person_outline



search

[Cartas] MANIFESTO

A vida é impermanente e isso é difícil de aceitar, embora seja muito fácil reconhecer.
Nada é estático. Quando eu falo de impermanência, me refiro à inconstância exatamente sobre qualquer coisa. Nós envelhecemos, a paisagem da cidade é alterada, as estações mudam, a natureza se transforma. Nada é permanente, tudo está em uma constante mutação.
E essa inconstância da vida me leva a identificar que as pessoas também não são constantes.
De toda impermanência do universo a que mais me intriga é a inconstância das relações humanas, das conexões com as pessoas.
Assim como os vínculos também, em geral, não são. Posso listar inúmeras idas e vindas, chegadas e partidas. São muito comuns.
Inúmeras são as pessoas que conheço e que, por algum momento, a presença de cada uma delas nos meus dias fez sentido. Especificamente ali naquele lapso de tempo, naquela conjuntura, naquelas circunstâncias. Foi importante naquele instante, talvez para que eu pudesse receber ou entregar algo ao universo.
Não irei demorar em razões, por isso adianto que nos últimos meses foi possível identificar isso com muita clareza. As pessoas que fizeram sentido durante um momento e, por isso, sem nos darmos conta, a distância ou as pequenas ausências findaram o vínculo.
Não fui uma criança rodeada de amigos, apesar de na minha adolescência ter conhecido muitos rostos e ter convivido com alguns. Inclusive, quando jovem, abraçada por amigos que ficariam como gatos-pingados num estreito salão.
Posso não ter inúmeras pessoas na minha linha de aconchego, mas as que me impedem de ousar em dizer que estou sozinha.
Prefiro estar ao lado de poucas pessoas, construindo e mantendo um laço puro com elas, do que rodeada de gente sem manter conexão alguma.
Mergulho e por isso o raso não me cabe.
Ademais, já vi e vejo a todo instante pessoas banalmente incluídas num rótulo familiar, quando na verdade, pelos próprios relatos, sequer são dignos de tal título.
Talvez por um olhar debruçado ao meu entorno, tenha me frustrado com a liquidez das relações e por isso já não espero nada mais das pessoas que me olham e não me veem.
Todavia, deve ser justamente por isso que valorizo ao extremo aquelas pessoas que não têm temor em dar-se.
Quando digo “dar-se”, me refiro a ser autêntico, mostrar a sua parte mais pura, que não necessariamente apenas os detalhes bonitos, à outra pessoa.
E, nessa verdadeira coisa, de forma entusiasmada, com boas intenções, de coração aberto, sentindo gratidão a si mesmo, doar-se a cuidar, ouvir, ensinar, ajudar, compartilhar e acolher outra pessoa. Inclusive, isso diz mais sobre nós mesmos do que sobre o outro.
São essas pessoas que quero manter comigo até o fim dos meus dias, ou melhor, até quando essa vida inconstante me permitir.
Com esse mesmo olhar decaído sobre o que há de mais importante nessa passagem, que afirmo com muita certeza para determinadas pessoas: “você é para mim uma dessas pessoas especiais”.
Amizade e família me é decorrente de um laço afetivo e não sanguíneo. Acredito que nós escolhemos a nossa família. E é com muito prazer que digo em voz alta, em qualquer ocasião, seja lá a quem for, que você, ele, elas ou eles fazem parte da minha família… parte da família que ganhei e/ou também da que escolhi.
Quero muito, quero muito! Jogo isso ao universo! Peço e manifesto para que o meu desejo se concretize! Quero fervorosamente que cada um deles permaneça na minha vida até o meu para sempre, ainda que o meu para sempre possa ter tempo distinto dos deles (sejam dias, minutos ou segundos).
Isto, para dizer que enquanto eu viver, quero a sua presença nos meus dias.
Obrigada pela doação, obrigada pelos inúmeros conselhos, obrigada por me encorajar, obrigada por acreditar em mim, obrigada por verdadeiramente me olhar e me ver … obrigada por cada uma das memórias, obrigada por estar comigo em todos os momentos e, por isso, torná-los especiais.
Desejo com muita força que isso jamais mude. A vida é tão inconstante e então eu desejo com muita força mesmo.
Saiba que ainda que outras pessoas possam me ouvir e ainda que outras pessoas possam guardar meus segredos, nenhuma delas é você.
Cada ser nos atinge de uma forma diferente. Pessoas não são substituíveis, ainda que possam ocupar o mesmo papel. Somos feitos de inúmeros e preciosos detalhes.
