person_outline



search

Deixe o Karl Cair - 8/9 Tomás

Tomás entrou no colégio nesse então   ano, chegou "incomodando" porque sabia muito sobre determinadas matérias: história, geografia e filosofia.
   De tudo que pude entender dele, de fato nunca entendi como alguém que sabia tanto de filosofia se recusava a entender sociologia.
   Era como se ele já soubesse ou estivesse pressentindo o peso da responsabilidade que carregava ou um dia carregaria.
   Tenho que admitir que sempre enturmo com os novatos, já que não é difícil se perder em um lugar que você não conhece. Além disso, era uma coisa que eu gostaria que tivessem feito por mim e não fizeram.
 
  [Quando cheguei, fiz parte de uma turma de recém-chegados de outras escolas, todos 100% perdidos.]
 
   Eu não sabia se ele era uma pessoa amigável ou contida. No geral estava mais para a segunda opção. 
   Desde o dia em que ele entrou até a data em que saiu - formado inclusive - muita gente tirou sarro da cara dele, de seus ideais, valores, posicionamentos políticos... até do nome.
   Creio que no Ensino Médio esse garoto conseguiu encontrar o seu lugar em meio aos grupos. 
   No primeiro ano estava tudo tranquilo e ele parecia muito bem.
   Mas a visão política dele fez grande parte das meninas se afastarem, como estamos falando de Ensino Médio é claro que tinha grupinhos formados e muitas "Maria vai com as outras" digamos assim. 
   Não sou do tipo de pessoa que se arrepende fácil, mas admito que senti muita falta dessa amizade.
 
> Dito isso, dando sequência à história, agora não mais no fundamental, mas no ultimo ano do E.M.
 
Capítulo 8 
 
 
O terceiro ano
 
    Imagine que você tem um ideal, uma ideia de sociedade que teoricamente contribuirá para o país em que vive ser melhor para todos, TO-DOS.
   Lembre-se desse todos.
   O político que ele admirava venceu, o partido que ele defendia cresceu, e nesse terceiro ano faziam-se 1 ano de mandato de um presidente que foi idolatrado, mas também quase morto.
   Dentro do que sei, a intenção desse rapaz e a admiração dele por esse então eleito presidente tinha a melhor das intenções.
   Não acho que Tomás tenha confiado cegamente em despotismo, mas ficou sem opção. 
   Porque no final das contas é a quantidade que decide, não a qualidade*
 
*Essa citação só faz sentido no contexto, porque fora dela não poderia estar mais errada.
Não vou dizer se ele está certo ou errado, porque essa é a minha visão das coisas. Quero que você leitor, tenha e de fato merece, posicionar-se como achar melhor.
   A teoria é sempre diferente da prática, leia a declaração dos direitos humanos ou o estatuto da criança e do adolescente por exemplo.
 
 [Está na hora de introduzir mais um romance para vocês... sim, a história vai ganhar um pouco mais de cor agora, desfrute-a.]
 
Capítulo 9 
     Contrarevolução e Anarquia
 
 
   Anarquia não passa da ausência de um poder maior, de uma ordem, Estado, leis. A anarquia peca em saber que ela também é uma regra.
   Tudo aquilo que te impede de ser 100% selvagem, é uma proteção de sua natureza animal instintiva. 
   As emoções são processadas primeiro que a razão. Então, é mais fácil que você se lembre do perfume de uma determinada pessoa ao invés do dia, data e hora em que isso aconteceu.
   Não lembro a data e hora da primeira vez em que vi o Kaio, mas lembro perfeitamente o cheiro do seu perfume.

 

Pin It
Atualizado em: Seg 8 Fev 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222