person_outline



search

Sobre eu e Deus

“[...] e que vocês, junto com todos os filhos de Deus, possam compreender a largura, o comprimento, a altura e a profundidade do amor de Cristo; e por si mesmos possam experimentar esse amor [...]”. (Efésios 3:18.19)

 

 

Largura. Comprimento. Altura. Profundidade. Amor. Não chega a ser curioso as medidas do amor? -Não. Aqui se fala de um amor que vai além, pois o autor em sua escrita deixa claro que no final ninguém, ninguém mesmo vai conseguir chegar ao fim desse amor. Amor... Palavra forte, tão pequena, mas que nos faz acreditar que é possível. Deus é amor. Mas afinal, quem é Deus?

A resposta? – No texto: “por sim mesmo possam experimentar esse amor”.

Durante minha caminhada, que dura cerca de 30 anos, tive a oportunidade de conhecer algumas medidas desse amor sem fim. Quantas caminhadas realizamos juntos? -Me lembro dos longos passeios de bicicleta; das noites em que conversávamos a fio, ali, perto demais. Deus... Deus não se limita, suas medidas são sem fim, talvez por isso alguns carinhas, como Rubem Alves ou aquela pessoa que você conhece que parece conhecer tanto de Deus, que apenas vive, que enxerga a beleza do que nos parece tão comum, que suspira ao olhar uma árvore florida e que canta ao perceber que o dia de chuva é apenas uma declaração do céu à terra, talvez por isso esses carinhas, essas pessoas apenas sigam em conhecer esse Deus, em trilhar o caminho que o autor sugere:“por si mesmos possam experimentar”.

Pessoas morrem quando não experimentam por si mesma essas medidas, quando limitam Deus, seu amor em um caixinha, bem guardadinha, onde nada além do que já fora pré-estabelecido possa acontecer. “Não. Isso é impossível” é o que elas dizem ao se depararem com o diferente, com aquilo que não fere, mas que destoa do normal.

Deus. Qual palavra o definiria? – Vida, verdade, caminho?

Eu sou.

Deus é assim, Ele apenas é, e o mais legal de tudo é perceber que eu posso experimentá-lo, eu mesma, sem intermediários, sem que seja necessária qualquer intervenção, e como diria uma música, lá eu posso: “me entregar na Tua terapia, no Teu reino enlouquecer [...]”.

O maior desafio do homem não é descobrir o início de tudo ou a paz mundial, é descobrir, experimentar por si só as medidas desse amor, se abrir... Se permitir ouvir o que esse amor pode dizer, que correntes Ele pode quebrar... Aqui dentro... Aí dentro, onde ninguém mais sabe, onde ninguém mais vê, onde existem segredos, no quarto escuro do nosso coração. Sim. Ele sempre soube, e talvez essas medidas possam te surpreender, mas é preciso experimentar por si só, se guardar, em momentos únicos, você e Ele. Nada de dramas, gritarias, euforia ou qualquer outro sentimento que possa te confundir, e ao passo que seu coração se acalma você pode perceber e ouvir sobre as medidas do amor. Se Ele pode ou não lidar com quem você é. O que precisa ser mudado. O perdão que preciso receber ou doar. A liberdade da qual necessito. Lugar onde você pode se encontrar, dizer e declarar como se sente. Mas ali, ali... Também é lugar de ouvir, não a religião, não os homens, não as regras da ética, porque todas essas coisas você sabe que conhece, naquele lugar, mais que especial, você pode ouvir o mestre, e isso nos lembra uma outra música que diz:“quem conhece a liberdade, não poderá se submeter à escravidão”.Sabe por quê? – Porque quando você consegue ouvir a voz dEle, a tempestade se acalma, mortos revivem, cegos enxergam, mudos falam. Mas ouça bem, é a voz dEle que faz essas coisas. Você tem ouvido essa voz com frequência? Você tem acalmado seu coração para que a voz dEle fale, e lembrando, é precisoexperimentar por si mesmo essas medidas.

