person_outline



search

Corvos sobre minha cabeça

Eu estou trancado em meu quarto, estou fedendo, só tenho me banhado em lágrimas. Você me deixou sozinho pra viver nesse mundo, você me deixou e cada segundo depois que você partiu se tornou tortura. Eu não tiro o seu enterro da minha cabeça, suas mãos geladas, as mãos que seguravam as minhas, as mãos que me seguravam de pé, as mãos que construíram nossa casa comigo; seus olhos estão fechados, seus olhos verdes, os olhos que estão gravados em minha memória, os olhos que cessavam todo tormento em minha mente; eu nunca mais vou ver seu sorriso, o sorriso que saia quando eu fazia alguma piada boba, o sorriso que era meu motivo pra viver. Sua pele estava tão cinza, eu queria ter te abraçado, mas toda vez que eu tocava seu corpo gelado eu chorava mais, você tinha partido, eu estava olhando para o que você tinha deixado aqui, a minha última memoria do seu rosto, a última vez que eu tocaria em seu lindo cabelo, a última vez que eu poderia estar do lado do que me fez feliz. Seus pais dividiam o pé do seu caixão comigo, eu estava sentado ao seu lado esquerdo, eu queria estar perto do seu coração, o coração que fazia o meu bater. Meus pais não sabiam o que fazer comigo, eles não sabiam, eu não sei se eles estavam chorando mais pela sua perda ou por me ver daquele jeito. Eu parecia estar me humilhando para de qualquer jeito fazer você voltar, eu chorava e fazia cada presente ouvir o aço negro com seu nome gravado que tinha atravessado meu peito, eu lembro de quando fecharam o caixão e eu tentava te agarrar, eu queria ficar com você, eu tentei, mas me seguravam, três homens me separaram de você. Eu me lembro de ficar de joelhos enquanto via você sendo colocada em sua nova casa, enquanto eu via você sendo guardada longe de mim.
A porta aqui está trancada, onde era sua casa, eu não sai daqui ainda, eu continuo esperando suas mãos quentes e macias me puxarem para fora do quarto e me jogarem no seu abraço, as suas mãos fortes, as mãos que com suas unhas agarravam a terra e fizeram o meu mundo parar, você não está mais aqui, mas o mundo não girou, ele está preso em sua lápide. Você foi a coisa mais perfeita que o mundo me deu, mas você não está mais aqui, estar aqui não parece mais certo. Será que você se tornou uma estrela? Eu algum dia vou estar no céu da noite ao seu lado? Eu não posso viver sem seu abraço, estar aqui não faz mais sentido, você era meu norte, você era tudo, eu agora não sou nada. Eu não me sinto mais em casa, essas paredes tocadas por suas mãos e construídas por parecem agora estar derretendo, minha casa está ruindo, você era a fundação, os corredores estão vazios e eu não posso mais esperar você chegar. Você nunca mais vai responder as mensagens que eu mando quando estou trabalhando, nem as mensagens que mandei pra você desde que você se foi, sim, eu fiquei mandando, eu precisava falar com você, eu precisava do ombro que ouvia meu choro, uma mensagem, eu não sei se em minha mente existia esperança de você voltar a responder, mas eu não tinha mais ninguém a quem amar, mas isso não importa também, todo meu amor vai ser pra sempre só seu. Eu te amo, eu vou limpar seu túmulo toda semana quando eu sair daqui, eu vou. Por favor, me espere. Eu sei que algum dia eu vou tocar suas mãos de novo, eu sei que algum dia eu vou sentir seu abraço, eu sei que um dia caminharemos por montanhas, sentiremos a areia da praia em nossos pés e veremos o por do sol de novo. Algum dia. Você é meu existir, suas fotos sempre vão me lembrar de como era tudo feliz no começo e como foi o fim, quando você ficou doente. Eu vi seus últimos meses, eu ia para os corredores frios do hospital te acompanhar, eu ouvia cada médico contando uma notícia triste, eu sentia cada avanço na sua doença como unhas arranhando meu cerebro, eu já sabia que eu podia te perder mas estar ao seu lado ainda era minha vida, eu a vi começar a ir lentamente. Eu segurei suas mãos, que já esravam frias, eu esperei cada segundo por esperança, eu fiz você rir pelas últimas vezes, até você não ter mais força. Você morreu numa noite de outono, você estava fraca deitada em nossa cama, a TV estava ligada e as luzes apagadas, seu rosto estava em paz e eu ouvi seu último suspiro, você ouviu meu ultimo "eu te amo". Eu quero terminar isso aqui com essas palavras mais uma vez: não se esqueça, eu te amo. 
Pin It
Atualizado em: Qua 13 Nov 2019

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222