person_outline



search

Fim

Eu me sentei ao seu lado e acendi meu cigarro. Você usava um vestido cinza, suas mechas rosas, seus olhos, seu sorriso, sua voz, você. Faces vem e vão pelo portão, mas de que importa, faces vazias e almas pálidas, mas aqui o simples divino, em uma mulher. Você parece distorcer tudo a sua volta, cada detalhe parece brilhar, eu só queria poder roubar o seu olhar, cada segundo perto de você pareço me distanciar mais do mundano, eu não sei como estou, mas eu quero estar perto de você. Minhas palavras se limitam, eu me limito, eu sou vazio e estou ao lado de todo o universo. Desculpe-me.
Minha mente sempre foi destruída, esse lugar foi uma esperança de fuga. Eu estou morto, minha lápide que gravei com minhas próprias unhas está encrustada em meu peito, minhas cicatrizes estão sobre meu corpo, toda a angústia está maquiada por litros de bebida. Eu passo o existir vagando pela esperança do eterno descanso lutando contra o antecipar e o gastar lágrimas daqueles dos quais não sou digno, mas você; eu vivi, o meu peito viveu, minhas cicatrizes evaporaram e minha mente entrou em colapso. Eu fui contemplado e o sal dos meus olhos tornou-se a indescritível sensação de sua presença.
Nós conversamos sob o crepúsculo. Eu não consigo falar, eu não consigo me mexer, eu mal consigo olhar, mas você está lá. Eu não consigo prestar atenção em suas palavras, eu só quero ouvir sua voz, eu preciso falar, eu preciso fazer você sorrir, eu preciso ver seu sorriso. Por que você está falando comigo? Meu Deus, cada linha de seu rosto, seu corpo, sua alma; você é a mulher mais bonita que já viveu, eu sou só um corpo que ainda anda.
Nós nos beijamos. Minhas mãos caminham pelo seu corpo, agarrando o seu pescoço e te possuindo. Eu estou entregue a você, ninfa. O sol se põe sobre os nossos toques, e a lua começa a nascer enquanto me perco em seus cabelos. O calor de minha alma irradia em cada movimento e, por favor, sinta minha chama.  Eu tive aqui o toque do divino, eu olhei para o paraíso e ele me recebeu em seus braços.
Odes á vós, mulher. Agora eu lhe acompanho para a despedida e por um pequeno momento agradeço por estar vivo. Em meio a todos nessa casa estava você, em meio ao mundo e, no fim, por uma eternidade de segundos, só isso me importou.  Agora, que as estrelas lembrem desse adeus. Adeus.
Pin It
Atualizado em: Seg 22 Jun 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222