Dentre cerca de 7 bilhões de pessoas, somos mais um na multidão. Todavia, quando cativamos outrém, passamos a ser individualizados. E quanto ao porquê do cativo, isso somente cabe a cada um de nós responder.
Uma vez algo de cativo, você se torna único.
Você me cativa. Hoje, você é felizmente inevitável na minha vida.
Sou agradecida pelo universo ter me dado a oportunidade de trilhar essa vida com você.
Vejo que temos um vínculo muito bonito. É desses vínculos puros que estava discorrendo.
Não há distância, não há tempo que possa diminuir o que sinto e a importância da sua existência nos meus dias. A vida pode ser inconstante mas eu sei que essas coisas que apontei agora não são.
Sinto que somos mais. Não é qualquer laço que podemos denominar. Posso afirmar que tem amizade em nossa relação, mas não se resume à isso.
Para o que precisar e o que estiver ao meu alcance, sempre vou estar aqui por você. Sempre vou estender a mão, dar um abraço apertado e um beijo na testa com carinho.
Aliás, tenho uma confissão a fazer, gosto muito das nossas conversas. Especialmente, sobre fé e as nossas suposições quanto a razão de estarmos aqui ou mesmo o porquê de sermos tão falhos.
Nesses diálogos que se prolongam você mostra pontos de vistas de coisas que eu jamais havia reparado. O último que trouxe me fez repensar a minha forma de oração e isso mudou tanto a minha relação com o externo. Você não faz ideia do quanto eu precisava disso.
Sabe, nos últimos meses eu tive sim medo de perder você. Digo “perder” em sentido amplo… seja pelo parar do seu pulso ou seja pela tomada do seu eu pela indiferença, para com a vida, com todos e consigo.
Aliás, me desculpe pelas minhas ausências. Vou procurar estar fisicamente mais presente.
Quero você para sempre nos meus dias. Quero uma velhice tranquila tomando café e comendo bolo, falando de livro, dando risada e principalmente compartilhando e memorando nossas experiências. Quero longas caminhadas na orla da praia.
Sei que sempre me prolongo, tenho inúmeras palavras e talvez a minha fala não seja a que você esperava nest aocasião. O meu intuito neste momento é fazer com que você tenha certeza de que é especial e alvo de amor. Amado com todos os seus charmes, imperfeições, detalhes, berros e risos. Jamais ouse duvidar da importância que você tem para mim.
Dentre 7 bilhões de pessoas no mundo, você é uma das poucas que até neste instante me cativaram. E eu valorizo tanto isso. Valorizo tanto o que eu sinto….
Você está na minha vida e eu estou na sua por um propósito. Não sei qual, mas ele certamente é bom. Realmente não faço a mínima ideia, mas acredito que estamos caminhando nisso.
Somos humanamente falhos. Todavia, podemos a cada dia buscar nos tornarmos pessoas melhores. Melhores conosco, melhores com quem amamos, melhores com a vida. Eu espero que possa ter um impacto positivo sobre a sua.
Quero continuar a ser um ombro amigo, porto seguro, refúgio. Quero ser alguém que te influencie a ser uma pessoa melhor e/ou a ter dias melhores, dias mais leves.
Acredito que um instante tem um potencial enorme para determinar a nossa sensação e percepção de todo um dia e, para mim, nada compra um olhar sincero, um abraço acolhedor, um ombro amigo, um beijo terno, os instantes de riso… a doação pura e sincera de quem dá decoração aberto sem esperar nada em troca.
Eu amo você. E, apenas para deixar claro, o fato de amar abarca, por óbvio, a minha imensa admiração, o meu respeito e o meu desejo de que tenha saúde, picos de felicidade, choro de alegria e inúmeros daqueles instantes gostosos em que nos damos conta de que amamos, que somos amados e que o mais valioso da vida certamente não é nada material.
Esclareço que não quero tornar o meu discurso pesaroso, mas tenho um lembrete importante:
Hoje é um marco. É o fim de um ciclo e o início de outro. Há sempre uma dualidade, a vida é inconstante, lembra? Sim, o amanhã é novo, mas a gente não sabe quando o hoje, o amanhã ou a semana que vem será uma nova ou a última chance. Busque o seu melhor, busque e distribua amor. A nossa vida é ampulheta e não sabemos quando cairá o último grão de areia.
Mas, de uma coisa eu tenho certeza…. até quando cair o último grão de areia, sendo esse meu para sempre, eu vou continuar amando todos a quem hoje amo…. e você é uma dessas pessoas.
Por fim, desejo evolução como ser humano, nos seus ideais do que é evolução.
Pin It
Atualizado em: Sex 12 Nov 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222