person_outline



search
  • Cordel
  • Postado em

A HISTÓRIA DO BOI SUICIDA

Este é um fato curioso
História de um ruminante
Um valente boi baiano
Com um sonho alucinante
De viver solto na serra
Num lugar lindo e distante
Foi criado na fazenda
Era de um porte nobre
Tinha raça e beleza
Mas por dentro era pobre
Sabia que cedo ou tarde
Lhe passariam no cobre
Conhecia o destino
De antepassados e amigos
Que viviam como ele
Sem correr nenhum perigo
Com o bom e o melhor
Sem sofrer nenhum castigo
No final da sua sina
Encontraria um carrasco
E exposto em prateleiras
Num cenário de fiasco
Terminaria no molho
Ou na brasa pra churrasco
A sua oportunidade
Deu-se numa ocasião
Com todo o preparativo
Para uma exposição
Ele iria concorrer
A um lugar de campeão
Fizeram os preparativos
A mando do criador
De Teodoro Sampaio
Para a feira em salvador
O Boi ficou matutando
Serei um gladiador
A viagem foi tranquila
Com uma vista bacana
Tudo bem organizado
Uma equipe veterana
Rodaram pela estrada
Chegaram fim de semana
Na hora do desembarque
O Boi ficou preparado
Na primeira bobeada
Aquele animal sarado
Desembestou pra saída
Como tinha planejado
Agora sozinho e livre
Fazia o que bem queria
Caminhava por aí
Tudo novo conhecia
Gente, casa, automóveis
Praia, campos, rodovia
Como passeou bastante
Começou logo a pensar
Vou pro Rio de Janeiro
Ter história pra contar
Passou pelo aeroporto
Mas não conseguiu entrar
Escutou muita conversa
Por onde ia passando
Tinha uma equipe montada
Que estava lhe procurando
E a policia militar
Sua rota ia traçando
Pensou, antes que me peguem
Eu vou me realizar
Vou caminhar por aí
Até me localizar
Aproveitar a viagem
Quero conhecer o mar
Convocou a natureza
Sentiu a brisa e o vento
Observou os turistas
Focou no seu pensamento
Vou tomar banho de praia
Nem que for por um momento
Depois de caminhar muito
Escapando do resgate
Sentiu a brisa do mar
Tinha vencido o combate
Que exposição que nada
Não existiria abate
Sentiu-se realizado
Entrou na água salgada
Estava se refrescando
Não pensava mais em nada
Curtia a água e a praia
Eita vida desejada
As pessoas estranhavam
A sua felicidade
Onde já se viu bovino
Como gente da cidade
Comunicaram à patrulha
A sua localidade
Ele pensou não me engano
Não terei vida de rei
Mas não vou facilitar
Para lá não voltarei
Vou me afundar nesse mar
Minha história contarei
Tinha um grupo de pessoas
Na praia naquele dia
Fizeram um ajuntamento
Para ver se acudia
Mas não era seu destino
Pro curral não voltaria
O mutirão se esforçou
Trabalharam com grandeza
Arrastaram para a praia
O bovino da esperteza
Mas não tinha o que fazer
O fim chegou com certeza
Eu contei essa história
Do valente boi de elite
Que ficará na memória
Pra que o mundo inteiro grite
Quem puder se realize
No seu sonho acredite.
Pin It
Atualizado em: Qua 5 Dez 2018
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222