person_outline



search
  • Artigos / Textos
  • Postado em

Sal

Me deste ainda quente este poema
Em minhas mãos frias, quase mortas
E olhei o mar que dava até a porta
E a outra mulher me abraçou segura
Me deste ainda cedo um dia inteiro
Em meus olhos um cheiro forte de sono
No quintal uma chuva rala e feia caia
E a mulher com as mãos na face surgia
Me deste ainda triste minhas vestes
Em meu corpo de quase homem feito
Havia tantas tristezas como veias
E aquele sangue derramado na véspera
Me deste ainda ontem este silêncio
E meu jeito de desdizer coisas aflitas
Dei-me conta desta vida passageira
Mas o mar invadiu a casa, e tudo salgou-se
Pin It
Atualizado em: Ter 9 Out 2018
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222