person_outline



search

EDUKOF CONTRA O DITADOR DO UNIVERSO PARALELO capitulo 4 a fuga

Danilo parece quere pergunta alguma coisa antes menos dele abri a boca edu diz
- e eu sei vc vai pergunta como ela está aqui ??? só posso dizer que e uma longa história, depois te conto estamos em perigo temos que sair agora daqui
Danilo
-tá se vc tá dizendo
 Danilo entra no carro e anja caminha para o outro lado da rua edu fica sem entender e diz
-Angel onde vc vai
Angel não embolsa reação e tira um chave do bolso e aponta de repente aparece uma carro preto Danilo sai do carro sem acredita no que está vendo e edu e portuga e Afreim ficam abismando
Danilo
- esse e um mustang ??
Angel
- mais especifico mustang hero car 1967 conhecida mais como Eleanor
Danilo
- vc subiu no meu conceito garota e chave demais
Edu
- vc só pensa nisso cara eu quero saber como vc consegui deixar ele invisível
Angel
- não temos tempo, edu e task vem como e Danilo Afreim e portuga vai no seu carro edu
Edu
- quem me garante que vc não deixar eles para traz
Angel
- não vamos começa edu
Portuga
-e quem garante vc só quer salva o edu agente e irrelevante como vc disse
Angel
-tá então vem vc portuga comigo e com task e edu vai com Danilo e Afreim, Danilo me segue tá
Danilo
-pode deixar  
Angel
-só quero ver se vc consegue me acompanha Danilo
Danilo
- pode deixar vou cola em vc garota
 Todos entram no carros e Danilo seguem Angel e no caminho edu liga para portuga ele atende e coloca no viva voz
Edu
-portuga, pergunta para Angel para onde vamos ela não disse
Portuga
-tá no viva voz
-para onde vamos Angel
Angel
-só me segue edu
Portuga olha para Angel e diz
-como sempre vc com esse mistério todo será que vc quer nos salvar mesmo, ou está nos levando apara o abatedouro ??
Angel não esboça Neuma reação e continua dirigindo e olhando para estrada como sempre ela com sua foz calma o deixa irritado
Angel
- vc deveria confiar mais em mim portuga, já não dei prova mais que suficiente que estou aqui para ajudar
Portuga
-eu não gosto de vc, e não confio em vc. Você se faz como subisse de tudo e com esse ego de superioridade e com seu alto controle vc não me engana tá, vc e mais humana do que qualquer um de nós, uma hora vc vai perder o controle e vai nos meter em uma roubada  
Angel continua a dirigir e começa a pisar o pé no acelerador e aperta o volante e respira fundo edu continua na linha e escuta tudo e para quebra o clima ele diz
-Angel vc está correndo porque vai mais devagar. Portuga se não for ajudar não atrapalhe eu confio nela e vc deveria fazer o mesmo
Angel parecia está em outro lugar, mais ela pisca os olho e volta ela diminuir a velocidade e olha para portuga que está encarando ela
Angel
-tudo bem edu na vida real sempre tem um sádico na parada, para tranquilizar vocês vamos para são Paulo
Angel virar a cabeça para olhar para estrada.
Edu
-tá espero que vc fique mais tranquilo portuga agora vou desligar
Portuga olha para Angel, ela continua olhando para estrada não dando muita bola para ele que está fuzilando ela com seu olhar de ódio, ele guarda o celular e se ajeita no banco e cruza os braço como um menino mimado, task está no banco de traz dormindo. Esta amanhecendo e ele continua na estrada. Angel encosta num posto de gasolina já na região de são Paulo Danilo segue ela portuga acorda assustado e diz
-o que foi aconteceu alguma coisa ??
Angel dá uma espreguiçada e abre a porta para sair e diz
- não pode volta a dormir já estamos em são Paulo só parei para colocar gasolina e comer alguma coisa. Você quer alguma coisa ??
Portuga bocejando diz
- eu vou no banheiro pega um energético para mim
Angel desse do carro e portuga também e Danilo e edu estão indo em direção a ela ,
Danilo
-aconteceu alguma coisa
Danilo está com uma cara de preocupado e edu com uma cara de cansado Angel retira um cartão de credito do bolso e o celular ela espera eles chegarem mais perto e diz
-não fique tranquilo gente só parei para pega um matutino e um enérgico para o portuga vocês vão quere alguma coisa pense logo já estamos chegando no destino só não podemos demora muito aqui.edu se espreguiça e com um sarcasmo diz bocejando
-parece que você e portuga estão dando super. bem depois da discussão de vocês ontem
Angel dá um sorriso preguiçoso e diz
-e como a gente se dá bem pericialmente quando ele dormiu, antes disso ele estava me fuzilando com os olhos. Cadê o Afreim
Danilo faz umas careta como se ele estivesse sentindo dor no corpo por dirigir tanto e diz
-dormiu a viagem toda isso que e tranquilidade mesmo sabendo que querem nos mata
Angel
-vocês vão quere alguma coisa?
