person_outline



search

O QUEBRA CABEÇA DE UMA PEÇA SÓ!

A grande questão do nanismo mental nos tempos modernos!
 
   Sabe aquelas pessoas que para todos os tipos de problemas do mundo apresentam a mesma solução? Me pergunto se realmente elas esperam a solução dos tais problemas ou se querem apenas ganhar notoriedade falando besteira diante de outros que também compartilham da mesma “largueza mental”.
   Os tais que assim “filosofam” são como montadores de quebra cabeça de uma peça só, pois basta desvirar a figura e ali surgirá a imagem já formada, evitando assim qualquer tipo de raciocínio e lógica para rearranjar as peças no modo correto, já que em tal brinquedo só há uma peça.
   O quebra cabeça nesse caso seria um retrato. Uma foto de um cristo, um judeu mistificado nos últimos 1700 anos, filho de uma pomba e uma virgem, que ao se tornar adulto, do nada ganhou poderes mágicos e se tornou igual a deus, adquirindo inclusive a eternidade e o poder de salvar ou condenar os “pecadores”.
    Os possuidores desse “quebra cabeça mágico”, para todos os problemas dos homens, do planeta ou da galáxia, terão sempre as mesmas respostas. As mais comuns são: “isso é falta de deus no coração”; “isso é obra de deus”; “isso é coisa do diabo” ou “isso é fruto do pecado”!
  Eles podem apresentar as soluções usando as palavras nessa ordem, ou para encurtar as respostas e argumentos (até por que nãos os possuem) dizem apenas: “jesus é a solução para todos os problemas”!
  Já pensou? Uma sociedade tão complexa, num mundo tão fabuloso, com centenas de variantes, com infinitas possibilidades e o sujeito para todos os casos emite uma resposta de para-choque de caminhão. Tem coisa mais pobre que essa?
   Filósofos e pensadores seriam abortados nos primeiros segundos de gestação de seus pensamentos se por essa régua eles tentassem medir seus intelectos. Cientistas, virologistas, microbiologistas, biólogos, matemáticos, e todos os tipos estudiosos ligados as humanas, as exatas ou a qualquer tipo de ciência. Se jesus é a resposta pra tudo, não há nada para buscar, entender o explicar.
   Essa frase é tão forte e “tão verdadeira” que após a covid 19, os conceitos de “deus que tudo pode” e “deus que tudo cura” terão de ser revisados e os pastores curandeiros terão de contar outras lorotas quando quiserem arrancar dinheiro fácil do povo.
   Alguns desses ungidos só estão esperando a vacina começar a surtir efeito para poderem lotar os templos com gente amedrontada e dizer: “jesus foi a solução para tudo, como havíamos dito” ....
   Isso depois de cientistas e ministros de todas as áreas sofrerem o pão que o diabo amassou para conseguirem uma solução ou pelo menos um paliativo para tal problema, para que depois de tudo pronto, vem alguns destes tentar levar crédito pelo trabalho dos outros.
    Essa questão de querer achar ou apontar uma solução para todo tipo de problema é em si um grande problema! Primeiro que nem todo problema é um problema! As vezes é apenas um ponto de vista de um observador. Em outros casos é apenas o curso natural das coisas ou da natureza. Um exemplo disso são os de pessoas que ficam tentando a todo custo mudar o comportamento alheio. Se o outro é sorridente, é pegador, é tímido, é extrovertido, é rico, é articulado...isso não é um problema no outro! É um problema de quem deseja mudar o outro! Um problema de inveja, de raiva, de sentimento de derrota em relação ao outro...daí vemos uma pessoa abobalhada tentando mudar a todo custo o comportamento alheio ao invés de tomar conta da própria vida. Isso é um problema, e que o formulou é quem deve resolvê-lo.
   Outro fato notório é o crescimento! Crescer é um processo natural de todo ser senciente! Tudo que é vivo estar sujeito a crescer e evoluir e isso não é um problema, é um ciclo natural, as vezes é uma solução! Nós é que as vezes não sabemos como lidar com nossas emoções em relação ao crescimento alheio. Queremos que tudo fique estático e não reaja, que tudo fique em nossa zona de conforto. Mas tudo que é vivo tende a procurar o próprio caminho.
