person_outline



search

Apocalipsus

Capítulo 1: Bem vindo ao Inferno
Cenário apocalíptico, céu em chamas, uma cidade destruída repleta de monstros de todos os tipos e tamanhos. No telhado de um edifício, um rapaz de pelo menos uns 20 anos está sentado segurando a porta com as costas, é possível ouvir que há criaturas tentando sair. O rapaz está segurando um anúncio de lingerie e chora enquanto se masturba pra foto de uma modelo...
===============================##===================================
Meu nome é Agosto, e como vocês podem ver eu estou batendo uma enquanto tento segurar um bando de demônios do lado de dentro da porra de um edifício condenado. Sei que pode parecer estranho alguém chorar enquanto bate uma, mas no momento estou sentindo temor por ser trucidado e tesão  pela foto da Kate Upton.
Após eu terminar estou pensando seriamente em me jogar do prédio, não aguento mais ficar nesse inferno na Terra e tomei Tylex o suficiente pra não sentir tanta dor quando bater no concreto cheio de ossos e tripas.
Mas como cheguei a esse ponto?
Como o mundo chegou nessa merda?
E por que eu não estou comendo ninguém?
Vamos voltar um pouco no tempo; dia 27 sexta – feira, estou numa balada que toca música alternativa,  tentando ao máximo me sentir um ser humano normal que gosta de se divertir e interagir com outros seres humanos, ainda bem que existem variados tipos de bebida para me auxiliar nessa jornada. Tive um bom começo, conversei com um grupo de pessoas muito amigáveis e depois de cinco copos já era amigo de todo mundo, pra melhorar as coisas tinha conhecido uma garota fantástica, ela ria das minhas piadas politicamente incorretas e eu me sentia confortável perto dela, como se não tivesse mais que fingir e ser quem eu realmente era.
  Em algum momento do nosso papo nossos olhos se encontram, ela pega a minha mão e sorri, eu olho nos lábios dela e me aproximo; ao som de "Ashes to ashes" nossos lábios se aproximam e quando estava prestes a beijá-lá um estrondo nos interrompe.
"Mais que porra", pensei enquanto ela e outras pessoas iam para fora do clube para ver o que estava acontecendo, quando estou a caminho da saída vejo pessoas olhando para cima horrorizadas , algumas gritam como criancinhas. "Será que alguém está se jogando de algum prédio?", pensei; mas quando olho para cima percebo que é pior do que eu pensava, não era algo que iria atrapalhar minha volta pra casa no metro, mas iria fuder todo mundo para sempre, a PORRA da lua estava rachada e ninguém sabia que merda estava acontecendo.
Uma característica muito estanha sobre mim é que sou meio frio, e naquele momento só conseguia pensar na garota e não na porra da rocha lunar despedaçada no céu, quando a encontrei perguntei se ela estava bem:
- Eu tô bem, mas não tô entendendo merda nenhuma, cara. Disse a garota (o nome dela é Fábiula).
-Nem eu, mas é melhor a gente voltar pro clube, né? Não tem nada que a gente possa fazer agora.
-É, acho melhor mesmo. Concordou Fábiula
Enquanto íamos em direção ao clube, víamos pessoas tirando fotos da lua molestada e postando nas redes sociais com as hashtags "queporraéessa?" ou "jesusvoltou”, "doentes", pensei enquanto voltávamos ao clube.
Quando de repente o chão começou a tremer, parecia um terremoto, as pessoas ficaram desesperadas, rachaduras abriram as ruas e mãos com garras gigantes saíram dos buracos.
Homens bode, homens cão, todos saindo do buraco como se fossem inimigos da porra do God of war, mas não tinha um Kratos com suas lâminas do caos preparado para dar seus golpes e conseguir uns orbes, só milleanials chorando e cagando nas calças. As criaturas avançaram na multidão com suas armas vindas do inferno e suas garras de Zé do caixão, trucidando e estraçalhando tudo o que viam pela frente. Um homem bode avançou na direção de Fábiula com uma clave na mão, e como se eu tivesse um arrepio do Peter, peguei ela  pelos braços e a desviei do homem-baphomet sem peitos que por sorte não a pegou, mas infelizmente pegou o pobre milleanial que estava atrás dela,  o homem-baphomet o trucidou e o comeu com o entusiasmo de um gordo comendo um Big Mac:
-Vamos sair daqui, porra!!! Gritou Fabíula pra mim.
