person_outline



search

Coração Corrompido

 
Olá, Carl, sou eu, seu ex-namorado...

Não sei como dizer isso, mas eu sinto muito por não ter percebido antes, você sempre dizia que estava mal e que precisava de ajuda...

Eu sempre busquei o melhor para nós dois, em nenhum momento em que estivemos juntos eu menti para você, todas as palavras, todos os eu te amo, o carinho, todos os momentos eu ainda me lembro. A primeira vez que nós ficamos juntos eu vi que você era a pessoa diferente, que mexeu comigo depois de muito tempo sem sentir nada por ninguém.
Lembro do dia que eu te liguei, eu sabia que tinha algo errado, eu senti, meu corpo ficou sensível e eu só pensava em você, naquela hora eu já parecia pressentir que algo aconteceria, eu iria na sua casa, eu deveria ter ido na sua casa, esse pensamento me perturba até hoje, esse é o meu maior arrependimento, ter demorado tanto para te encontrar...

Pouco tempo depois recebi uma ligação de um amigo... 
Ele disse: Carl está no hospital, desce aqui em casa que vamos lá agora!
Meu amigo soube da notícia exatamente 15min depois deu ter desligado a nossa chamada, meu amigo morava na mesma rua que a minha, então foi bem rápido chegar até a sua casa. Ele me mostrou as fotos no celular, do seu braço, do texto que você mandou, vi a mensagem que você mandou no meu celular, dizendo que me amava e que aquilo era o melhor a se fazer no momento, sem arrependimentos, sem remorso, apenas o adeus, depois daquilo meu mundo desabou completamente...

A gente saiu correndo para te encontrar na sua casa, na chuva, com frio e com o peito doendo tanto, foi a caminhada mais longa que já fiz, o tempo não passava e as ruas pareciam maiores do que o normal, no caminho eu nunca tinha me sentido tão desesperado e angustiado, porque eu não fazia ideia do que eu poderia fazer para tentar ajudar, melhorar, eu só queria que tudo aquilo fosse um sonho, que não estava acontecendo, mas era real.
Quando a gente chegou até o hospital e eu te vi sentada, tremendo sua perna, o sangue no braço e no chão, um pedaço de mim quebrou, passou um filme pela minha cabeça, tudo que nós vivemos, lembrei do dia que a gente terminou e eu me arrependi tanto, lembrei de que talvez depois daquela festa do dia anterior, a nossa despedida tão corriqueira de fim de noite, seria o nosso último beijo, nosso último encontro.
- Eu me despedi de você dentro do carro e agora... (as lembranças do dia anterior ainda passavam pela minha cabeça)
Enquanto a médica falava sobre os remédios que estavam na sacola ao meu lado (mais de 200 comprimidos ingeridos ao mesmo tempo, uma morte indolor, mas ao mesmo tempo devastadora o suficiente para mim), eu olhava para ela e não acreditava, como uma pessoa foi tão fria ao tomar aquela quantidade sabendo de tudo, com consciencia sobre o que estava fazendo, e mesmo assim, você ria, eu podia sentir o desespero, as lágrimas...

 - Eu só pedi um beijo, e que você ficasse bem...(mais um pensamento de arrependimento vem a minha cabeça junto a memória do dia anterior)
Parecia que eu já estava sentindo algo errado depois daquela festa, pensei que era necessário, porque algo iria acontecer, e no momento só podia pedir isso, você já estava indo embora, não tinha como eu ir, não tinha como adivinhar que você desistiria de tudo logo naquele domingo.

Eu me lembro da sensação quando me disseram que você foi intubada e que não iria voltar, que tudo tinha acabado, que aquela foi a última vez para sempre...
Eu nunca chorei tanto na minha vida, minha alma sangrava, meu braço, minhas pernas, meu coração doía, não conseguia nem por 1 segundo parar de pensar que tudo aquilo era, querendo ou não, uma parte culpa minha.
Então se passaram os dias, eu sempre buscava notícias, alguns parentes seus mandaram mensagem para mim perguntando se eu sabia de alguma coisa, alguns também me informaram como você estava, e diziam que estava cada dia pior, que não iria voltar, mas eu ainda pensava positivo apesar de tudo.
Uma vez eu fiquei tão desesperado que mesmo com ninguém na sua casa, eu passei lá, eu te chamei, esperei, sozinho, pensava que você iria estar lá, que tudo era um sonho, que você iria correr para abrir o portão com um sorriso no rosto como sempre fazia, que a gente iria ter mais um dia ouvindo música juntos no seu quarto, viraria a madrugada vendo filmes do Harry Potter ou dançaríamos juntos, como você tinha me prometido...
Sempre passava um filme na minha cabeça de como tudo era tão sensível e frágil, um dia você estava comigo sorrindo, juntos, e no outro só um vazio, sem você do meu lado, não poderia mais te abraçar, sentir o calor do seu corpo, te beijar, rir com você, tudo isso me destruiu completamente, me vi ali sentado, em prantos, sem cantos, só o silencio e os carros passando, um eterno desencanto.