Edu
-vamos todo mundo ai agente escolhe pro Afreim qualquer coisa serve
Eles entram na conveniência do posto, Angel pede para a atendente um café e Danilo e edu pega um monte de tranqueira eles vão no caixa e na hora de pagar edu enciste em paga mais Angel não aceita e puxa edu para o canto e se aproxima de seu ouvido edu fica vermelho na hora não esperava uma abordagem desse jeito de e Angel diz 
- você não pode paga se você passa esse cartão eles vão descobri onde estamos seu cartão está grampeado, agora a rede de celulares de você e do seus amigos conseguimos ranquear eles não vão acha vocês. Por outro lado só o cartão do banco não tivemos tempo então deixe eu passa meu cartão e seguro.
 Angel volta para o caixa e dá o cartão. Eles sai da conveniência do posto e vão em direção aos carro portuga está encostado no carro e edu dá o energético de portuga e Danilo vai acorda o Afreim e Angel vai pagar a gasolina ao frentista. Angel volta em direção ao seu carro todos estão lá conversando e Afreim esta lá também, enfiando o pão de queijo na boca como estivesse morrendo de fome eles olha para ela, olha para eles com um sorriso fino em seus lábio com uma expressão   de dever comprido que  sua missão está andando como previsto uma expressão de felicidade por um momento em ver eles vivo lhe faz  bem ,ela leva o copo de matutino em direção a boca mais de repente ela  muda a expressão sua fase e de dor ela deixa o matutino cai no chão e leva a mão a cintura e se agacha ,edu e Danilo correm em direção a ela e Afreim e portuga ficam assuntado e se olhão .
Edu
-o que foi Angel??
Danilo
-vamos leva ela pro carro
Danilo pega ela no colo e coloca ela no banco do passageiro do mustang ela se contorce de dor e com a voz fraca diz a Danilo
- Danilo pega pra mim uma bolsa preta no porta mala toma a chave
Danilo corre para o porta mala e abre, quando ele abre tem várias armas e deis de fuzil e até pistola e até granada ele abaixa o porta mala e olha em volta para ver se ninguém está olhando ele fica abismado o que tinha acabado de ver ele respira fundo e pega uma bolsa e fecha a porta e volta correndo edu esta agachado segurando a mão de Angel Danilo entrega a bolsa a ela e diz
-você tem um brinquedinho legais lá traz
Edu olha para ele sem entender mais não diz nada, ela abre bolsa e dentro tem uma bolsinha vermelha ela dá a bolsa preta para edu e abre um estojo sobre a perna e tem uma porção de instrumento cirúrgico ela pega uma injeção com um liquido vermelho e com um pouco de brutalidade por causa da dor ela aplica rapidamente na perna sobre a causa de couro preta edu pergunto assustado
-o que e isso?? fala comigo o que vc tem.
Angel se escora no banco e com os olhos fechado e com a mão na cintura e com uma respiração rápida e curta ela diz.
-você acha que você foi o único baleado naquela boate
Edu fica com uma expressão de supresso e ao mesmo tempo com vergonha por ter reclamado tanto dizendo que ele quase morreu como ele fosse o único a se machucar
Edu
-mais porque você não procurou um hospital ??
Angel
-você acha que se eu procurasse um hospital eu estaria viva até agora ??hospital e um lugar público eles iria me acha e ele sabia que você estava lá só não pegarão você porque tinha muitas testemunha, eles não trabalhão assim quantas menos testemunha melhor eu vi eles num carro preto na frente do hospital e quando Afreim foi com o polícia para casa eles o seguirão e foi por isso que eles descobrirão onde você morava.
