person_outline



search

Colapso

Me vejo sentado olhando a TV
Vendo sentado tudo o que ocorre
Vejo caminhos onde eu não seguí
Desafios em que você corre

Agora na estrada vejo o que passou
Ligado em um mundo em que eu nunca ví
Olhando por caminhos onde tudo se foi
Aqui acontece sempre o mais do mesmo

Cuidado com ele, ele é tão bacana!
Mas não se engane não, corre se não tu apanha
-Veja você mesmo mas bem daqui
Mesmo de tão longe pode até chegar aí

Mas não pode andar para trás
Siga o caminho que você faz
Escolhas contraoversas de toda a familia
Não se importe e siga tua trilha.

O velho na esquina lendo os jornais
Na verdade vê tudo o que você faz
Tu já não tem escolha, para pra vê
Nada acontece do jeito que tu quis

Mas você quer uma solução
E não consegue dizer não
Tudo que você sabe agora será
Diferente em um outro lugar

Se é um novo amor
Então não se engane
Sinta o que for
Mas não reclame
Se você não acha que ninguém te responde
Se Deus não existe ou existe pra ti
Se você reconhece que o mundo está ao seu favor, mas não.

Estou com raiva, estou bufando
Não encontro caminho em lugar nenhum
Estou preocupado não consigo achar
Oh Deus, indique o caminho não sei mais esperar por mais nenhum minuto!
-Aguarde um momento- eu não consigo esperar!
-Ache meu filho, mas não me incomode!

Cuidado no caminho pode haver urubus
Cuidado com os anjos que você pois a mão
Se esta é justiça que você quer
Então não me culpe quando morrer
Trabalha o dia inteiro e não consegue nada, aí a culpa é sua?
Você é um sujeito direito não atrapalha ninguém
Não rouba, não mata e não inflinge leis
Mas cidadão não me culpe do mal feito, um politico sacana aperta a sua mão e te rouba dinheiro!

Não mais, não mais
No more, no more
Não acredito que eu seja talvez, um menos pior, um santo entre tantos em meio a ninguém
Não quero falar em inglês, em japonês, alemão, francês, ou não sei "quê"
Um sujeito humilde, um cidadão perfeito, ninguém é perfeito! Um sujeito normal!
Sem crenças, sem pele, sem nada sem graça. De jovens e pequenos de familias reais, do pobre ao feio e estranho, tudo é tão normal!
Por que que tu indica que não tem direito? Seja qual a classe, tua grana ou social. A casa ou a mansão que você dorme, no fundo do poço, embaixo da ponte.
Qual caminho que você escolhe, escolha direito!

Bye, bye
Tchau, tchau
Você que tem um nome, seja feio, pobre, sujo, largado na estrada
Abandonado, quase morto, ferrado. Está sem rumo? Mas importa? Teu direito? Se foi

Um colapso é tão normal
Brigas e assassinatos, isso é tão normal!
Violência, ódio e incompaixão.

Eu já não entendo nada desse mundo
Sua cabeça enlata já foi comprada!
Pin It
Atualizado em: Sex 1 Jan 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222