- Boa ideia!  Vamos nos abrigar no clube e nos trancar naquela joça!!!
Nós corremos em direção ao clube quando de repente o chão treme de novo e o clube se levanta e é destruído por uma figura gigantesca que surge diante de nós, para nossa surpresa e para minha eterna paixão infantil por dinossauros, é a PORRA do um Tiranossauro fucking Rex, vindo direto das profundezas do Acre.
- PUTA QUE PARIU! VAI TOMAR CÚ, QUE COISA FODA DO CARALHO, VAI SE FUDER!!! Eu gritava enquanto acontecia um massacre ao estilo Nanquim ao redor de nós.
-Se tá maluco, PORRA?? A gente precisa sair daqui, car........
Não consegui ouvir Fábiula terminar sua sentença por duas razões : estava maravilhado com o T.rex cuspindo bolas de fogo pelo quarteirão  e também porque no momento em que ela ia terminar sua sentença um dedo demoníaco atravessou seu esterno e a levantou enquanto ela gritava por socorro, era um homem cão que parecia com a porra do deus egípcio Anúbis, ele a trucidou como se fosse um palito de dente; e a pior parte foi que eu estava segurando a mão dela.Quando olho para o lado só vejo o braço decepado de Fábiula em minhas mãos,  enquanto o homem -anúbis se banhava no sangue e nas  tripas dela.
-AHHHHH QUE MERDAAA! ! AHHHHH. 
Eu comecei a gritar e corri que nem o papa-léguas para algum lugar seguro, estava tão aterrorizado e cagado que nem notei que estava segurando o braço da então devorada Fábiula. Eventualmente o braço se tornou útil para me defender dos homens-baphomet e das harpias que rasgavam o céu avermelhado, elas pareciam umas velhas carecas com os peitos de fora, naquele momento não sabia se ficava excitado ou assustado, a única certeza que eu tinha era que precisava urgentemente de outra calça.
Após correr por dois quarteirões daquelas criaturas do kakaroto, eu encontrei uma loja de roupas toda fudida, era só de marcas famosas e muito caras. "Estouro", pensei enquanto entrava na loja chique toda arregaçada.
Depois de trocar de calça e de cueca, resolvi dar uma volta na loja e pensei seriamente em estabelecer residência lá; quando ouço um barulho nos fundos.
"Puta que pariu, eu não posso me cagar de novo!!".
Eu seguro firme o braço de Fábiula e me preparo para atacar os enviados de Satã, quando avanço para atacar um grito feminino me interrompe:
-Não faz isso, porra!! Disse uma funcionária da então destruída loja. - São só funcionários seu tapado !!
-Desculpa gente, é que eu estou muito assustado.
-Mas por que caralhos você está segurando  um braço humano?. Pergunta um funcionário da loja.
-Longa história, conheci uma garota, quase nos beijamos, ela foi devorada, fiquei com o braço dela como "lembrança".
Eram pelo menos quatro funcionários na loja, todos estavam se preparando para fechar a loja quando aquela porra toda começou, eles não conseguiram fechar a tempo das criaturas avançarem então se esconderam nos fundos até que elas fossem embora.
-Graças a Deus que só nosso gerente foi pego, ele era um puta cuzão!!! Exclamou a funcionária.
-Gente, nós precisamos nos abrigar em um edifício e chegar até o telhado para buscar ajuda, provavelmente poderemos avistar um helicóptero e sair desse lugar. Sugeri ao grupo enquanto me livrava do braço de Fábiula.
-Parece uma boa ideia, tem um prédio à pelos umas duas quadras daqui, mas vai ser difícil chegar lá com essas criaturas na rua. Disse um dos funcionários.
-Se a gente não fizer barulho e ficarmos bem quietos, eles não perceber a gente,  vão estar ocupados demais trucidando outras pessoas , mas em todo caso é melhor nós fazermos armas para nos defender , se for pra morrer é melhor morrer atirando,né ?.