Danilo
- mais o que você aplicou em você
Angel
-e um remédio e como se fosse morfina, mais e muito melhor quer dizer um 100% melhor a Angel da terra2 me mandou eu não tive tempo de tirar a bala então o efeito passou preciso tirar isso me dê um segundo preciso de gasolina, edu pega pra mim.edu franze a testa como o que ele tinha escutado fosse um absurdo ele diz irritado
-não vamos fazer isso aqui, como você disse vai chama muita atenção vamos para outro lugar
Angel abre um só olho e rira um pouco o rosto para edu e diz
-edu preciso tirar isso agora e pra onde vamos vai leva mais uma hora
Danilo
-vamos para um hotel
Angel
-não temos tempo e eu não coloquei nem hotel em nosso trajeto
Danilo
-como assim
Angel
-eu fiz uma rota em todo nosso trajeto, pra conseguimos fica um passo à frente de ortu precisamos nos planeja. Eu conheço cada rota de fuga por de passamos e por onde vamos passa não tenho tempo de refazer uma nova rota e envolver um hotel nisso se fosse fazer teria que saber cada saída do hotel saída de emergência e rotas de fuga na rua e não tenho tempo e nem forças para isso
Edu
-eu venho direto para são Paulo e eu conheço vários hotel sei como sair dele se for preciso você me diz o que tenho que fazer que eu faço para você rotas de rua e saída de hotel mais rápida mais não vou deixar você fazer isso aqui.
Angel
-você acha que um soldado tem lugar ou hora pra fazer uma retirada de bala eu já tomei uma porção de tiro e já retirei varias e esse não foi o pior lugar eu já tirei na beira de um córrego um posto de gasolina e um lucho
Edu
-mais eu não to nem ai, vamos para um hotel eu conheço um ali na paulista e bem seguro e tem metro e várias saídas rápida se precisamos fugir.
Angel
- que merda edu para de ser teimoso
Edu
-não e teimosia só quero que você não mora aqui
Angel
-não vou morrer e não preciso da sua preocupação já passei por coisa pior e um tiro não e nada pra mim
Danilo
-e mais você não parece bem você está branca e suando
Angel se irrita com eles e levanta do carro com uma bisturi na mão e edu pega em seu braço e diz
- por favor me escute por um segundo você não está bem deixa eu te ajuda
Angel se vira pra edu e com os olho cheio de agua diz
-eu não preciso de seu conselho e nem da sua ajuda
Edu
-eu juro que não serei mais teimoso e vou fazer o que você disse sem questionar mais deixa eu te ajuda vamos para um hotel só por uma noite
Angel respira fundo e vê um certo desespero e concorda ela tenta dar um passo em direção a edu mais ela perde a consciência edu a segura e pega no colo e coloca ela no banco do passageiro do mustang
Edu
-ta vamos para o hotel da paulista, você portuga vai com Danilo e Afreim eu vou dirigir o carro de Angel  
Angel esta desacordada   e branca como papel e suando muito e task está no banco de traz inquieto e resmungando parece que ele perceber a gravidade da situação .chegando lá edu estaciona na frente do hotel e Danilo logo atrás edu se vira para Angel e chama por ela e coloca a mão em seu ombro Angel acorda assustada e segura a mão de edu com forca como fosse mobilizar ele mais ela olha por um segundo diretamente para seus olhos e respira fundo e leva a mão pra sua cintura e faz uma careta como se a dor estivesse piorando .edu diz
Angel
-nada deixa comigo
Angel abre a porta luva e retira uma carteira e quando ela abre tem várias identidades com diferentes nomes mais todas as fotos e de Angel, edu fica supresso mais não diz nada ele olha porta luva e vê tbm vários passaportes .Angel pega uma identidade e seu cartão e diz
-edu precisamos encontra um jeito de entra com task no hotel. Vou ver se suborno o atendente para deixar ele entra
Edu
-mais acho que não vai rola porque esse hotel e dos mais badalado de são Paulo
Angel
-você não conhece aquela expressão que dinheiro compra tudo e todos
Edu dá um sorrisinho para Angel e Angel dá uma piscada para ele e eles sai do carro e dá um sinal para os outros os seguirem, task continua dentro do carro até eles votarem para pega ele. Angel sobe a escada com um pouco de dificuldade mais chegando perto da porta de entrada ela para pôr um segundo e respira fundo e abre um belo sorriso por recepcionista que está no balcão chegando lá ela o cumprimenta e começa a conversar com ele parecia que eles se conhecia a anos
Angel
-então meu anjo eu estou morta de cansaço e preciso de um quarto pra mim e meus amigos só que tem um certo problema
O recepcionista levanta um sobrancelha como se dissesse lá vem bomba
Recepcionista
-pode me dizer senhorita o que tiver em meu alcance eu farei
Angel dá um longo sorriso e pega na mão dele como se eles fosse melhores amigos .edu e os outro não dizem nada só ficção escorado no balcão observando Angel e seu teatro, Angel chega perto dele e diz baixinho
-eu quero seu melhor quarto não se preocupe com despesa  ,só que eu tenho um cachorro que e de estimação só que não queria deixar no hotel de cachorro ,porque ele como um filho pra mim será que tem como você libera a entra pra mim.