  Um exemplo disso são filhos adolescentes que temporariamente voltam suas atenções para outros assuntos que não sejam os seus pais e o seu lar. Ou então na fase adulta, quando os filhos saem de casa e os pais se veem diante da síndrome do ninho vazio se sentem desprezados ou impotentes.
   Isso não é um problema! É algo natural, tão natural quando a morte que chegará para todos, inclusive para os pais, e poucos de nós a aceitamos, e as vezes culpamos os deuses e todos os sistemas políticos, médicos, civis e militares por uma morte comum de um ente querido nosso, como se o objeto de nosso apreço fosse tão importante a ponto de ser proibido de morrer.
   No geral, os líderes religiosos são as pessoas que mais apresentam problemas na vida. Problemas que nem sequer existe e nem se quer deveria existir se eles não os trouxessem à existência. Eles vendem os problemas para depois apresentar as soluções.
   Nenhuma solução é gratuita, todas elas têm um preço! Umas irão custar 10% de seu faturamento perpétuo enquanto tu viveres e ocupar o espaço deles e outras irá custar a tua subserviência e conivência eterna a eles e a toda uma hierarquia sustentada com o suor de pessoas honrosas, fieis e em grande parte respeitosas, porém amedrontadas e iludidas.   
    De um crente que experimentou às escondidas um copo de vinho até um casal gay que está trocando afeto do outro lado do mundo entre 4 paredes sem interferir com a vida de ninguém, eles fazem disso um problema, um grande problema que desperta a ira de deus, cuja ira só poderá ser aplacada com jejuns, orações, louvores, penitencias e muito dízimo. Dinheiro sempre acalmou os deuses em todas as eras. Eles gostam desse tipo de oferenda mais do que todas as outras.
     Culpar uma pessoa por algo que ela não fez e as convencer que elas têm parte nesse “pecado” universal é a maneira mais eficiente de escravizar uma pessoa. Quando eles conseguem isso, conseguem manipular a pessoa a fazer ou acreditar em qualquer coisa que eles querem ou dizem, e tais coisas que eles culpam ou acusam as pessoas não tem nada a ver com ela e na maioria dos casos com ninguém na face da terra. São apenas fenômenos naturais.
    Terremotos, ventos, furacões, tempestades, enchentes e secas por exemplo, são fenômenos globais, naturais e anteriores ao surgimento dos homens e animais nesse planeta, porém eles insistem em dizer que isso é fruto do pecado, da desobediência humana desde o Éden por isso deus está irado e irá castigar (ou acabar) com todo mundo.
   Mentirosos, salafrários e vigaristas são todos os que fazem esse tipo de afirmação! Os que por ignorância afirmam isso, ainda que não seja um mau intencionado, é um “papagaio das trevas”, um “emissário do capeta”, que fica apenas repetindo o que não presta, com preguiça de pesquisar, se fechando a todo o tipo de conhecimento cientifico para arrebanhar adeptos pelo melodrama, enquanto ganha afagos ou cargos eclesiásticos dos chefes maiores e mais entendidos.
   Fomes, guerras, homicídios, roubos, estupros e chacinas não são coisas novas. Desde quando o homem é homem e mesmo antes de qualquer deus “existir” como objeto de culto que o as pessoas já exploravam, escravizavam e oprimiam uma as outras.
   A evolução das leis, a divisão das terras, do trabalho, das relações maritais e comerciais e o aprimoramento dos recursos tecnológicos puderam amenizar esses problemas cada vez mais.
   Enquanto as pestes...bom, quando falamos nisso, precisamos saber de que peste estamos falando, e sobre que ponto de vista estamos vendo. Se do nosso ponto ou do ponto de vista dos animais, insetos, plantas e todos os tipos de microrganismo que nós na maioria das vezes com o nosso comportamento desembestados, movidos pela usura, ganancia, luxuria e avareza destruímos.