Com essa ideia nós fizemos armas com os cabides e alguns manequins,  é incrível notar a criatividade humana para desenvolver armas com objetos inofensivos e de utilidade doméstica.Armados e desesperados para sobreviver, nós saímos da loja e fomos em direção ao prédio,  as ruas estavam vermelhas e lotadas de tripas humanas e foi uma grande oportunidade para testar nossas armas,  uns 3 homens-baphomet avançaram em nossa direção sedentos por sangue e tripas.O nosso instinto de sobrevivência nos fez ter uma habilidade medíocre para matar demônios,  com a lança feita de um braço de manequim,  Débora,  a funcionária da loja a  cravou na garganta do homem bode e pressionou bem para matar o lazarento,  enquanto o matava a moça chorava feito um bebê aterrorizado , na verdade , todos nós estávamos chorando enquanto matávamos os demônios; era uma resposta natural ao temor de ser morto e a necessidade fudida de sobreviver.
Após matarmos os demônios e percebermos que estávamos vivos, nos choramos de novo, estávamos tão elétricos que parecia que teríamos um infarto.
-Olha gente,  tem uma farmácia logo ali, vamos tomar alguma coisa para acalmar os nervos e seguir em frente. Sugeri aos meus novos amigos e prováveis amantes do Apocalipse.
Quando entramos na farmácia percebi que eles também compartilhavam o mesmo gosto que eu tinha por psicotrópicos e barbitúricos que fodem sua mente se consumidos em excesso. Adderal, oxicodona, valium, Tylex;  a gente encheu nossos bolsos e vazou de lá bem rápido,  como se o alarme fosse acionado  e a polícia estivesse a caminho.
-Feliz Navidad,  porraaa. Disse Joaquim, um dos funcionários da loja.
-Olha lá,  estou conseguindo ver o edifício daqui !!. Disse Fernando,  o outro funcionário.
O prédio estava perto e de bem longe podíamos ver também uns Tiranossauros cuspindo fogo no horizonte. Quando estávamos próximos do prédio, ouvimos uma horda de demônios bem atrás de nós.
Homens -baphomet, homens - Anúbis, até mesmo homens-largartos se reunindo para se preparar para o ataque.
-Fudeu. Disse Jorge
-Vamos ser molestados, porra!!. Gritou Fernando.
A multidão demoníaca se abriu enquanto se aproximava o que parecia ser um general demônio com um machado todo ensanguentado,  com um rugido ele deu ordem para atacar e o pequeno exército avançou em nossa direção.
-Vamos fugir porra!! O prédio tá próximo.  Gritei bem alto.
Todo mundo correu como louco em direção ao prédio, Joaquim tropeçou numa perna decepada, Fernando tentou ajudá-lo mas não adiantou,  uma harpia pegou Joaquim pelas pernas e subiu com o pobre coitado para seu ninho satânico,  quando de repente Joaquim tirou sua faca improvisada de um cabide do bolso e a enterrou no olho da vagabunda.
-Morra sua vadia, morraaa! !! Gritava Joaquim com ferocidade.
A parte boa é que a harpia o soltou,  mas a parte ruim é que altura em que ele estava era muito perigosa, e como bosta caindo no chão ele foi esmagado pela megera da gravidade que o atraiu para o concreto.
-Mas que merdaaaaa. Chorava Fernando.
Ele ficou tão horrorizado em ver seu amigo esmagado que esqueceu de correr e acabou sendo pego e devorado por um homem - crocodilo.
Nós nem olhamos para trás,  porque se olhássemos não iríamos conseguir chegar ao prédio.Quando chegamos ao prédio fomos direito a saída de emergência para chegar ao telhado, nem fudendo pegaríamos o elevador.
A horda de demônios estraçalhou a entrada do prédio em busca de sangue.
Jorge ficou segurando a porta da saída de emergência para impedir que a horda nos matasse.
-Vão logo! Posso segurá - los por um tempo!!!!Disse Jorge
-Por que você tá fazendo isso, porra? Perguntou Débora.
-Sou secretamente um suicida, mas sempre tive preguiça de me matar!!! Justificou Jorge.
Com isso eu e Débora corremos por nossas vidas, o fudido era que eram nove andares até o telhado e nenhum de nós dois tinha o porte "atlético".
-Eu não posso mais continuar, Agosto!! Acho que vou ter um infarto!!Exclamou Débora.
Dito isso nos ouvimos um grito e vários rugidos nos andares abaixo.
-Fudeu!! Eles estão vindo!!!!.Gritei desesperado.
-Você precisa me carregar até o telhado, Agosto!!! É o único jeito de NÓS DOIS sobrevivermos!!. Disse Débora, ofegante e largada nos degraus.
-Eu tenho uma ideia melhor.