O recepcionista faz um bico torto para Angel, Angel faz uma cara de pidona e antes mesmo de ele dizer alguma coisa ela diz
-ele pode entra pelos fundo e pelo acesso de funcionário eu te pago 1.000,00 dólares se você quebra essa pra mim
O recepcionista abre um sorrisinho e fala baixinho para Angel
-está bem mais uns do seus amigos vão ter que entra pela entrada de carga e descarga
Angel dá uma piscada para ele e dá o cartão para o recepcionista que sem pensar duas vezes passa o cartão e marca num papel o número da conta dele e Angel pega seu celular e transfere o valor. Depois de tudo resolvido o recepcionista dá a chave do quarto e Angel e os meninos vão lá para fora em direção aos carros Angel senta no capô de seu carro e diz com um pouco de falta de ar
-Danilo e portuga .vocês leva o carro para a rua de traz e subam o task pela entrada de funcionário o recepcionista estará lá te esperando .eu Afreim e edu velaremos o básico só para passa uma noite aqui vocês dois separem só um par de poupa para essa noite ,porque se precisamos sair corrido sairemos por traz do hotel e muita bagagem vai acabar nos atrapalhando eles concorda e Angel pega sua bolsa preta e algum armamento e edu Afreim e Angel entra pela frente e entram no elevador seus quarto e no 14ºandar  quando o elevador está subindo Angel senta no chão e novamente leva a mão na cintura Afreim pega a bolsa da mão de Angel e fica olhando para o visor do elevador eles estão no 7ºandar e subindo edu se agacha e olha para Angel que está com os olhos fechado e fazendo umas caretas  estranha e suando muito e diz
-estamos quase lá, só mais alguns segundos Angel palanca a cabeça concordando
Edu levanta e a porta se abre eles tinham chegado edu estende a mão para Angel e Afreim está cheio de mala nas mão e segura a porta do elevador edu estende a mão para Angel mais Angel se recusa e levanta com dificuldade e vai com dificuldade escorando nas parede do imenso corredor o quarto era o número do quarto era o 144 ela abre a porta e vai direto para a janela e fica olhando o movimento da rua vendo se não tinha ninguém suspeito Afreim joga as coisa no quanto do quarto e edu fecha a porta e senta na cama ele respira fundo e diz
-Angel você precisa de um médico você não parece bem
Angel fica perdida no seus pensamentos e edu chama ela novamente e ela olha para ele e respira fundo
Angel
-preciso da ajuda de Afreim
Edu frase a testa como não tivesse entendendo
Edu
-como assim precisa do Afreim
Angel
-você dize que não ia me questionar mais lembra.eu não posso fazer isso sozinha
Edu faz uma cara de reprovação e diz
-ele está no banheiro vou chama-lo
Edu levanta da cama vai até a porta do banheiro e bate na porta, Afreim sai edu diz que Angel precisa dele e eles vai até o quarto e  Angel que está abrindo uma coberta no chão do quarto
Afreim
-o edu disse que você precisa de mim. O que posso fazer por você
Angel abre sua mochila  e coloca do lado da coberta o seu estojo de fermentas cirúrgica e retira sua jaqueta e sua blusa e Afreim fica com uma cara de quem não ta entendendo nada e ao mesmo tempo com uma certa vergonha  e edu tbm está com uma sertã vergonha por ver ela quase despida Angel não parece em se importa em fica na aquele estado ela retira o seu cinto e dobra ele no meio quando ela abaixa um pouco sua causa da pra ver onde Angel levou o tiro está com um curativo cheio de sangue e Angel tira o curativo quando ela tira começa a recorrer sangue e não parece nada bom Angel olha para Afreim e edu e diz
-Afreim eu preciso que você tira essa bala, eu não consigo to muito fraca e quando a dor fica insuportável eu vou acabar dismanhando então preciso de você
Afreim arregala os olho e começa a gagueja
-euuu não posso eu não sei como fazer isso
Angel pega o sinto e deita na coberta e Afreim se ajoelha do lado dela ela mostra a injeção e o bisturi que ele terá que abri um pouco o corte e a pinça para retira a bala edu fica sentado na cama olhando sem dizer nada. Angel continua a explicar a Afreim e ele balança a cabeça quando ela pergunta se ele entendeu
Afreim
-você tem certeza que quer confia sua vida a mim
Angel
-Afreim tenho sim, se eu pudesse fazer isso sozinha teria feito mais não posso preciso de você
