira vez que vi ela no estacionamento da boate quando ela tirou o capuz eu senti se lá como as garotas dizem borboleta no estomago não sabia o que dizer para ela como agir perto dela quando estávamos sozinho quando voltamos para casa e ela pareceu na cozinha parecia que não sabia o que dizer ela me deixava sem graças com facilidade e quando ela desmaio em meus braços lá no posto fique sem chão só queria salvar ela fique com medo   de perder ela
Portuga abrasas edu fica sem entender e portuga sorri para ele e diz
-cara você está caidinho por ela
Edu
-mais se eu tiver confundindo com uma admiração a uma pessoa que me salvou que e uma puta guerreira um afeto que todo aprendiz tem a seu mestre um respeito muito cara tipo isso
Portuga
-borboleta no estomago Nem um aprendiz tem com seu mestre cara
Edu faz uma careta para portuga e diz
-ta cara mais vou tentar me manter longe, ela diz que pode interferir na missão
Portuga balança os ombros
Edu
-tá agora vamos jantar porque se a gente não for agora eles vão comer tudo e não sobra nada pra nos
Edu e portuga se levanta e portuga passa o braço envolta do pescoço de edu e  task os seguem eles vão em direção ao outro armazém ,chegando lá ele entra e vê Danilo Afreim e tata conversando e rindo task  e core em direção a Danilo, Danilo faz um carinho e joga um pedaço para task ,task sai correndo para fora com um belo pedaço de  carne portuga e edu se senta e começa a pega um pouco de comida eles começa a conversa tata se cala e fica olhando para portuga, portuga não percebe mais edu sim ,tata olha curiosa para portuga quando ela olha para edu, edu está olhando para ela com uma cara de poucos amigos mais eles não dizem nada ela olha para outro lado e volta a toma seu suco o restante do jantar os meninos conversarão entre si sobre seu dia e tata continuou muda ela estava pensativa ,tata se levanta em silencio e vai até a cozinha e lava seu prato e vai passa pelos os meninos e vai até a sala e senta no pufe e pega uma bolinha de golfe e começa a joga de uma mão para outra ela parece pensativa os meninos estão conversando e tomando suco ,quando edu olha para onde tata estava ele vê que  seu lugar está vazio ele procura ela com o olhar e quando ele vira para sala ela está lá ,ele pensa em ir até ela mais ele lembra que disse que iria se distanciar ,ele se levanta e leva seu prato na pia e passa pelos os meninos e atrás dela  mais ele continua em direção a porta do armazém tata vira o rosto e vê edu indo perdido em seus pensamentos ,ele sai e escora na parede e olha para o céu e fica perdido em seus pensamentos e sentimentos . Os meninos termina sua conversas eles vão lava seus pratos e quando eles termina de limpa a cozinha eles se junta a tata nos pufe em volta da sala e Danilo diz
-cadê o edu
Tata olha para ele e diz
-ele foi colocar seus pensamentos no lugar
Danilo
-mais pra onde ele foi ??
Tata
-ele deve estar lá no pátio
Portuga
-e melhor você ir fala com ele Danilo
Danilo
-está bom vamos comigo Afreim
Afreim
-porque eu só vou dizer besteira
Danilo
-e por isso mesmo, suas besteiras as vezes faz ele rir
Afreim e Danilo se levanta e vai até lá fora chegando lá edu está jogando pedrinhas em direção ao um tambor velho do outro lado do pátio Afreim e Danilo se afro cima e ficam do lado de edu sem dizer nada só observando ele, ele joga a última pedrinha e olha para os meninos e diz
-o que você querem aqui ??
Danilo
-tata disse que você estaria aqui e que você parecia está perdido em seus pensamentos quer conversar cara
Edu
-essa garota sabe me desvendar mesmo
Afreim
-as garotas são estranhas mesmo chega dar medo
Danilo
-cara você só fala besteira
Edu Danilo dão risada e vão até a parede do lado da porta do armazém e sentado no chão eles olha para o céu está estrelado como nunca tinham visto na cidade então Danilo olha para ele e diz
-mais fala ai cara o que está te incomodando ??