Com isso eu peguei a cartela de Tylex do bolso dela e segui meu caminho até o telhado, estava tão drogado de anfetaminas que me tornei um pouco egoísta e cuzão, tanto que nem consegui ouvir Débora me xingando de tudo quanto nome imaginado, então vocês não podem julgar, pois eu estava muito chapado. Quando cheguei ao telhado eu imediatamente tranquei aquela porta e a segurei com minhas costas, alguns segundos depois ouvi um grito feminino e depois batidas na porta, uma mistura satânica de rugidos e arranhões tentando sair para me estraçalhar como um ursinho carinhoso.
-Oh Jesus me salve!!! Por favor! Sei que não fui o melhor ser humano mas convenhamos que eu também não fui o pior,  então me livra dessa,porra!!!. Eu gritava enquanto me cagava (de novo) e segurava a porta.
Devo admitir que aqueles putos eram insistentes , depois de trinta minutos eles ainda queriam entrar,  mas mesmo no inferno na Terra uma janela se abriu ,enquanto segurava a porta eu avistei no chão uma edição  da Sports Illustrated com o modelo pluz size mais gostosa do mundo, Kate Upton, posando na capa.Com a revista em mãos eu me sentei, tomei uma cartela de Tylex com sprite e,abri nas páginas do ensaio da Kate e comecei a descabelar o palhaço,  enquanto chorava que nem um doente.
                                                                                     
                                                                                             Capítulo 2: Black Metal
   Estou prestes a me jogar de um prédio,  não é realmente como eu havia planejado minha noite mas o que faz sentido nesse  momento?. A lua está rachada, demônios saíram de buracos e isso foi uma baita empaca foda na minha tentativa de beijar uma garota.
    Mas um pouco e a horda vai sair e me trucidar como fez com os outros. Olhando para o chão lá embaixo penso como foi minha noite: conquistas,  frustrações e  cagadas. Viro de costas ,abro meus braços e me jogo do prédio, sinto o vento nas minhas costas e a resistência do ar nas minhas orelhas, é o fim.
   Para o meu azar, durante minha queda para morte eu bati em uma hárpia que voava na área. A batida foi forte, mas não me matou, a única sortuda foi a hárpia que ficou esmagada com o impacto, agora além de cagado estou encharcado de sangue e jogado na rua sem sentir dor nenhuma do impacto por estar chapado de Tylex. Acabei dormindo lá mesmo e usei uma das asas da hárpia como cobertor e seus seios como travesseiro.
   Acordei com a luz do Sol batendo em meu rosto, a rua estava vazia e silenciosa, se não fosse o cadáver de hárpia e as poças de sangue eu diria que tudo aquilo passou de um pesadelo estranho, mas era tudo real.
     Até esse momento você já deve ter me classificado como um babaca egoísta,  por uma clara razão;  que tipo de corno sem coração não pensa na própria família quando baixou o inferno na Terra? , bom até esse ponto eu sou realista o bastante para aceitar o fato de que eles devem estar mortos e preguiçoso o suficiente pra não ir até em casa para confirmar a tese e também porque minha casa tá longe pra cassete.
     Eu só podia pensar em como minha pesquisa de doutorado tava no brejo, sem fundos e com meus o orientadores trucidados não vai ter como  concluir minha pesquisa sobre o uso do hormônio GH para crescimento de órgãos e tecidos, estava na merda.
   Depois de trocar de calça e de cueca (de novo!!), eu estava traçando um plano para onde eu iria estabelecer residência,  porque estava claro que suicídio estava fora de questão,  se você tenta uma vez e falha , é um sinal de que não vale a pena. Fui até um mercadinho e peguei alguns suprimentos, e na saída do mercado olho para o céu :
-Apesar de tudo o Sol está muito lindo hoje.
   Quando de repente uma bola de fogo no céu vem caindo em minha direção,  parece um pequeno meteoro, e num relance pulo para uma pilha de lixo e o objeto espacial explode o mercadinho. A minha curiosidade venceu a minha covardia e resolvi ver o que era e pra minha surpresa era um homem alado !! Um Adônis musculoso de cabelos negros ,vestindo uma armadura dourada e  com asas brilhosas.
-Caralho.... Se tivesse uns peitos.... Acho que eu comia!!
O estranho estava desarcodado e um pouco ferido, e depois de ponderar um pouco chego a uma conclusão :
-Esse porra é um anjo, se eu ajudar ele, talvez eu possa comprar um bilhete pra me mandar daqui!!!!
