person_outline



search

ENCONTRO CAPÍTULO 2

   Após um mês na cidade consegui o emprego de enfermeira que tanto queria, passar seis horas do dia cuidando de pessoas estranhas, mas fazer o que, é o que eu gosto...hoje resolvi ficar até mais tarde por causa de um paciente, olho lá fora e só vejo uma leve chuva molhando o asfalto e por um breve momento lembro que não tenho guarda chuva nem capa. Coloco minha calça preta jeans, calço meu all star vermelho surrado e coloco minha blusa branca, a chuva não parece que vai parar e ônibus já era... vejo um posto de gasolina aberto do outro lado da rua e mais veloz que um raio atravesso a rua com esperança de chegar do outro lado seca.
   Resolvo comprar um salgadinho para enganar o estômago, quando de repente ouço um barulho de moto, não uma daquelas de estradas e trilhas e sim uma moderna e grande. Mas não é a moto que chama a atenção e sim o seu piloto... ao vê-lo logo penso: 
"Tinha que ser logo ele?!".
  Com dois passos ele chega até mim e com um sorriso torto e desgraçadamente lindo se apresenta e diz: 
- Nos encontramos de novo Luna, prazer meu nome é Dante.
  Fiquei sem chão, desde quando esse homem sabe meu nome... eu não me lembro de ter me apresentado, ainda submersa em meus pensamentos ele pergunta se eu quero carona me indicando o capacete atrás da moto. Com a coragem de um mosquito subi na moto e me agarrei aquele corpo grande, em questão de segundos estávamos na estrada... sentia o frio do vento da noite e ao mesmo tempo o calor daquele corpo masculino.
  Ele me deixou em frente a minha sem graça casa, mas confortável, desceu da moto, foi até mim e tirou o capacete da minha cabeça, com aquele rosto e olhos negros tão perto fiquei tonta e as pernas tropeçaram uma na outra e antes deu sentir o peso do meu corpo caindo ele me segurou entre os braços e disse:
  - Se for pra cair que caia nos meus braços.
  Naquele momento uma tensão de medo deve ter passado entre meus olhos já que ele recuou, pegou o capacete pôs na cabeça olhou para mim e foi embora. E aquela noite meu sonho não foi tranquilo...
   Até que enfim sábado, não via à hora de poder aproveitar outro fim de semana, tomei meu café tranquilamente arrumei a casa e fui enfeitar a minha varanda com rosas, como o sol estava radiante pensei que não seria uma má ideia dar um passeio pela praia, vesti meu biquíni brega de lacinho, minha tanga e fugi para o mar.
   A brisa estava tentadora e chamativa as ondas estavam calmas, o movimento delas batendo no meu corpo relaxava todas as tensões adquiridas nos último mês, de repente uma onda surpresa começou a me arrastar para dentro do mar, minhas pernas já não tocavam mais o fundo, meus braços estavam dormentes pela força da onda, e  ouvido estava zumbindo com o som da onda, meu corpo já cansado de tentar nadar começou a afundar e mil pensamentos passaram pela minha cabeça e o pior de todos gritou mais alto: " Morrerei aqui sozinha"
   E como uma leve pena fui arrastada para o fundo...
Pin It
Atualizado em: Seg 25 Maio 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222