Edu
-cara não sei mais o que fazer eu já olhei aquele códigos todos e não consigo lembra de nada que faça sentido
Danilo
-mais você precisa de tempo pede uma ajuda da tata quem sabe ela não te ajuda ela me ajudou ela mostrou coisas que meu eu fazia e consigo lembra de algumas coisas
Edu
-e mais o que ela e Angel da terra 2 me deram não faz sentido
Afreim
-e pra mim também não faz muito sentido
Danilo
-mais você fez uma micro cirurgia na tata Afreim então já e um começo
Afreim
-e pode até ser mais se não fosse portuga eu não teria feito muito diferencia
Danilo
-ele só tirou a bala e você fez o resto uma coisa que você nunca fez se lembra
Afreim
-e isso e verdade
Edu
-falando em portuga ele conseguiu lembra de tudo
Danilo
-como ele conseguiu lembra de tudo tão rápido
Edu
-ele estava tocando piano ,ele disse que isso faz ortu colocar a cabeça no lugar deve ter ajudar as lembranças virem mais fácil
Danilo
-então e isso edu você tem que fazer alguma coisa que o edu gostasse de fazer quem sabe faz as lembranças virem mais fácil
Afreim
-você tem que fala com a Angel da terra2 não foi o Eduardo marido dela que fez os códigos antes de morrer então ela deve saber o que ele gostava de fazer quando precisava colocar a cabeça no lugar
Danilo
-Afreim finalmente você disse alguma coisa que faz sentido
Edu
-pode crê vou fala com ela mais hoje não já está meio tarde só quero fica aqui fora olhando esse céu
Danilo
-pode crê não e qualquer dia que vemos um céu tão estrelado
Os meninos fica lá fora curtindo a noite agradável, enquanto isso tata e portuga estão na sala portuga está com as mão em sua nica todo jogado no pufe e tata está com a bolinha jogando de um lado por outro ,quando portuga se arruma no pufe e curva para frente apoiando os braços em seu joelho e olha para tata e diz
-agora sei porque você e tão dura com agente agora te entendo
Tata para de jogar a bolinha e olha para ele mais não diz nada portuga solta um suspiro e diz
-e tipo ortu te treinou com punho de ferro e mesmo assim você tinha um grande respeito por ele ,e não odiou ele e nem aquilo o que ele te ensinou se fosse eu nunca  queria ver um piano na minha frente porque e quebra um dedo cada vez que você errasse isso e cruel
Tata dá um sorriso e se ajeita no pufe e diz
-algumas pessoas não sabem ensinar de outra forma portuga, ortu tinha seu jeito e com tempo você acaba se acostumando e não tenho raiva dele porque o que sou hoje foi graças a ele
Portuga
-mais você não queria se junta a causa dele não e você só ajuntou a essa causa porque ele iria te matar
Tata
-sim mais eu tento pensar que isso foi o destino se for pra mim estar aqui e porque tem um motivo e não adianta ficar me martirizando pelas as escolha que fiz
Portuga
-pode ater cer. mais duvido que você não se arrependeu toda vez que ortu de massacrava no tatame
Tata levanta a sobrancelha para portuga que olha com uma cara de esnobe, ela dá uma rizada e diz
-isso erra a muito tempo portuga e hoje pode ser dizer que ele que estaria com a cara no tatame
Portuga se levanta e vai até ela e estende sua mão e diz com ironia
-vamos ver se isso e verdade
Tata faz uma careta de surpresa e pega em sua mão e portuga a levanta eles vão até o tatame e começa a luta ,portuga tenta acerta um soco em tata que se esquiva e pega em seu braço e puxa em sua direção ela passa sua mão em sua e nuca e ela dá uma joelhada em seu estomago portuga cai de quatro no tatame tata caminha em direção a sua costa e imobiliza ele com uma chave de braço portuga começa a fica sem ar ,quando ele começa a perder o ar ele tem uma lembrança de como se lutar ele reagem ele se levanta e joga tata contra a parede ela fica sem ar e solta ele, ele pega ela pelo cabelo e  taca no chão do tatame ela levanta e faz outro ataque mais portuga se esquiva e dá um muro no nariz de tata que quebra e começa a sangra ela leva a mão no nariz e portuga abre os braços e diz
-eu não disse que você não e palha para ortu e nem pra mim minha linda
Tata se prepara para começa a tacar portuga com chutes e muros portuga consegue se defender portuga começa a atacar tata com vários golpes de muros e chutes ela se defende e se abaixa e dá uma rasteira em portuga que cai ela se joga em cima de portuga e começa a deferirá vários socos portuga tenta se defender mais vários golpe pegam seu rosto seu nariz e quebrado e seu rosto também e machucado e quando portuga começa dizer alto para tata
-para tata
Tata grita com ele e diz
-confessa que sou melhor que você
Portuga grita em quando tata continua a bater nele
-tá você e melhor e a melhor