Angel coloca o sinto dobrado na boca para não grita de dor e abrem aplica a anestesia no local Angel aperta um pedaço da coberta Afreim pega o bisturi e faz um pequeno corte de cada lado do furo da bala, Angel deixa umas lagrimas caírem dos seu olhos, edu levanta da cama e fica andando de um lado pro outro quando a campainha do quarto toca edu core e olha no olho magico era Danilo, portuga e task. edu abre a porta e Danilo assusta com a cara de edu e diz
-o que foi cara parece que você viu um fantasma
Portuga
-deixa eu entra logo antes que alguém vê o task
Edu deixa eles entra e quando eles chega no quarto Angel esta desmaiada e Afreim está tentando tirar a bala mais ele não consegue toda a vez que ele sente que a pinça pegou a bala ela escapa Angel ta perdendo muito sangue o pano que Afreim está usando para limpa o sangue que escore está ficando inchado de sangue e Angel esta desmaiada não pode dizer o que ele tem que fazer, Afreim se desespera e olha para os meninos que estão abismado o que estão vendo
Afreim com desespero grita
-eu matei ela, eu não sei o que fazer
Edu
-você não matou ela, ela está respirando você só precisa fazer o que ela te disse
Afreim
-eu fiz mais não consigo tirar a bala
Portuga prende task no banheiro e pega uma toalha molhada no banheiro e core para o quarto se ajoelha do lado de Afreim
Portuga
-se acalma Afreim você não matou ela ,ela ta respirando ainda ela deve ter desmaiado porque ta perdendo sangue me diz o que você tem que fazer agora Afreim olha para o corte e diz
-eu aplique a anestesia mais acho que não pegou direito porque ela estava sentindo muita dor e fiz o corte e agora tenho que retira a bala mais toda vez que sinto que peguei a bala ela escapa da pinça
Portuga
-ta Afreim eu vou te ajuda só se acama
Portuga limpa o corte e pega a pinça da mão de Afreim mais não conseguem retira a bala realmente esta escapando ele olha para a ferida e olha para sua mão e leva até a ferida ele hesita por um segundo mais ele enfia os dedos na ferida e fica procurando a bala .os meninos ficção abismado olhando aquilo e mais ninguém diz nada portuga sente a bala e retira ele coloca na palma de sua mão os meninos se olha e portuga diz
-e agora Afreim o que você tem que fazer
Afreim olha para a ferida e diz agora e só fecha .Afreim pega a agulha e fecha o ferimento e quanto isso portuga vai até o banheiro e lava a mão e coloca a bala num pote de agua quando ele volta  Danilo e edu estão sentado num sofá logo ao lado de Angel e Afreim está fazendo o curativo final ,portuga arruma uma cama para coloca Angel
Afreim
-pronto terminei temos que colocar ela na cama.
Danilo se levanta do sofá e pega Angel do chão  e leva ela até a cama onde portuga arrumou Afreim retira a coberta do chão que estava cheio de sangue e coloca no canto do quarto e começa guarda material cirúrgico  de Angel depois de tudo arrumado  Afreim se senta no sofá que edu e portuga esta Danilo está de pé na janela do lado do sofá eles ficção alguns minutos em silêncio tentando digerir o que tinha acabado de acontecer
Afreim respira e diz olhando para o teto
-achei que iria matar ela
Edu olha para ele diz
-claro que não se ela não confiasse em você ela não teria dito para você fazer
Afreim
-mais se não fosse o portuga chega e me ajuda eu teria matado ela
Portuga
-na situação que você estava até eu não conseguiria pensar direito. eu só conseguir tirar porque foi instinto enfiar minha mão parecia que sabia o que eu estava fazendo como se eu já estivesse feito isso muitas vezes
Danilo
-vocês dois salvarão ela e chega desse papo
Edu
-o importante e que ela está viva, e como Danilo disse vocês dois salvarão ela isso que importa
Todos estavam muito cansado e um dormiu no sofá e outro dois no chão em cima de algumas almofada e edu dormiu do lado de Angel que estava com uma cara rosada não estava com febre e nem suando iria melhora rápido.
No dia seguinte o celular de edu tocou erra um alarme era 13;00 da tarde edu pegou o celular do criado mudo e desligou estava com muito sono quando ele virou por outro lado não viu Angel ele tomou um susto e sentou na cama ele procurou ela pelo quarto e foi direto pro banheiro ele bateu na porta
Edu
-Angel você está ai??
Angel
-pode entra
Edu abre a porta Angel está de calcinha e surtiam com os cabelo molhado, ele fica todo vermelho e leva a mão para seus olhos para não ver nada Angel dá uma risadinha e volta escova os dente edu fica mudo e parado na porta se dizer nada.
Angel
-você nunca viu uma mulher em peça intimas.
