person_outline



search

Lúcia (Parte 1)

Noite chuvosa, sete e trinta e seis da noite de uma quarta feira normal na cidade de angra dos reis. 
Os carros ainda fazem seu desfile diário nas ruas esburacadas de um morro da cidade. Numa das casas, se encontra Lúcia e sua irmã Carla; lúcia tem 17 anos e carla tem 5. 
- Poxa, o pai tá demorando... E você, que não larga esse celuar Lúcia, escreve pra mim o nome do desenho logo! - Diz Carla, fazendo cara de choro.
- Eu to ocupada garota, já falei! - Responde Lúcia insatisfeita por ter que ficar com a irmã enquanto o seu pai trabalha e sua mãe ainda está fora num passeio com as amigas da igreja que vai durar mais uns dois dias-
Alguns minutos depois, quando acabou de conversar, Lúcia levanta os olhos, "-você ainda quer ver o desenho q...", batem forte na porta quatro vezes, na ultima a porta se abre um pouco. Pela fresta um homem com calças jeans claras, bastente sujas e surradas do tempo coloca o pé esquerdopra dentro da casa e pergunta: - O Rogério tá em casa?- 
Lúcia se assusta e começa a chorar.
O cheiro de bebida tomou conta da pequena sala onde moravam as meninas e seu pai.
-Meu pai tá trabalhando!- quase grita Carla indo em direção a irmã pra tentar acalmá-la do susto que levara.
-Eu queria falar com Rogério, Ele não tá aí não?- Diz o homem que agora já abriu a porta revelando então uma camisa preta, um rosto envelhecido e ensanguentado se esgueirando com olhos arregalados e um estranho sorriso que briga com a dor numa boca seca sob um bigode imenso.
- Meu pai não tá aqui, é melhor o senhor ir embora logo! Não gostei de você ter entrado aqui assim! - Diz Carla indo em direção a porta, no caminho ela pisa num brinquedo no chão, olha pra baixo pra ver o que é quase que institivamente procurando o que a feriu, quando ouve a porta batendo.
Ela olha pra cima assustada e vê o homem de costas trancando a porta.
-Eu vou esperar ele chegar!- Diz o homem que parece agora ser maior que momentos antes.
-Moço, por favor, vai embora!- Suplica Carla enquanto abraça a irmã que já havia corrido e agarrado a cintura de Carla.
-Eu não vou embora até esse babaca do seu pai aparecer, ele vai bater na porta, e eu vou fazer um surpresinha pra ele!- retruca o homem limpando um dos olhos cobertos de sangue.
- Meu pai não é isso que você falou, você que é!- Grita Lúcia, nervosa.
-HAHAHAHAHA... você não conhece seu pai, eu conheço!- Grita com soberba o invasor, já sentado onde estava Carla.
Lúcia, com medo, começa a chorar baixinho.
O homem então num longo e repentino suspiro levanta e vai em direção as meninas e sussurra repetidamente no ouvido de Carla: - Faz ela calar a boca, faz ela calar a boca, faz ela calar a boca...-
Carla começa também a chorar, mas em total silêncio e de olhos fechados.
O homem a agarra pelos braços à soltando da irmã e girta: - AAAAAAAAAAAAAAAAAARH!!- No ouvido de Carla que grita:- Socorroo! - O homem então lhe dá um tapa na boca que a faz cair.
Lúcia corre pra ajudar a irmã mas o homem a impede segurando em seu braço .Ela se debate tentando se livrar enquanto sua irmã ainda se recupera no chão.
Pin It
Atualizado em: Qui 11 Abr 2019

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222