person_outline



search

É no silêncio do coração que a vida se transforma.

Não importa se o dia está calmo ou agitado.  A verdade é que a minha mente está a mil, sabe aquela expressão: “No doze”? Minha mente está assim hoje, “NOOO DOZEEE”. Ao contrário do meu coração que se encontra apertado, sereno e muito silencioso.
São nestes momentos de silêncio que o meu coração encontra as respostas corretas para minhas perguntas.
A estranha percepção que tudo na minha vida parou, deixa meus pensamentos acelerados e cheios de temores sobre o presente.
Então, começo a questionar sobre os meus relacionamentos, crença, futuro, planos, trabalho, realidade.
A sensação é que estou sendo esmagada pelos meus próprios pensamentos, questionamentos e medos. Bate aquela tristeza, aquela insegurança.
Começo a pensar nas pessoas que passaram na minha vida, as que ficaram e aquelas que através dos planos de Deus retornaram e graças a Ele estão presente.
Fico pasma quando relembro de determinadas situações, que de certa forma tiraram o “meu chão”. Então, começo a imaginar se tal situação fosse hoje, exatamente agora, eu teria outra atitude, faria outra escolha e com toda certeza; teria outra reação. Meu choro não seria mais aquele misturado com raiva, ou quem sabe, aquele choro de desespero e insegurança. Provavelmente minha reação não seria mais “choros”, certamente eu daria boas gargalhadas.
A vida com o passar do tempo, faz a pessoa fraca ser forte. Foi o que aconteceu comigo. Outras, se tornam extremamente fracas e reféns de determinadas situações.
Esse é o poder que a vida tem: mudar as pessoas para a melhor ou pior, tudo depende do traço moral e psicológico de cada indivíduo.
Já fui fraca, em algumas circunstâncias da vida, volto a repetir, hoje poucas situações me tiram o chão, por que agora me sinto forte como uma rocha.
Algumas vezes, questiono o meu coração e falo comigo mesmo, em busca de respostas: Como fui imatura, como fui fraca, como deixei que alguns acontecimentos tomassem um rumo tão caótico.
Pergunto bem baixinho para o meu coração com uma voz serena questionando assim a minha fé: Em que momento não ouvi a voz de Deus?
Logo, meu coração, que antes era ingênuo não percebendo a “maldade de determinadas pessoas”, essas que passam em nossas vidas e deixam suas cicatrizes, me ensina a perdoar, a me erguer e começar a viver uma nova etapa, um novo ciclo, uma nova história.
No pulsar mais forte e acelerado, meu coração me lembra de algumas conquistas e planos que foram concretizados, o qual tenho orgulho e gratidão, porque tive a oportunidade de comemorar minha vitória.
É tão maravilhoso relembrar algumas comemorações, são tão marcantes que chegam a incendiar novamente a alma como se fosse naquele exato instante, eu confesso com um enorme sorriso: Valeu a pena, chorar, passar noites em claro ouvindo meus próprios questionamentos do nascer ao pôr do sol, concretizando mais um dia de trabalho, ou na companhia da família, ou dedicando-me aos estudos, e assim, a vida segue, até que novamente, me sinto no direito de deitar e pegar no sono.
Como se não bastasse tantas perguntas, minha mente volta a borbulhar e começam outros questionamentos, agora minha mente me traz as lembranças de alguns amigos, que marcaram minha infância, outros à adolescência e as amizades que faz a juventude ser ótima e marcante. Essa doce lembrança das amizades construída no meio acadêmico e profissional.
Imediatamente meu coração bate mais acelerado e volto para o presente, e agradeço pelos amigos que tenho, comemoro com eles nossas vitórias, juntos damos boas gargalhadas dos nossos tombos, e durante a euforia, lembramos de algumas atitudes ingênuas ou bobas, as quais são dignas de um brinde, porque tornamos fortes, determinados e alegres.
De repente eu me encontro rindo sozinha lembrando do passado, então minha fé fala baixinho para o meu coração, respondendo meus questionamentos: – Você superou!
Rapidamente, eu falo para mim mesma: Sim, eu superei, sim eu acredito, é no silêncio do coração que a porta para eternidade se abre.
Então, minha fé fala ao meu subconsciente: Ei, quando tudo parecer impossível, limitado, fora do seu alcance… é tempo de se distanciar do barulho e ouvir a voz do seu coração.
Hoje depois de tantos tombos, eu aprendi simplesmente ouvir meu coração e me silencio dos murmures e da inquietação d’alma e da mente, buscando respostas e paz para o meu coração.
Alimento a minha fé, e começo a ter convicção de que o Espírito Santo de Deus que habita em mim, transforma os meus medos em coragem.
E quando algo foge do meu controle, procuro acalmar meu coração.
Eu creio fielmente que Deus tem prazer em ouvi as minhas orações, porque Ele sabe que são feitas de um coração contrito e desesperado de amor por Ele.
Então, eu ouço uma voz que não cessa de falar ao meu coração impulsionando minha fé e esperança: Jamais esqueça, é no silêncio do coração que a vida se transforma.
Pin It
Atualizado em: Sex 11 Jan 2019
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222