   Se nos referirmos como peste aos microrganismos, eles também evoluem e fazem isso de modo diferente em hospedeiros diferentes. Tão natural quanto o que fazemos, procurando em todos os tempos locais habitáveis, com abundância de alimentos e de fácil procriação.
   Eles também fazem o mesmo e sempre estiveram aí em todas as eras e em quase todos os lugares. Há vários relatos históricos sobre os tais, inclusive sobre civilizações inteiras que desapareceram “do dia para a noite” sem deixar rastros, o que se leva a crer que algum tipo de contaminação bacteriana ocorreu, matando a todos os moradores em um curto espaço de tempo. Quando não eram humanos eram animais, e nem se quer havia pastores e padres para culpa-los ou “salvá-los” em alguns casos.
   Outro fato é que à medida que avançamos em tecnologias, mergulhamos mais, escalamos mais, escavamos mais, e adentramos mais e mais em matas e cavernas que nunca antes havíamos estado. Onde há um bicho vivo, com certeza haverá um ou vários outros organismos inseridos nele e que aos termos contato com tal criatura estaremos expostos e indefesos no primeiro contato até que nosso corpo reaja ou morra.
   Fora a contaminação externa, o risco de contaminação interna por meio de ingestão de alimentos se tornou cada vez maior, primeiro pela contaminação geral de quase tudo o que tocamos, segundo é que a nossa culinária se tornou cada vez mais exótica e diversificada (além de macabra) fazendo com que muitos de nós passássemos a experimentar todos os tipos de bichos, plantas e coisas até pouco tempo tidas como intragáveis.
   É o que se afirmou a principio desse novo vírus, que se atribui ao consumo de morcegos num mercado chines.
    Isso é então um problema? É castigo de deus? É por que o homem pulou carnaval em 2018 e chicoteou a figura de cristo? É por causa dos LGBTs no mundo? É por causa das dos potes de maioneses com rótulos de “duplo sentido?
   Claro que não, é apenas uma reação! Para toda ação há sempre uma reação. Simples assim!
   Se há um problema nisso tudo, esse problema consiste no fato de não estarmos preparados e não sermos tão humanos a ponto do que achávamos que éramos, a exemplo daqueles que em períodos tenebrosos como esses, desviam dinheiro e recursos destinados ao tramento de enfermos e prevenção da doença em causa própria! Isso é um problema, e a solução se chama cadeia. E não precisa de deus ou diabo para resolver. Nós mesmos podemos fazê-lo, até por que na maioria dos casos foram “gente de bem” e “servos de deus” quem fizeram tais desvios. Alguns até se propuseram a vender feijões milagrosos à preço de outro prometendo a cura (a solução).
    Isso também é um problema que se cura com ciência (para o povo) e cadeia (para o malfeitor). Esse tipo de problema não se cura com o quebra cabeça de uma peça só, até por que a imagem desse quebra cabeça é a raiz desse mal.
    A era do mandingueiro, do curandeiro, do feiticeiro (no sentido pejorativo) deveria ter morrido no final do século 19 com o surgimento dos primeiros aparelhos microscópios e telescópios que possibilitou um melhor entendimento do micro e do macrocosmo.
    Elas deveriam sumir, serem extintas, mas como tudo que é vivo evolui, elas também evoluíram. Eles deixaram de usar aquelas roupas espalhafatosas, não se cobrem mais com penas ou peles de animais e nem ficam urrando para os astros ou falando com restos de animais mortos para encontrar a solução dos problemas dos seus clientes.
    Hoje eles usam ternos, relógios e carros caríssimos. Possuem mansões, cadeiras no parlamento, falam bonito e sentam-se à mesa com várias autoridades civis pelo número de seguidores que possuem, apenas por isso, nem sempre por mérito.
    Apesar de bem vestidos e “importantes”, não deixaram de ser mandingueiros. Continuam metendo medo no povo, ameaçando-os com inferno, praga, fogo, enxofre e uma vida de maldições se não estiverem com eles ou a eles não se submeterem.
    Continuam apresentando soluções pífias para problemas sérios, achando que tudo se resolve com jejum, oração, lendo a bíblia, cantando louvores ou pagando dízimo.