Edu
-sim mais e que
Angel
-tira essa mão da cara se você acha que eu me importo eu não me importo mais você esta vermelho que nem um tomate
Edu tira a mão da cara e evita de olha para ela, ela termina de escova os dente e pega uma muda de roupa limpa da bolsa dela ela retira o curativo que Afreim fez edu olha já estava quase cicatrizando edu olha para ela e diz
-como assim você tirou essa bala ontem, e já está quase cicatrizando como pode
Angel olha para ele e começa a colocar a sua roupa e diz
-a injeção que Afreim me deu ontem ele e usado na guerra da terra 2 cientista do Eduardo criarão ela e os soltados vítimas de balas cortes usam porque um soltado fora da batalha e prejuízo então eles retiram a bala e aplica daqui duas horas depois o soldado pode volta par seu posto
Edu
-mais eu achei que fosse anestesia
Angel
-e claro que não se fosse anestesia não tinha desmaiado
Angel faz um rabo de cavalo em seu cabelo e coloca todas as coisas dela na bolsa e vai em direção ao quarto edu sai da sua frente porque ele estava na escorado na porta do banheiro Angel vai ate a cama e pega o seu celular ela meche no celular e olha para edu que esta no sofá edu respira e diz
-deixa eu adivinha temos que ir
Angel balança a cabeça com um sinal de sim e liga para alguém ,edu acorda os menino e diz que tinha que ir agora mesmo os meninos acorda pega suas coisa e espera Angel dizer algo mais ela ta no celular falando com alguém  e ele ouve ela dizendo assim
Angel
-como ele descobriu que estava aqui fiz o que você me ensino  sem cometer  erro
A pessoa do outro lado da linha diz algo que faz Angel se estressar
Angel
-eu sei que sai fora da rota mais foi preciso e se não fosse feito isso não estaria aqui agora
Angel fica olhando pela janela parecia que estava procurando algo ou algum suspeito e Angel volta a ficar com uma cara de preocupada
Angel
-sei que estou me envolvendo demais e não deveria fala sobre isso com eles mais precisava que eles confiasse em mim o seu método da última vez não foi e ficais e acabando perdendo ele dessa vez não vou deixar isso acontecer de novo
Angel desliga o celular e encosta o celular em seu queixo tentando entender como que eles conseguirão encontra eles .os meninos ficção olhando para  ela ,mais não dizem nada porque a maioria está morrendo de sono. Angel se irrita por não conseguir adivinha como eles encontrarão eles  irrita ela diz
-não cheguei ate aqui pra eles conseguirem nos pega
Afreim  com sono diz uma certa besteira
-você e muito bonita pra morrer Angel e não salvei sua vida atoa
Portuga olha com um olhar de reprovação e diz
-vê se não esqueça que eu também salvei a vida dela se não fosse eu para enfia a mão e retira a bala você não teria salvado ela
Edu respira fundo e balança a cabeça com um sinal de reprovação e diz
-vamos para de fala neuras temos que sair daqui
Angel olha para eles e diz
- e verdade vamos logo
Angel pega suas pistolas e coloca na cintura na parte das costas e os outros pegão suas mochilas Danilo vai em direção ao banheiro e volta com um copo onde portuga colocou a bala que tiro de Angel e leva para Angel ver e diz
-olha aqui Angel a bala que portuga tiro de você que calibre e esse Angel coloca a bolsa dela nas costa e se vira para olha para Danilo quando ela pega o copo ela pega a bala na mão e vê que essa bala e diferente das comum por isso que Danilo não consegui saber  que calibre e Angel joga no chão e pisa em cima a bala se desfaz e dentro tinha um micro rastreador ela pega na mão e olha para Danilo que não entende ela diz com uma cara de supressa
-ta ai porque eles nos encontro .ortu está se superando coloca um rastreador na bala
Danilo
-por isso que eles estão vindo
Angel
-sim mais temos que sair daqui agora
Danilo
- vamos pelos fundos e pelo elevador de serviço onde eu e portuga subimos
Angel
-não se eles sabe que estamos aqui pode ser que alguns de seus capanga estão na entrada do elevador de serviço.
