person_outline



search

A CASA DO ONTEM

Vou voltar para minha casa
que já não existe mais
 
Reencontrar as minhocas
no chão da terra soterradas
ver as formigas agitadas
carregando o mundo nas costas
como se não pesasse nada
pegar as folhas das papoulas
que eu não comia, porém mastigava
duelar faroestes com vilões imaginários
apostar corrida com o vento
mas era ele quem sempre ganhava
e brincar de professor dando aula
 
Vou abrir a janela do quarto
contemplar o sumir da madrugada
comer cuscuz com leite no festim matinal
beber vitamina de banana com Nescau
escovar os dentes e pentear os cabelos
com aquele menino me olhando no espelho
beijar a bochecha do meu pai desbarbada
pedir a benção da minha mãe ainda deitada
e sair para a escola que ficava
no outro lado da rua que beirava
próximo da esquina onde o bairro terminava
 
Minha casa que não era pequena
tinha o tamanho de um castelo
por onde imensos dias passavam
e eu dentro dela era o rei que reinava
na folia dos meus tantos folguedos
 
A casa que o tempo
ao passar do tempo demoliu
era toda pintada de infância
e no seu interior a eternidade morava
 
Vou voltar para minha casa
que já não existe mais
 
Pin It
Atualizado em: Seg 26 Jun 2023

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br