person_outline



search
  • Contos
  • Postado em

Escolhas Sutis

 Em uma noite de outono estive em uma encruzilhada da qual não compreendera de ser uma escolha tão dura e difícil da qual mudaria meu ser por completo. Ainda não sei por qual motivo me coloquei nesse lugar, aonde teria que escolher uma vida pacata com apenas uma mulher, bela, dedicada e amável ou uma vida promiscua, cheia de selvageria, mulheres com os mais diversos corpos, bebidas e prazeres mundanos. Ainda não sabia o que meu ser se tornaria. As vezes a escolha da bela donzela e dedicada fosse um caminho bom, calmo e com sorrisos pelas manhas ou meu caminho certo seria a da vida promiscua, aonde teria de tudo um pouco aonde não teria tempo para ocupar minha cabeça com pensamentos como esse. 

 Ainda me recordo que nessa época era novo sem nem um impedimento, tinha uma vida bem pacata, calma por assim dizer com poucos amigos algumas saídas na noite nada muito irregular de uma pessoa normal. Nessa época lembro de ver o mundo de um modo diferente com uma outra perspectiva, mas uma dúvida que me consumia sem mesmo nem um motivo, será que eu seria alguém irrelevante com sem nem um avanço para humanidade ou deixaria uma marca grande no mundo? 

 Agora, sinto minha respiração ofegante com o suor escorrendo em meu rosto após uma noite longa e prazeres carnais. Quem diria que eu encontraria uma pessoa igual a ela? Com um olhar tão meigo, pele macia e aveludada, desejos tão vorazes que não me deixara respirar direito. Por qual motivo me prendeste a esse mundo de desejos tão fúteis e prazeres carnais? 

 Hoje meu maior prazer e ver seu corpo se estremecer de excitação ou presenciar você chegar ao clímax. Ainda não entendo você! Se diz satisfeita, mas toda vez que toco seu corpo e a domino, você sem hesitar se entrega de corpo e alma mesmo negando estar satisfeita ou cansada. Eu que sempre fui bom em ler os desejos das pessoas, nesse momento não consigo entender o que seu corpo grita ou seu olhar me diz durante essas horas de prazer. 

 Me sinto afundar nesse desejo incontrolável de possuí-la e ter seu corpo em meu domino. Como pode? Uma moça tão empoderada que não dá ouvidos a ninguém além de seus desejos e vontades próprias. Ela não tem medo de se entregar e sempre se entrega com todas as forças.  

 Quem diria que ela dominaria meus pensamentos? Ninguém, nem mesmo eu poderia saber que ela me entregaria de mãos atadas em uma bandeja para as leoas. Leoas famintas e vorazes com seus desejos a flor da pele. Eu desejava sim por mais sexo e não nego que sempre me entreguei aos prazeres da carne. Por que eu não iria me entregar a elas? Não sabia que isso me consumiria a esse ponto.  Aquela fazer hoje faz sentido, “Nunca e errado se te faz bem, e nunca se deixe levar pela moral dos outros, procure sua felicidade.” 

 Quem diria hoje que eu estaria em desespero para ter mais um corpo em minhas mãos, para que possa me afogar em desejos e as vontades estranhas que meu corpo suplica? Só de sentir minha mão em sua pele macia e aveludada as vezes sentir seu cheiro ou ouvir seus gemidos em meio a essas sensações. 

  Ainda ouço a sua voz de vez em quando alta pedindo para que não pare ou murmurando agradecendo pelo momento de prazer. Ainda lembro da frase que sempre dizia a mim antes de ir embora “- Realmente eu estava certa. Eu voltarei, posso?” e logo em seguida a via ir embora. 

Hoje não sei se aquela vida pacata de ter filhos, uma esposa bela e dedicada era mesmo um caminho que me faria feliz ou algo que via os outros desejando e acabei querendo. Ou me entregar aos prazeres mundanos e carnais era o que queria. Mas isso não importa, pois, a única coisa que desejo agora e ter você mais uma vez em meus braços e poder possuir seu corpo sem nem um pudor. 

Pin It
Atualizado em: Sáb 28 Mar 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222