person_outline



search

UM NOVO MUNDO A DESCOBRIR CAPÍTULO 4

O sol brilhava dentro do meu quarto quando acordei assustada e fui correndo para o banheiro, tirei a camiseta e olhei de perto minha pele branca e lá estava a prova do que realmente não era sonho.
   Entrei na banheira cambaleando e imaginando o que as pessoas pensariam se eu dissesse que fui atacada por um vampiro, com certeza seria amarrada a força e lançada em um manicômio eterno. Olhei o relógio em cima da escrivaninha e vi que estava atrasada "como sempre".
   Chegando ao Hospital fui ao banheiro maquiar a prova do crime, fiquei irritada, nem mesmo a base disfarçava aqueles malditos furos, coloquei um lenço naquilo e fui ganhar a vida. Saindo do banheiro dei de frente com Dr. Evan, ele me joga um olhar desconfiado e arqueia a sobrancelha, eu disfarço e sigo adiante.
   O dia parecia tranquilo até aparecer uma cirurgia, corri para a sala principal e lá já estavam todos em seus lugares...em poucos minutos o trabalho já estava terminado. Enquanto eu tirava a luva Dr. Evan olhou para mim com semblante sério e disse:
   - Você fica.
   Só pensei: "O que foi que eu fiz?"
   Silenciosamente ele foi até a porta a trancou, entrelaçou o braço na minha cintura, me jogou em cima da maca abriu as minhas pernas e se prensou entre elas, ofegante fiquei sem reação. Olhou em meus olhos e lentamente desceu a mão sobre meu pescoço arrancou o lenço e observou sem piscar as marcas.
   Seu corpo começou a ficar rígido e tenso, um olhar obscuro passou entre seus olhos e quase que forçadamente ele perguntou:
   -Quem a mordeu?
   Sem saber o porquê não consegui dar a resposta mais no fundo sabia que queria proteger Dante.Evan se esquivou de mim olhou a lua lá fora e foi para sala de plantão.
   Como não havia pacientes em minha responsabilidade naquela noite resolvi ir para casa, mas antes iria passar no mercado, as ruas pareciam desertas e medonhas, ao sair do mercado senti uma pontada de perigo, mesmo assim continuei andando, só queria chegar em casa, mas ao passar por um beco fui encurralada por dois assaltantes que gritavam:
   -Passa o dinheiro!
   Quando eu disse que não levava nenhum dinheiro na bolsa eles ficaram mais irritados, tomaram-me a força me jogaram no chão, senti um tapa em meu rosto e antes que outro se aproximasse um vulto se pôs na minha frente, um corpo grande e peludo, pêlos eriçados se viam na nuca, como um raio ele bateu a pata em um e com os dentes cravou o outro, virou para mim com os dentes sujos de sangue, me lançou um olhar triste e saiu correndo pela noite...um minuto depois ouvi um uivo agonizante!
   Peguei minha bolsa no chão e fui diretamente para casa.
   Fui para casa com a imaginação no espaço, o que era aquilo? Um urso, um cachorro gigante, o pé grande talvez, nada fazia sentido dentro da minha cabeça, quando dei por mim também lembrei que alguns dias atrás eu havia visto um vampiro, de repente lembrei que a alguns dias eu não o via, tomei um banho quente para aliviar a tensão da noite e praticamente desmaiei na cama.
  No outro dia acordei animada, seria dia de plantão, então eu teria que tomar um café bem caprichado, fui para o hospital caminhando como uma pena, hoje havia poucos pacientes para minha alegria, olhei o quatro de plantão e vi que eu estava escalada com um tal de Dr.Gael, pensei comigo:
"Quem é esse? O que aconteceu com o Dr.Evan, beleza e quem se importa não estou agarrada nele".
   O dia passou voando e a noite exibia uma linda Lua Cheia brilhante. Com uma cirurgia marcada fui para sala onde os médicos estavam e lá eu vi o "tal" Dr.Gael, estatura mediana, moreno, ele estava todo de branco com uma calça que deixava à mostra todo seu volume corporal, a camisa transparecia um lindo peitoral e uma morena pele, quando dei por mim minha respiração estava instável de vergonha virei o rosto, quando ele se dirigiu a mim e disse:
  -Sou o Dr.Gael e serei o médico principal do plantão de hoje.
  Seu rosto era masculino e inocente, as vezes parecia um homem e outras vezes uma criança que só queria colo.
  Novamente ignorei aquele rosto sedutor e fui para sala de cirurgia.
  Tudo ocorreu bem, o paciente estava estável, mas por que Evan não apareceu?
  E por três dias a fofoca do hospital foi que ele havia se demitido, já que além de não dar as caras também não manifestou nenhuma satisfação, de repente entra pela porta aquele sorriso de lado que derrubaria um batalhão de mulheres, vem até mim e pergunta:
  -Sentiu minha falta? Aposto que sim.
Só pensei: "Homem desgraçado"
Ele parecia diferente seu rosto estava mais selvagem e maduro não sei explicar algo havia mudado.
  E assim por dois meses ele faltava alguns dias e em outros retornava aquilo estava me aquietando, tirando o fato que a alguns dias a cidade estava sendo assolada pôr acontecimentos estranhos.
  Fui até a sala do Dr.Evan entregar o prontuário e lá estava ele olhando fixamente para a noite, o chamei mais ele parecia disperso em algum pensamento, quando avancei seu corpo estava rígido e tenso suando frio, quando eu olhei para janela vi o que ele tanto observava, somente sussurrei:
  -Dante...
Misturado a escuridão da noite, parecia um Príncipe da Noite. Evan começou a tremer seu corpo teve movimentos estranhos de arrepio, de repente ele caiu no chão seus olhos reviraram e ficaram brancos e num piscar de olhos um lobo preto de olhos brancos estava na minha frente, lá fora Dante o encarava com um sorriso torto desafiador e aqui dentro o lobo o olhava com fúria nos olhos.
  Sem hesitar o Lobo pulou a janela e correu atrás de sua presa que antes de partir me olhou e passou a língua pelos lábios...
Pin It
Atualizado em: Qua 3 Jun 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222