person_outline



search

Como Lidar com a Violência na Escola

Tradicionalmente a escola é vista como formadora da disciplina, da ordem, tem como sua origem a modelagem das massas, a transmissão e reprodução do conhecimento da classe dominante. Infelizmente não é assim que vem ocorrendo normalmente a violência prejudica a saúde biopsicossocial das pessoas, afeta a saúde da sociedade e pode ter consequências trágicas. Na generalização da violência, a escola também foi profundamente envolvida. A violência na escola cresceu de tal forma que passou a ser, muitas vezes, cabeçalho de jornais, matéria de revistas de grande circulação, notícia com ampla exploração no noticiário radiofônico e televisivo. Nesses casos extremos, causa indignação, consternação e medo, mas pouco se faz de concreto em termos de estudar as variáveis que a geram e a controlam, no sentido de se rever o que se está sendo feito em termos de educação para sanar essa realidade, ou de se preparar educadores e pais para uma melhor formação do cidadão. Pela educação recebida no lar e pelo contexto da própria escola, o aluno, mesmo o da pré-escola, pode apresentar comportamento violento em relação a colegas, professores, atendentes e outros funcionários. A violência que tem por fonte da agressão o aluno vai da pré-escola aos mais altos níveis de escolarização. Na pré escola, este arranca o brinquedo ou bate no colega, no doutorado, por exemplo, assina como coautor um trabalho para o qual em nada contribuiu, agredindo tanto ao explorar quem trabalhou efetivamente como ao enganar o professor. Nesse caso, ele estará cometendo uma violência em relação ao mestre. Ao colar em uma prova, o aluno comete um ato de violência contra si mesmo, contra os colegas, contra o professor e todo o sistema educacional. Mas, certamente, é a agressão física que mais chama a atenção, quer pelos assassinatos de dirigentes, professores e colegas ou pelas brigas e agressões que, muitas vezes, tornam-se tragédias. Pela educação recebida no lar e pelo contexto da própria escola, o aluno, mesmo o da pré-escola, pode apresentar comportamento violento em relação a colegas, professores, atendentes e outros funcionários. A violência que tem por fonte da agressão o aluno vai da pré-escola aos mais altos níveis de escolarização. Na pré escola, este arranca o brinquedo ou bate no colega, no doutorado, por exemplo, assina como coautor um trabalho para o qual em nada contribuiu, agredindo tanto ao explorar quem trabalhou efetivamente como ao enganar o professor. Nesse caso, ele estará cometendo uma violência em relação ao mestre. Ao colar em uma prova, o aluno comete um ato de violência contra si mesmo, contra os colegas, contra o professor e todo o sistema educacional. Mas, certamente, é a agressão física que mais chama a atenção, quer pelos assassinatos de dirigentes, professores e colegas ou pelas brigas e agressões que, muitas vezes, tornam-se tragédias. Uma forma de reduzir a violência no contexto escolar é abrir espaço para a educação e a vivência de paz no seu ambiente. A prevenção no entorno da escola também pode ter efeito na instituição educacional. Uma variável que está associada com a raiz da violência na escola é a denominada indisciplina, que facilmente cresce, tornando-se cada vez mais forte e inviável alcançar os objetivos educacionais. Para tanto, é preciso recorrer a programas que impliquem em estabelecer e por em prática códigos de ética e moral, em que se cuide não apenas do bem estar individual, mas também do coletivo. Vale dizer que é de grande valia dar mais atenção à educação ética dos alunos, especialmente na adolescência. Para reverter o quadro de violência que assola as escolas é necessário investir muito em pesquisas para melhor conhecer as variáveis subjacentes e determinantes do comportamento violento que se registra nesse ambiente. Entretanto, não basta pesquisar apenas as possíveis causas do comportamento agressivo evidente de violência contra os vários aspectos aqui relacionados. É preciso enfocar também a violência silenciosa, diária, contra os vários personagens da escola e seus aspectos materiais, como aqui também foi considerado, já que seu efeito cumulativo traz sérios prejuízos psicossociais, podendo explodir em violência aparentemente sem sentido. É necessário substituir a cultura da violência pela cultura da não violência. Ir em busca da ética e da moral, do bem estar coletivo. Certamente é um dos grandes desafios para a educação na atualidade. Mas qualquer ação deve ter sustentação e avaliação científicas constantes ao longo de seu evoluir, para que possa ser eficaz e ser cada vez melhor e mais eficiente.

Pin It
Atualizado em: Ter 29 Set 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222