Edu
-ta mais como vamos descer então se não pode ser pelo elevador normal e de serviço
Angel
-pelas escadas de emergência,  vamos
Edu
- vamos descer 14ºandares
Afreim
-melhor descer do que subir não reclama
Angel vai na frente e vão até a porta de saída de emergência e pega sua pistola e abre a porta no chute e aponta a arma não tinha ninguém eles começa a descer Angel na frente e edu atrás depois Danilo e portuga logo atrás e Afreim por último eles descem correndo e ao mesmo tempo em silêncio chegando no primeiro andar Angel para e os meninos longa atrás Angel olha para eles e diz sem folego
-eu vou descer primeiro vou avaliar o perímetro e volto para buscar vocês
Angel retira uma pistola da bolsa e entrega a portuga, ele olha para ela ,Afreim faz uma cara de supresso e diz
-porque você confia tanto nele ele te odeia lembra o que ele te disse no carro porque você não entrega pro Danilo ele pelo menos não tem nada contra você
Angel pega uma na mochila e dá para Danilo, Danilo pega e destrava Afreim fica com uma cara de pidão mais Angel da uma adaga para ele fica com uma cara de desgosto e diz
-uma adaga como assim todo mundo tem uma arma e eu uma adaga
Edu olha para Afreim e diz
- eu não tenho Neuma e  to bem sem e nem por isso to reclamando
Angel
-Afreim para de reclamar, vai por mim você vai preferi essa sempre preferiu
Angel desse as escada correndo e Afreim fica sem intender eles se olhão e ficção esperando Angel volta depois de 5minutos eles escutam um tiro e eles encosta no corrimão e olha para a porta de saída a porta se abre Angel dá um grito
-vamos menos temos que sair agora
Eles descem correndo e Angel está na porta olhando para os lados para ter certeza que eles podem sair  Danilo diz
-ouvimos um tiro que foi
Angel
-tinha um deles na esquina eles devem ter colocado um rastreador no seu carro edu para saber onde vamos e melhor imos no meu
Portuga
-mais o seu estava do lado do edu
Angel
-mais ele não sabem que aquele e meu e se colocasse um rastreador ele tem um bloqueador de rastreador .vamos no meu cabe todo mundo nele
Eles vão e Angel vai olhando para os lados certificando que não a ninguém os seguindo eles. Todos entram no carro Angel que dirige e edu do seu lado e os meninos atrás  e task no colo deles.edu   diz
- e agora para onde vamos exatamente
Angel
-vamos para Guarulhos mais especifico divisa de são Paulo e Guarulhos lá tem uma fábrica de brinquedo antigo e abandonado e fica longe do centro e não seremos incomodado.
Danilo
-que fabrica e essa
Angel
-dos brinquedo estrelas faz tempo que está abandonado e vamos para lá
Ela dirigem e quando chega na fábrica já está começando a escurecer ela para o carro na frente  do portão enferrujado vai abri , os meninos estão dormindo como sempre ela abre os portão e volta para o carro e entra no imenso pátio e vai até um galpão ela desce novamente e abre a porta e volta para o carro e entra com o carro  no galpão ela desliga o carro e chama por edu ,edu acorda e passa as mão em seus olhos e boceja e diz
- já chegamos Angel acena com a cabeça eles dois olhão para traz os meninos estão dormindo e até task tbm edu chama os meninos que acordão e se espreguiça e Angel sai do carro e vai fechar a porta do galpão enquanto isso eles sai do carro e está tudo escuro só o farou do carro está ligado e iluminando uma parte do galpão , Angel volta em direção a eles  todos estão na frente do carro sem saber o que fazer
Angel
-gente me espera aqui  vou ligar a caixa de forca para liga as luzes do galpão
Danilo
-você que que eu vou com você
Angel
-ta. Vamos e do outro lado do galpão
Danilo e Angel  vão com task logo atrás correndo e pulando e some na escuridão  os outros ficarão no carro esperando eles depois de uns minutos Angel encontra a caixa de luz e liga os disjuntores e ala por ala as luzes se acende era um galpão bem grande  perto do carro tinha uma mesa bem brande com uma lona em cima de alguma coisa e do lado direito tinha estande de tiro e no fundo um tatame de luta  e do esquerdo camas e pufe e um monitor bem grande e no fundo uma cozinha improvisada geladeira fogão armário e um balcão longo cadeiras e um armário cheio de comida enlatada e outras coisa tinha um segundo andar com uma escada de fero e uma plataforma de ferro em cima da cozinha e nas paredes vários armamentos parecia que estávamos indo para guerra .os meninos ficam de boca aberta e Angel e Danilo e task volta em direção a eles chegando perto dele ela diz
-então meninos fiquem à-vontade amanhã temos muito o que fazer e fala
Afreim e portuga vão em direção a cozinha
Afreim
-to morto de fome
Portuga
- vamos ver o que tem de bom aqui
Danilo vai senta no pufe e liga a tv ,Angel e edu ficção lado a lado olhando para os meninos edu respira fundo e faz uma cara de preocupado e diz
-eu não devia ter envolvido eles nisso
Angel cruza os braço e fala com uma voz serena e olhando para os Afreim e portuga que estão brigando na cozinha para acharem alguma coisa para comer
-não se cupê edu a gente não tem culpa de estamos nessa guerra que nem nossa e, mais infelizmente de uma certa forma temos que ajuda se não ajudamos a culpa será nossa  por não tentar salvar esse mundo  mais se vocês não me convencesse em trazer eles eu não saberia o que o ortu faria com ele e  não poderia estar aqui se você não se lembra eles me salvarão
Edu olha para Angel e um sorriso sutil surgem em seu rosto .edu olha para aquela mesa com a lona e diz
-o que tem embaixo dessa lona
Angel abre um sorriso para ele e diz
-você vai adora eu garanto
Eles se aproximam da mesa e Angel tira a lona empoeirada e quando edu vê são  computadores de última geração papeladas  e várias peças que ele não sabe nem o que e Angel liga os computadores e se senta numa cadeira edu fica atrás dela ela coloca a senha e abre uma pasta aparece um monte de códigos ,Angel levanta da cadeira e olha para edu que fica olhando o monitor ela olha para edu e diz
- e ai
Edu olha para ela e diz
-e ai o que ??
