person_outline



search

ECLIPSES

Desejo uma canção muda que escorra

Entre as veias entupidas do meu corpo

Numa arquitetura feita de palavra pouca

Que na superfície de um poema se resolva.


Vejo as horas repetidas em meio às sombras

Dessa tal claridade obscurecida e que ressoa

Nos dias tão de tempestades vindas à tona:

Ocupam pavimentos, campos, lares e pessoas.


Uma nota. Um milagre. Uma melodia solta.

— É o que o poeta pede, tenta, quer e sonha.

Pin It
Atualizado em: Qui 16 Maio 2024

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br