person_outline



search

Deus me teve

Eu vi o mundo todo perder sua forma, eu ouvi a canção do tempo ficar lenta, eu senti o que era não ser, mas nesses momentos, a essência mais pura do meu interior ainda parecia se desmanchar no universo que eu tentei desbravar. Uma memória que parece eterna, um perpétuo clamor próprio, uma profunda necessidade de descobrir: quem foi você? Eu não sei. Tudo está perdido nas lembranças que, cada vez mais, são menos reais, mas tudo que vivo vem de um anseio de resgatar um sentimento perdido. Ou melhor, um sentimento que ainda reside em mim, mas que somente deixa cortes quando solitário. Parecia tão certo, hoje parece tudo que há no espelho. As manchas na areia molhada, as pegadas de quem eu nunca irei alcançar, parecem tudo que existe quando até o mundo evaporou. Nunca cheguei perto da resposta, eu sinto que nunca vou chegar e também sinto que esse é meu dever: ser uma sombra distante para você. E quem também preciso cantar o meu louvor mudo, de todos os dias, enquanto sinto a chibata em minhas costas pelos meus pecados. Eu preciso louvar quem foi meu paraíso e preciso sentir o arder do inferno.
Quando eu me tornar terra, ar, fogo e água, ainda existirá o retrato dos olhos que cortaram meu espírito. Eles são tudo, eles são minhas paredes, meus motivos, minhas muletas, minhas esperanças. Eu, aliás, acho que não irei arder fogo, minha chama está apagada, em respeito a quem já ficou perto de meu calor. O que me resta é deitar sobre os lençóis enquanto espero o relógio. Eu não sei se ele pode me libertar, eu não acho que devo ser liberto, mas eu o espero, como se ele representasse o último passo do meu julgamento. De qualquer forma, eu acho que tudo acabou. Esse é o fim, mas o fim é toda a minha vida a mais dias do que posso contar. Esse é o fim. 

 

Pin It
Atualizado em: Sáb 27 Jun 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222