person_outline



search

Deliro de Amor

Sentir o ar desvanecido sobre o meu corpo quente
Perco-me nesse mundo tão sedento de prazer,
E logo de repente me arrepio sobre teu toque.

Um amor que arde tão profundo sem explicação
Um medo de se perder no estranho dizer de arriscar
E novamente penso que é deliro de querer algo sem tentar.

Doí aqui em meu ser um vazio que não tem!
É como aquele berço flagelo, se o tempo tivesse voltado.
Eis aqui me escondendo de tal sentimento
Que se equivoca sempre em me desconcertar.

Corro de ti e acabo me escondendo no eu solitário
Que não sinto amor por ti.

Pin It
Atualizado em: Seg 2 Dez 2019

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222