person_outline



search

Deixe o Karl Cair parte 5

Com essa demora que tive de dar continuidade ao que escrevi, vou postar também o sexto e sétimo capítulo!! Beijos 
A aproximação repentina advinda
De uma amizade improvável
Já lhe apresentei o tal do Vinicius, espero também que se recorde do ponto em que comentei que a amizade entre eu e ele foi real, lembra? Se sim ou se não, vou dar uma leve aprofundada nisso, porque é um tópico interessante que também vai dar um efeito de linha do tempo na história. Dito isso, let’s go! 
Vinicius diferentemente de mim era famosinho na escola, por conta disso não foi difícil eu achar o perfil dele em uma rede social e mandar uma mensagem. Está curioso para saber qual foi o meu método de puxar assunto? Ok, já que insiste:
“Oi lembra de mim? Você me viu paradona em frente ao banheiro e perguntou se estava tudo bem kkkk eu só espero que não tenha me achado meio lesada “
Parece algo idiota para se dizer, além disso não é um tipo de razão para se enviar uma mensagem, mas fora esses aspectos foi uma jogada inteligente. Por que? Porque 1- Foi algo descontraído e aparentemente sem propósito, típico de algo da “interwebs”. E 2- É o tipo de mensagem que a pessoa meio que se sente obrigada a responder, provavelmente para desfazer a minha insinuação de “tenha me achado lesada” e soar educado.
A resposta disso demorou mais de 24 horas para chegar; e como eu já friamente esperava, foi algo como eu imaginei e citei no parágrafo anterior... conversa vai conversa vem, a gênia aqui foi conseguindo estender os assuntos e ir criando novos. Ah, um detalhe importante: durante as primeiras conversas, ele foi intercalando um tempo de um ou dois dias para responder. Fiz o mesmo para dar um ar despretensioso, (como quem não quer nada,) sabe?
A gente foi se conhecendo e eu me disponibilizei e garanti ao Vinicius que podia se abrir comigo, desabafar e fazer coisas do gênero. Não só porque eu gosto de bancar a psicóloga, mas também porque eu queria  que amizade se aprofundasse e eu fosse realmente algo importante na vida dele. Dentro do seu jeito distante e insensível, abriu-se para mim. E eu só no pique raposa do Pequeno Príncipe,       “me cativas”.
Em relação ao colégio e estudos, tudo tranquilo. Teve um fato interessante nesse meio tempo que talvez você queira saber: vôlei. Não o vôlei dos meninos mais velhos, estava mais para “arremesso de bolsinha”. Lá na minha turma linda e maravilhosa, começou uma brincadeira de “toquinho” só que com a bolsinha de alguém. Sempre acontecia assim que batia o sinal de 5 minutos para acabar o intervalo, uma pessoa aleatória arremessava a bolsinha de alguém para outro alguém e pronto, virava festa. Em um dia fatídico ( eu gosto dessa palavra) fizeram isso com um daqueles estojos quadrados, chiques, que cabem um monte de coisas dentro. Da marca que tem um macaquinho, sabe? Pois bem, o macaquinho e o estojo saíram voando pela janela da sala. Não só era uma bolsinha caindo da janela do segundo andar da escola, como também aparentemente bateu em uma pessoa que passava lá embaixo. E isso fez metade da turma ir para a coordenação.
Bom, já te contei o aspecto legal, agora voltando para a minha friendship, ela continuava ótima, já tínhamos piadas internas, marcávamos um ao outro em memes... que lindo.
Majoritariamente a gente conversava pela internet e se cumprimentava na escola por alto. Em um dia em que eu e a Ana estávamos  andando pelos corredores, viramos em um que nos fez dar de cara com ele. Fiquei meio sem graça e disse algo do tipo “Oi, e aí?” e estendi a mão para cumprimentá-lo.
Ele ignorou minha mão estendida e me abraçou. Foi um abraço sincero, até carinhoso eu diria. E naquele momento me senti super bem e o abraço dele me causou uma calmaria danada. E isso nunca tinha acontecido comigo antes, fiquei o resto do dia zen e pensando sobre aquilo... será que eu to gostando dele?
**Esse to na verdade é um “estava” porque essa história ocorreu no passado, ok? Quis dar um pouco de emoção na frase. “Estava” ia dar um efeito de eu já saber o que vai acontecer e você leitos não... é só isso mesmo.
Assinado : Nota de rodapé, fora do rodapé **
Pin It
Atualizado em: Dom 21 Jun 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222