    Continuam em certos casos sendo antipático às ciências para depois se valerem dela. Fazem tudo isso usando uma bíblia, dentro de um templo bem ornamentado ou fora deles. A mente das pessoas continua sendo o principal campo de batalha destes.
     São homens que infantilizam outros homens e os deixam perpetuamente atrofiados, com pouca ou nenhuma capacidade cognitiva para os reais problemas da vida, pois veem tudo apenas de uma única ótica, ou seja: para todos os problemas, acham que jesus é a solução, como no caso do quebra cabeça de uma peça só.
     A boa notícia é que apesar de toda influencia que eles atualmente possuem, é opcional submeter-se aos tais hoje em dia. Houve uma época em que romper com eles ou com a igreja era assinar o próprio decreto de morte. Depois da era das luzes e de muito sangue derramado pela liberdade de expressão muita coisa mudou e aos poucos a liberdade vem ganhando forma.
     Você pode viver apontando apenas uma solução para todos os problemas da vida ou pode enfrentar o “gigantesco quebra cabeça da vida” com milhões de peças que podem ser realocadas sempre que uma nova resposta surgir.
    Esse quebra cabeça não é fácil, porém é divertido! Ele nunca termina, pois ainda que a tua vida acabe, outros darão continuidade a ele. A tua própria vida faz parte desse grande quebra cabeça, bem como todos os seres vivos e não vivos nesse vasto universo. Ele nunca termina, está em eterno estado de construção e as peças podem ser realocadas sempre que nossa mente se expande.
    Em certos casos só com a ajuda da história, filosofia, geologia, matemática, química ou física conseguiremos montar algumas peças. Em outros será a lógica e a razão quem irão unir uma coisa à outra. Em todos os casos, aquele que move a peça, também é uma peça do tabuleiro e só entendendo isso será possível mover e ser movido simultaneamente sem atrasar “a vez” de ninguém. Em certos casos, poderá afirmar definitivamente que não quer e não vai ser removido por ninguém (quando constatar que o outro jogador é do tipo que só tem uma peça e deseja pôr fim ao jogo no tabuleiro).
     O nanismo é causado sempre pela falta de nutrientes numa certa fase da vida. O nanismo mental é causado por querer dar sempre as mesmas respostas para os mais variados problemas (quando se tem) da vida.
     Não se deixe diminuir! Avise aos mandingueiros e curandeiros baratos que você não quer respostas prontas, que a maior aventura da vida é encontrar as respostas, vivenciá-las ou rejeitá-las e não receber tudo “de mão beijada”. Diga a eles que essa história de que “jesus tem um plano em sua vida” é balela, conversa de mandingueiro sem noção.
     Seu destino não está traçado. Sua história também não. Sua condenação não será em um futuro próximo por um deus maldoso. Será por você mesmo que se deixou guiar por mentes pífias que nada poderiam te oferecer além do medo, ódio, ignorância e arrogância.
     A sua salvação está no modo como você vive a sua vida. Está no aqui e agora, na construção diária de sua mente e corpo, no amadurecimento de suas ideias, na forma como você ver o mundo e como você encara (ou controla) suas emoções.
  Você pode fazer de sua passagem na um verdadeiro paraíso e para isso não precisa de drogas, álcool ou orgias sexuais sem fim! Basta apenas viver um dia de cada vez, estudando o mundo e a você mesmo e aproveitando cada momento como se fosse o único (pois é mesmo!). Do mesmo modo você pode permitir que os outros façam de sua vida um inferno, dizendo como viver, o que fazer, o que sentir, o que pensar, a quem odiar e a quem “amar”. Tudo isso baseado na hipocrisia e utopias de “homens de deus” e seus “sagrados ensinamentos”. A escolha é sua. Se isso é um problema ou uma solução, caberá a ti definir com a mentalidade que tens.
  Salve-se dessa geração perdida (da geração que tem apenas uma resposta para todos os problemas)!
REVEJA SEUS CONCEITOS!
Saúde e Sanidade a Todos
Pin It
Atualizado em: Dom 7 Fev 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222