As pessoas tentaram me acalmar e me colocar na realidade de novo, que minha vida não podia parar, eu tinha que continuar apesar de tudo, que você estava no hospital e não morta (como se isso aliviasse alguma coisa), mas eu entendo que só queria o meu bem, me ajudar. Tentei visitar você algumas vezes, mas fui barrado, ‘’apenas para familiares’’ a moça disse...
Mas eu só queria uma notícia, te ver, não conseguia acreditar que tudo aquilo estava acontecendo, queria que nunca tivesse acontecido.
Fiquei muito tempo pensando, tentando entender, e vi que era escolha sua, mesmo que se eu tivesse ido até a sua casa naquele dia, talvez você tentaria no próximo, na próxima semana, mês, não sei, mas eu entendi que não estava em minhas mãos.
Nada me acalmava, beber, fumar, beijar outras pessoas, ficar completamente chapado, NADA, a única coisa que me dava alguma esperança era ver nossas fotos, dos momentos felizes que tivemos, dos sorrisos, a minha última recordação foi quando a gente foi para Transilvânia no halloween, eu queria você, só você, você me dava vida, mas eu fui um idiota de não ter ficado perto de você, (mas você nunca me quis, eu sou um tolo mesmo...)

Depois de 1 mês e meio com você no médico, disseram que seu quadro tinha estabilizado, conseguiu acordar, conseguiu apertar a mão do seu irmão, ele até me mandou o vídeo, aquilo me deu paz, esperança de que tudo iria ficar bem, mesmo assim eu ainda chorava desesperadamente em imaginar que eu poderia ter te perdido, que você iria embora não sei pra onde, enquanto eu pensava que você iria voltar o mais rápido possível, eu ainda tinha medo porque o quadro não era certo, não se sabia se era estável, se você iria mesmo voltar a andar, falar, reconhecer as pessoas que te ama... Foram momentos de completa angústia para mim.

E pra piorar as pessoas perguntavam todos os dias, sobre o ocorrido, sobre você, sobre como eu não fiz nada para te ajudar, como eu não percebi, porque eu te deixei sendo que você precisava de mim, por que o suicídio? por que você iria embora? Por que me deixou sozinho? Eu errei com você, merecia isso... Vários porquês, várias certezas incertas que eu nunca vou saber responder, mas eu estava lá, sempre, e você me abandonou.

Isso me sufoca, eu queria ser um amigo suficiente, uma pessoa melhor, importante para você, mas eu me senti um lixo, e nada disso é culpa sua, nunca NUNCA foi culpa sua.Quando eu soube que você iria sair do hospital a primeira coisa que lhe mandei pelo celular foi:
‘’Para onde você vai? Vai morar sozinha?
Eu queria te ver, mas eu ainda estou com medo... eu te amo, muito, do fundo da minha alma, do meu coração, por toda minha vida, você me mudou, me fez melhor, me fez querer ser uma pessoa melhor no mundo, me inspirou, me fez feliz, me fez querer aprender sobre outras histórias, me fez sentir vivo depois de muito tempo.
Eu espero que você fique bem, me mande notícias''

Mas o que eu descobri depois, quando você me deixou... me fez ter medo de você
eu estava lá, salvei sua vida, e você me trocou, não sei como alguém é capaz de fazer isso, mas aconteceu comigo.
Continua...

(BASEADO EM FATOS REAIS)
(NOMES, ENDEREÇOS E PERSONAGENS SÃO FICTÍCIOS NESTA HISTÓRIA)

Pin It
Atualizado em: Sex 10 Jun 2022

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222