Os meninos que estão lá fora ouvem os gritos e corem em direção ao tatame Danilo retira tata decima de portuga pega tata pela cintura e ela tenta se soltar  para voltar a bater em nele ,Afreim vai em direção a portuga e diz
-cara você precisa de um medico
Edu suspira e diz
-você e medico Afreim
Afreim
-e verdade edu pega um quite medico lá no  carro
Danilo leva tata para a cozinha e diz em quanto ela se esperneia
-tata para com isso não sei que vocês fizeram para chegar nesse ponto mais só te solto se você se ao calmar  
Tata para de espernear e respira fundo e diz
-está bom pode me soltar não vou pular no pescoço dele de novo
Danilo vai soltando ela aos pouco mais ela tenta ir bater nele de novo, mais Danilo e mais rápido e pega ela pela cintura de novo ela fica parada e diz
-agora e serio não vou tentar fugir de novo
Danilo
- sei, agora seja uma boa menina e senta aqui no balcão
Tata se senta no balcão e Danilo vai pega uma toalha molhada ela fica olhando Afreim e edu ajoelhado cuidando de portuga quando Danilo volta ele come as a passar envolta do nariz de tata que começa a se mexer e colocar a mão para que Danilo parasse de passar a o pano e Danilo segura a mão de tata e diz
-dá pra você fica quieta se não vou conseguir estancar esse sangue do seu nariz
Tata
-mais está gelado e está doendo
Danilo suspira e diz um pouco nervoso
-pensasse ante de se atracar com portuga, não sei o que ele disse mais não precisava levar a serio
Tata pega a toalha da mão de Danilo e coloca devagar em seu nariz, ela desse da bancada e vai em direção aos meninos Danilo core atrás dela e diz
-já chega ne tata
Tata
-eu não vou bater nele mais só que preciso de um médico para colocar meu nariz no lugar
Danilo
-mais tem algum hospital perto desse fim do mundo
Tata
-o Afreim e medico se lembra
Danilo
-e mesmo foi mal
Tata e Danilo se aproxima do tatame e portuga olha para tata e dá um sorrisinho dolorido e diz
-e o aprendiz superou o mestre
Tata
-que mestre, ortu e muito melhor que você mais se eu tivesse lutado com ele não seria só um nariz quebrado
Afreim olha para tata e diz
-você não está pensando que sei colocar nariz no lugar
Tata
-sim então trate-se de se concentra e lembra como se faz isso
Afreim olha para tata que tirou a toalha e foca no nariz dela e tenta lembra ele se aproxima e coloca com delicadeza a mão em seu nariz e respira fundo quando ele fecha os olhos ele se lembra, ele abre os olhos e dá um sorrisinho para tata e diz
-eu me lembro me lembro de tudo
Antes mesmo de tata dizer alguma coisa ele puxa seu nariz coloca no lugar, tata da um gritinho e faz uma careta de dor e se controla portuga só vê lagrimas descendo do rosto de tata ele arregala os olhos e quando ele olha para Afreim ele já está vindo com a mão em direção ao nariz de portuga, portuga tenta se levantar mais Afreim senta em cima de portuga e pega seu nariz e põem no lugar portuga grita Afreim faz curativos em portuga e tata .Afreim termina e parece animado e diz
-pronto terminei vê se você não se matem, quer dizer só o suficiente para que posa salvar vocês to doido para operar alguém
Tata e portuga estão sentado no chão do tatame ele  se olhão eles estão todo cheio de esparadrapo ele começa a rir sem para ,Afreim se aproxima e diz um pouco irritado
-parem de rir você estão com os nariz quebrado vai começa a sangra vocês tem que fica pelo menos um dois dias sem fala muito e rir nem pensar
Tata suspira e chama Danilo que está com edu sentado no balcão olhando para eles, Danilo vai até eles e se agacha do lado de tata
Tata
-pega pra mim na minha bolsa dentro do carro aquela bolsinha que tinha aquele equipamento cirúrgico do hotel lembra
Danilo acena com a cabeça e vai até lá Afreim e portuga fica olhando para ela sem entender quando Danilo volta ela abre a bolsinha e tira duas seringas e edu diz alto lá do balcão
-esse e aquele remédio de cura rápida
Tata olha para edu e acena com a cabeça ela pega a seringa e com uma sertã brutalidade aplica em sua perna ela pega a outra e olha para portuga antes mesmo dele fala alguma coisa ela aplica um brutalidade portuga solta um gritinho ela  se levanta e vai em direção ao quarto e deita na cama  e portuga vê aquela seringa presa em sua perna e fica pasmo sem saber o que fazer Afreim se aproxima e retira a seringa Danilo ajuda portuga a se levantar e leva até a cama ,Afreim limpa a bagunça de esparadrapo e gazes cheia de sangue no chão do tatame e Danilo e edu vão para o sofá ver tv a madrugada vem chegando tata e portuga já estão no 10º sono  quando os meninos vão dormir
Pin It
Atualizado em: Qua 11 Out 2017

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222