Por sorte a parte da farmácia do mercadinho não foi destruída, peguei álcool 70%, algodão, adesivo cirúrgico e amoníaco. Tratei os ferimentos do cara e o acordei com o amoníaco , quando ele abre os olhos as asas do puto começam a brilhar e quase me cegam.
- Ahhh,  cuidado com meus olhos seu filho da puta!!
-Puta merda , essa queda foi de fuder! !! Exclamou o anjo. Mas parece que você tratou meus ferimentos hein. Qual é a tua? Quer dar pra mim é? . Perguntou o anjo.
Eu estava abismado com o modo como aquele cara falou comigo, "anjo estranho", pensei.
-Você é surdo, caralho? É impossível não poder me entender, já que eu falo qualquer língua de qualquer lugar desse Universo nojento, incluindo seu planetinha de merda,  então é melhor falar alguma coisa senão eu vou ter que te matar! !!. Disse o anjo
-Calma ! Calma. Falo rapidamente. "É que eu fiquei um pouco surpreso , não sabia que anjos xingavam.
Ele me olha com uma cara de dúvida e solta:
-Não sou um anjo sua besta, sou um mero guerreiro a serviço de um ser celestial. Diz o anjo
-Mas isso é exatamente um anjo, porra! Com asas e tudo.
O cara coloca a mão no rosto e suspira :
-Puta merda, sempre quando eu venho aqui é a mesma bosta.
-Pera , você já venho aqui antes ? Pergunto
-Algumas vezes . Responde o cara
-Então quer dizer que toda aquela merda judaica - cristã é verdade?
-Bom.... Sim e não. Não teve jardim do Éden,  teve um criador, mas não do jeito que vocês pensam.... Disse o cara
-E esses monstros que surgiram na rua?
-São emissários de uma entidade muito fudida e assustadora.
-Satã?
-Ahnn,  claro ,porque não. Olha não quero ser babaca nem nada mas eu preciso ir , agradeço pelos curativos e tals.
-Espera , não tem nada que eu possa fazer pra ajudar ? Você não quer um assistente ?
-Olha não me leve a mal, mas eu li sua mente e não quero um cagao cuzao viciado como assistente,  e o fato de  você ter matado um soldado e esmagado uma hárpia não me impressiona.
-"Cuzao ". Pensei
-Eu ouvi isso, agora se me dá liçenca eu preciso ir e checar se tem mais seres nesse planeta.
E com isso o babaca alado levantou vôo e vazou pelo horizonte. Enquanto observo a zona de impacto percebo que o babaca alado deixou um tipo de arma para trás, a arma tinha um formato de um rifle automático com aspectos espaciais.
- Como será que funciona? Penso comigo mesmo.
 Eu aperto o gatilho e um raio de energia explode o mercadinho e me joga longe, eu bato na parede e fico inconsciente por algumas horas. Quando acordo decido levar a arma junto comigo,  já que minha arma improvisada foi deixada nas escadas do prédio, com  a arma em mãos eu sigo caminho para encontrar um lugar para ficar, numa rua ouço vozes , encosto na parede preparado para testar a arma que o babaca alado deixou para trás,  quando viro a cabeça para dar uma espiada,  percebo que são dois anjos espaciais:
- Eu soube que você já veio pra cá antes .Disse um
-Sim uma vez ,estava no deserto enchendo a cara e acabei conhecendo um carpinteiro... Era um cara com idéias bem interessantes. Disse o outro
-O que aconteceu com ele ? Perguntou um
-Bom eu soube que......
Nesse momento eu apareço e rendo os dois :
-Parados ,porra!!!
-Mas que porra é essa? Quem te deu essa arma , inseto? Pergunta um dos anjos
-Eu faço as perguntas sua bicha alada!
-Ora seu viadinho....
No momento em que um deles ia levantar a espada , o outro o interrompeu :
-Calma, porra ! O que você quer saber?
-Que merda está acontecendo?
-Ahhh isso ? É uma limpeza
-Mas por que ?