Angel
-esse e uma parte do códigos que você precisa decodificar .você ta ai olhando para esse monitor não recorda nada que você conhece tipo você não teve uma explosão de ideias
Edu senta na cadeira mias nada vem sua mente
Edu
-não ,não lembro de nada que faça sentido pra mim com esse monte de letra e números
Angel se afasta e chuta uma lata que estava no chão e diz
- não acredito !tem que ser você ,ela disse que era você que era 99% de chance de ser você eu não quero passa por isso de novo de novo não
Os meninos ficção encarando ela se entender o que ela estava falando .edu se levanta e se aproxima dela e abrasa ela por traz que imediatamente se cala e abaixa a cabeça e começa a chora baixinho 
Edu
-me desculpe não queria que você passe por isso atoa e nem tenha sofrido tanto esses anos todos por causa do outro eu, eu quero te ajuda e vou te ajuda só me diz o que fazer
Edu solta ela, ela se vira para ele com os olhos cheio de agua ela coloca uma mão e seu coração e a outra ela coloca no peito de edu ela fica seu olhos em edu, edu coloca a mão sobre a dela que está em seu peito e a outra encima da mão no peito dela ele se olhão e uma palavra sai dele
-eu estou aqui minha pequena guerreira
Angel se assusta e tira a mão do peito de edu e se afasta edu pisca os olhos e balança a cabeça como se ele estivesse em um traze como se por um segundo não fosse ele ,ele se olhão um pro outro  edu diz pasmo
-o que foi isso
Angel enxuga as lágrima com a manga de sua jaqueta e atordoada diz confusa
-eu preciso de um tempo por favor
Angel sai correndo para fora do galpão e vai em direção do imenso pátio que esta eluminado  no meio do pátio ela coloca um joelho no chão e outro dobrado em sua frente ela coloca uma mão no chão  e repete em voz alta para si
-sou uma Angel agora ,  vou luta pelo aqueles que precisão  até quando a guerra  acabar  e quando acabar a minha vida renascera 
edu
-o que significa essa palavras e porque você está nessa posição
Angel
- me deixe só Eduardo
Edu
-você não me chama assim faz tempo
Angel
-porque você tem que se parecer tanto com ele
Edu
-ele quem o que eu sei todos os Eduardo são parecidos
Angel
-não to falando disso sua personalidade e igual e dele
Edu
-dele quem??
Angel se levanta e se aproxima de edu que estava atrás dela .ela olha para ele com um olhar diferente de estrema saudade ela cruza os braço e leva uma mão em direção a rosto de edu e faz um carinho em seu rosto e seus enchem de lagrimas .edu fica olhando para ela  se saber o que fazer ou dizer parecia que ela estava  revivendo um sentimento que tinha deixado muito tempo lá traz ,quando edu tenta aproxima dela ela dá um passo para traz e olha para o chão lagrima cai do  no chão e ela diz
-eu não posso viver isso de novo, me desculpe edu preciso realmente fica só
Ela se vira e sai correndo e some na escuridão da noite ,edu fica vendo ela se ir e olha para as estrela e sem saber o que tinha acontecido o porque ele tinha dito aquilo ,ele volta por armazém e Afreim e portuga estão esmurrando um saco de pancada no tatame ,Danilo está de pé do lado da porta do armazém e diz
-o que aconteceu cara ,aquele não era você e aquela não parecia ser ela ,não uma versão que tinha conhecido
Pin It
Atualizado em: Ter 20 Fev 2018

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222