person_outline



search
  • Cordel
  • Postado em

RESÍDUOS

Dia e noite vão girando no tempo sonoro
Sem saber se no LP é certa a rotação
Sem saber se eu te vejo em mais uma estação
Repensando se eu refaço a planta ou se escoro
Há situação que rio, mas em outra choro
Mas na primavera sei que as flores vão se abrir
Se ainda o perfume eu pudesse sentir
E o carbono renovasse de novo sua cor
O humano se lembrasse de que existe amor
Há poesias que eu leio e não posso sentir

Se a gente ainda fizesse buracos no chão
Pra jogar bola de gude depois da escola
A existência não seria uma simples esmola
E na vida existiria de novo união
Mas o que de esperança restava então
Se o asfalto na avenida ainda vão repor
E a foto na carteira já perdeu a cor
Do radinho ouço meu time jogando no estádio
Sem saber se a minha música vai tocar no rádio
Vim da geração que acreditava no amor

Na tábua do balaústre de novo quebrado
Vejo o quanto de remendo tenho pra fazer
Sem saber se você vai minha carta reler
Como se o chapéu estivesse no prego jogado
Mas o amigo de infância foi reencontrado
E os brotos do bambu depressa estão subindo
A pedra da baladeira aqui passou zunindo
Quando ainda posso ouvir os passos lá de fora
Os agitos do momento chegam sem demora
Mas acordo com os olhos de quem está dormindo
Pin It
Atualizado em: Sex 19 Abr 2019

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222