person_outline



search

PARA REFLETIR 4: DÉCADA DE 90 A ÚLTIMA MOICANA

Me formei como ser humano na década de 90, para muitos a última geração a usufruir coisas boas da vida, em outras palavras raspar o fundo da panela. Nessa época ouviamos que a violência era grande, o mercado de trabalho estava complicado, país em crise etc mas na boa éramos felizes e não nos davamos conta. A começar pela infância, chegamos a brincar de pique esconde, queimado, soltar pipa e jogar bolinha de gude. E hoje em dia parece surreal imaginar um jovem se divertindo dessa forma, quando muito talvez joguem esse tipo de brincadeira via tablet ou no celular. E na adolescência, qual moça ou rapaz nunca foi a um encontro as cegas ? Levado por amigos que tinham amigos (as) para apresentar. Não existiam tantos perfis em redes sociais para fuxicar antes e olhar fotos, o que a pessoa fazia ou gostava, era tudo na hora ao vivo e a cores.

As famílias podiam ser vistas conversando em ambientes públicos e se divertiam. Diferente de hoje quando observamos cada um no seu mundo de cabeça baixa entretido com o celular, e muitas vezes interagindo com outras pessoas a quilômetros de distância ao invés daquelas a sua frente. Os mais antigos criticavam os jovens da época por relacionamentos superficiais, curtirem músicas desqualificadas (piorou hoje em dia, será ?) e pelos nerds que no máximo gastavam algumas fichas a mais nos fliperamas. Agora olhando para trás quanta coisa mudou e se os antigos daquele tempo reclamavam de certas questões e atualmente? O que dizer ?

A velôcidade hoje devido a tecnologia, tudo que o acesso a internet trouxe embora tenhamos muitos benefícios de certa forma acabou com o saber viver das pessoas. Parecemos menos respeitosos e mesmo com mais acesso a informações relavantes um tanto quanto fúteis em nossas escolhas. Conhecemos mais, somos interados de tudo porém, buscamos nos entreter com coisas banais, seguimos pessoas sem conteúdo e achamos graça em observar os outros expondo seus constrangimentos. Décadas passaram e não vejo pessoas se formando nesse período tendo muito a dizer. Como um otimista rezo por dias melhores e que a humanidade encontre seu caminho em meio a esse mar de promiscuidade. Por sorte (ou azar) essas gerações pós anos 90 não vivenciaram tempos melhores então não tem como sofrer pelo que não foi visto ou vivido. Torço para que saibam diferenciar o bom do ruim e mais a frente tenham histórias sadias para contar. 


LUTE E NÃO DESISTA !
fShare
3
Pin It
Atualizado em: Seg 14 Jan 2019
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222