-Bom,  deixa eu te explicar , há muito tempo numa parte inexistente e nula da realidade, três entidades estavam bebendo e jogando um jogo que vocês aqui chamam de roleta russa. Cada entidade pegava a arma , girava,puxava  o gatilho e passava pra próxima, quando a chegou a vez da terceira, ela puxou o gatilho e infelizmente acabou estourando os próprios miolos. Sabe o que acontece quando uma entidade morre? Acaba gerando vida e acredite se quiser que naquele mesmo dia seu Universo nojento foi gerado. A explosão foi tão forte que quase matou as outras duas entidades , elas até pensaram em destruir ess.e recém criado universo ,mas  vendo todas aquelas galáxias e estrelas se formando, elas decidiram que iriam deixar esse Universo evoluir em paz, como uma forma de honrar a memória do amigo. Mas após bilhões de anos , esse universo se tornou uma pedra no sapato,  ele está no meio e está dificultando a expansão dos outros dois universos , então as duas entidades concordaram em destruir esse universo. Concluiu o anjo espacial.
-Por isso racharam a lua? Perguntei para ele.
-Ah não , aquilo foi direção ruim , nosso piloto estava bêbado e acabou batendo a nave de antimatéria na lua , o impacto foi tão forte que o infeliz voou longe, provavelmente ele já entrou em órbita por aqui. Justificou ele.
- "Aquele porra que caiu no mercadinho!!". Pensei
-Ahhh,  agora sei como conseguiu a arma, aquele idiota a esqueceu e você a pegou !! Garoto esperto .
- Isso não vai ficar assim, eu vou unir o máximo de sobreviventes e nós vamos impedir isso!!. Exclamei com o peito cheio
Nesse momento os anjos espaciais começam a gargalhar como loucos :
-hahaahahahahah, não fode cara, e nem perca seu tempo, durante a sua tentativa patética de suicido, os exércitos do Universo 1 já estavam começando a aniquilação da população, você é literalmente o último ser vivo do Universo !!!
-Como assim do Universo?
-Bom, os exércitos do Universo 1 já aniquilaram a vida de todas as galáxias e seu planeta era o último que faltava, tanto que eles já foram embora enquanto você dormia nos seios da hárpia,  nós do Universo 2 só viemos checar se eles não se  esqueceram de ninguém, aparentemente deixaram de matar você.
-Porra não pode ser !!!!. Olho para baixo confuso e frustrado.
-Olha se te faz se sentir melhor, universos são criados e destruídos toda hora, é algo fora do seu controle e compreensão,  então não fique tão desapontado.
-Vai se fuder! !!. Eu grito e aponto a arma pra cabeça do anjo espacial.
-Vai em frente babaca,  me mate, não vai mudar o destino do Universo, você não pode impedir o que está por vir , o Universo vai explodir em 5 minutos. Se for nos matar faça isso logo ou se mate pra te poupar da dor de ser desintegrado.
-Eu... Eu não sei o que fazer!!! Estou totalmente sem ação.
Eu largo a arma , me ajoelho e começo a chorar.
-Bom , isso é uma reação esperada , mas pelo menos você não se cagou!!!. Disse um dos anjos.
O outro anjo conversa com ele e os dois parecem concordar com alguma coisa que acabaram de discutir.
-Olha, meu parceiro me disse que você curte ficar doidao , então eu vou te dar isso aqui,  considere como um presente antes de morrer.
-O que é isso ?
-Se chama sono quasariano,  um sedativo tão poderoso que faz você perder a memória do dia anterior, use o mais rápido possível,  você ainda tem 3 minutos, adeus bobão.
-Espera! Antes de ir me responde uma última pergunta.
-Manda
-Existe vida após a morte?
-Eu vou saber , caralho? Eu sou um aniquilador , não um médium.
   E com isso os anjos levantaram vôo e sumiram no céu, eu olho ao redor da destruição e me sinto sozinho e sem esperanças, abro o tubo contendo o sono quasariano e o bebo num só gole. Me sinto leve e tudo se move lentamente,  parece que estou flutuando,  êxtase e relaxamento se espalham pelo meu corpo, pego a arma espacial e aponto ela pra minha cabeça :
-Nem fudendo que eu vou esperar 2 minutos pra morrer.
========================##==========================
   Num planeta da Via Láctea,  o último ser vivo explode os próprios miolos porque não quer  esperar pela explosão que destruirá  o Universo,  indiretamente o ser seguiu os passos de seu criador. Viva, morra, bata uma , mesmo assim você não consegue mudar o curso da existência cósmica ou o rumo do Universo.
                                FIM.
Pin It
Atualizado em: Seg 6 Jan 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222