person_outline



search

DIVINA ARTE

Gênesis, alfa e ômega do infindo
Prelúdio da ciência que a tutela
Para ver de Adão a Eva erigindo
Deus duplica o “X” do gene da tsela (Gênesis 2:21-22)

Na mitologia, Esculápio foi o Deus
Hipócrates, o pai de sua doutrina
Merit Ptah, prógona de ofícios teus
E Lucas, o Patrono de graça Trina (Colossenses 4:14)

Divina é a norma que aduz Galeno
Ofício laico e de toda crença
De derme prisma, na casta epiceno
E de todo arrimo, sem diferença

Récipe de Moisés aos Hebreus
Arauto de asseio e higidez (Deuteronômio 23:10-13)
Máscara e quarentena no mal de Aretaeus (Levíticos 13:45-46)
Mundície às secreções e sordidez (Levíticos 15)

Assepsia a objetos morbígenos (Levíticos 11:33-34 e 15:12)
Aterro de vetor de afecção (Deuteronômio 23:12-14)
Dispersão de germes patógenos (Números 19 e Levíticos 11)
Da terra se produz medicação (Eclesiástico 38:4)

José, no apogeu de contrição
Confiou-lhes seu pai à preservar (Gênesis 50:2)
Asa de Judá, em mórbida aflição
Evocou divina arte à sanear (2º Crônicas16:12)

Jesus, arquétipo de Asclépio
Fez hemostase em coagulopatia (Marcos 5:25-34)
Sanou de psicose sem remédio (Mateus 17:15)
Em isquemia de quadril fez terapia (João 5:8)

Curou displasia em nervo óptico (João 9:1-7)
Em interfalange, sanou osteoartrites (Mateus 12:9-13)
Iátrica sublime em dez morféticos (Lucas 17:13-19)
Cardioversão de apnéia a quatro noites (João 11:39-44)

O altíssimo, geriu-lhe a sapiência (Eclesiástico 38:1)
Sua arte, provém do onipotente (Eclesiástico 38:2)
Da sacracidade, a honra da ciência (Eclesiástico 38:6)
Dos céus, eflúvios clínicos são latentes (Eclesiástico 38:14)

Para cruzar o infesto mar de algia
O Fraterno Criador, desde o arrebol
Apostolou mareantes com logia
A desvelar filhos teus de sol a sol

Anjos de amor de alvas fardas
Iatros condutor da panaceia
Q'em grã-renúncia, em horas tardas
Lutam a verter anóxia em eupneia

Indubitável ser celeste vosso dom
Pois a benção é terapia em poesia
A cura, o milagre em sacro tom
E o médico, o poeta em maestria

Gratulamo-vos por rara devoção
Mesmo no calvário de afã rotina
Atado ao amor, esmero e afeição
O pranto e prece rege-lhes a sina

Oh! Sublime Impulso do Supremo   
Síntese Magistral de Inteligência
Concedas bendição do Nazareno
Aos Doutores missionários da ciência
Pin It
Atualizado em: Sex 3 Jul 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222