Durante algumas semanas estive em crise com Ele, coisas que me fizeram questionar a quem eu me curvava, a quem, de fato, eu adorava. Não se tratava apenas de um amor em especial, se tratava do Deus e suas medidas em minha vida. Ao ler esses versículos, fui transportada por Ele ás nossas viagens, ao longo caminho que trilhamos até aqui, e ao me ouvir dizer que talvez eu não pudesse me encaixar pude ouvir enfim... Mas antes, meu coração se tranquilizou, eu apenas pedi uma resposta e aguardei. Enfim... Ele mesmo, com suas medidas, me falou: “não gosto de caixas”. Eu olhei e sorri, e logo me lembrei de que Deus se mostra de acordo com nossas necessidades, que se apenas o buscarmos, que não se trata do outro, dos outros, mas dEle. A resposta vem dEle e nos mais... Como diria outra música; “é só o meio”. Mas também gosto dEle dizendo: “Alfa e Ômega. Principio e Fim”. Tudo têm que começar e terminar nEle. Amo as medidas que Ele próprio me apresenta, amo o modo como me fala, e por mais que o mundo á minha volta tente me convencer que é necessário criar uma caixa, não, eu nunca o faria, na verdade eu quase enlouqueci tentando fazê-lo. E aqui dentro, todo o tempo, a mesma voz segue, como seguiu até hoje. Sempre aqui, me ouvindo falar sobre o amor perdido, sobre o coração quebrado, sobre a dor da solidão, a saudade que grita. E todo o tempo temos caminhado conversando sobre isso. E depois de me ouvir a única coisa que Ele me diz é: “não gosto de caixas”. Durante minha infância, quando o conheci Ele me falou sobre isso, sobre as caixas, eu segui e na adolescência, quando algumas vezes pensei em desistir por não conseguir criar a tal caixa, mais uma vez Ele me encontrou e afirmou: “não me faça caixas”. Há cerca de quase cinco anos quando lhe falei sobre a maior decisão de minha vida Ele me lembrou sobre as caixas, me fez lembrar as medidas, e em comum acordo, combinamos, sem segredos. Seguimos, e todos os dias eu lhe falava sobre meu coração, e todo o tempo experimentei as medidas, eu vivi novas medidas: altura; profundidade; comprimento e largura; Amor. Ao findar este tempo fui desafiada a criar caixas, e mesmo depois de experimentar tudo isso, todas essas medidas, de ouvir Ele me falar sobre quem Ele é. Mesmo depois de tudo, do caminho longo que percorremos, ainda assim, eu tentei lhe criar caixas. Tolice, Ele apenas É.

Hoje eu sei que não posso produzir caixas, por mais que haja amor. No amor dEle me sinto em paz, sem as caixas da religião, ou qualquer intervenção humana, sem que se faça necessário sinais miraculosos. Meu Deus vive num lugar onde eu posso experimentá-lo por mim mesma, onde minha mente e meu coração são livres para se colocarem diante dEle, lugar onde tenho ido cotidianamente desde uma manhã de domingo, foi quando Ele me encontrou, quando percebi que Ele havia me tomado para Si, isso há muitos anos atrás. Tenho caminhado com Ele, principalmente nesses últimos cinco anos, provavelmente porque tive que fazer escolhas sérias, e todos os dias eu me colocava ali, diante dEle e foi onde encontrei Graça; e quando em meio aos ventos eu clamava, Ele apenas me dizia: “tenho apenas medidas para Ti, mas lembre-se que não sou limitado a caixas”.

Nesses últimos dias, dias difíceis, minha vida segurada por suas mãos, amigos que se colocaram como intercessores. Pessoas a quem nunca conseguiria agradecer o amor e cuidado, nesses meus dias sem cor e música.

Eu tenho um amor guardado em mim, uma saudade que grita todo o tempo e que olha nos meus olhos os tornando tristes.

Mas hoje ao ouvir Ele dizer que Ele continua não gostando de caixas, ao me lembrar de nossas longas caminhadas, ao ter certeza que as medidas precisam ser experimentadas por mim, que o meu caminhar com Ele funciona assim, olhando tudo isso eu percebo que talvez você nunca tenha notado quem de fato sou, ou de onde minhas cores e minha música vem. Não sou movida por intermediários, a alegria que carrego em mim só existe porque um dia Ele me encontrou e me mostrou as medidas dEle, medidas estas que vão se revelando a cada dia, nas manhãs em que me sento na cama e lhe falo sobre nós, sobre mim, sobre a tua ida e sobre o caos que tua ausência me causou.

Largura. Altura. Comprimento. Profundidade. Amor.

Ele me falou pra abandonar as caixas, e voltar a experimenta-lo.

“A liberdade veio como arma que não mata. Uma explosão do amor de Cristo que não fere.”

A maioria pode não entender, mas as caixas não foram feitas para mim, entendo que para alguns as caixas são como uma espécie de salvação, Deus e seus caminhos, o Deus da “Multiforme Graça”.

Pin It
Atualizado em: Ter 21 Jul 2015

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222