person_outline



search

Pergaminhos Paulistas IV

Quem é você São Paulo?
Tento te entender e não consigo!
Diga-me! Quem tu és?
És café ou cana?
És locomotiva ou metrô?
És Jânio ou Adhemar?
Responda São Paulo!

Eu sei quem sou!
Sou de Araraquara registrado em Ribeirão Preto!
Quem é você São Paulo?
Fale-me! Solte suas palavras!
Eu sou constitucionalista de 32!
Eu não sei quem tu é!
Você me confunde São Paulo!

Será você a Avenida Paulista?
Com aqueles arranha-céus que deixam-me zonzo?
Fale, São Paulo!
Será a cracolândia?
O rio Tietê que fede?
O morador que dorme nas ruas?
Quem é você São Paulo?

Eu sei quem sou!
Sou comercialino de Ribeirão Preto,
Juventino da Mooca, bello!
Não me irrite!
Preciso trabalhar!
Ônibus lotados e caros!
Não te entendo, São Paulo!

Será você o Pateo do Collegio?
Ou serão as Marginais?
Responda-me!
Não me enrole!
Não me engane!
Pare de falar café, café, café!
Vou pegar um trem antes que atrase!

Eu sei quem sou!
Sou Maria Sguassábia e Tarsila do Amaral!
Sou Belmácio Pousa Godinho e Carlos Gomes!
Sou Tibiriçá e Bartira!
E quem és tu, São Paulo?
Não grite comigo, São Paulo!
Não grite!

Respeite-me, São Paulo!
Modere tuas palavras!
Eu sei quem sou!
Sou a bandeira de treze listras,
Sou admirador de Vicente Caruso,
Da musa que desfralda a bandeira!
E quem és tu, São Paulo?

Eu sou USP, Unesp e Unicamp!
E você, São Paulo?
Eu sou Hebe cantando Quatrocentão,
Sou Mário Zan tocando Quarto Centenário,
E tu, São Paulo?
Nada entendo de você, São Paulo!
Onde estão seus livros impressos, São Paulo?
Diga-me!

Eu sou a terra dos calçados,
Sou Birigui, Jaú e Franca,
E você, São Paulo?
O que é?
Não grite, respeite-me!
Eu sou independente, livre, bato asas!
Sou Non ducor, duco!
Sou Pro Brasilia, fiant eximia!
E tu? O que é, São Paulo?

Sou 9 léguas de João Ramalho,
Ahhh! Você é formado e informado?
Com tanta gente passando fome?
Pessoas desempregadas?
Você embrulha o estômago, São Paulo!
Após comer as coxinhas das ruas,
Os lanches duvidosos que encontro!

Não venha com este papo de locomotiva!
Cansei! Deveria ser o trem-bala,
Aquele esquecido da Copa!
Você é a terra das lindas moças?
Mas só isto São Paulo?
Eu sou Rosa Branca e você?
Sou Sophie Scholl! E você?
Ela é alemã e portanto não vale?
Bem que poderia ser a inspiração dos paulistas!

Não me enrole!
Venha cá sem gritar, sem pressa!
Você é aquela linda moça do Diploma dos Correlegionários de 32?
Será que é?
Duvido! Pago para ver!
Eu sou a Vila de Piratininga, São Paulo!
Sou os Campos de Piratininga!
E tu, quem é, São Paulo?

Não sei quem és tu, São Paulo.
Eu sou os valentes do Cerco de Piratininga,
Sou Brecheret! E tu?
Vou pegar um café, espere.
E sou a Maratona de São Paulo,
Para te aguentar, só uma maratona!
Sou o clímax da historiografia de Paulo Prado,
Você é a decadência dela?

Eu sou indígena e nas minhas veias corre o sangue de Bartira!
E na sua? Suor sem causa? Suor eterno e sem fim?
Eu sou a catira e sertanejo raiz! Sou Tonico e Tinoco!
E tu, o que é São Paulo?
Sou Demônios da Garoa e Adoniran Barbosa!
Sou Germano Mathias!
Sou Vai-Vai e quem és tu, São Paulo!

Sou Thobias do Vai-Vai e Mestre Tadeu,
Sou seu Nenê de Vila Matilde,
Sou seu Leandro de Itaquera!
E tú, o que é São Paulo?
Fale-me!
Não fique calada!
Será que não rezamos o mesmo terço?
Eu defendo a cripta de Tibiriçá se preciso for!
E você São Paulo?

Eu sou a garapa! O caldo de cana líquido e tu?
Ahhhh...não venha com esta história de terra roxa!
Já sei! Você deve ser as escolas sem Internet! É isto?
Não é?
Eu não sou professor, já fui um dia.
E você, São Paulo, quem educa?
Eu sou jogador de Xadrez de rua e você?
Não me irrite antes que eu te dê xeque-mate!

Identifique-se, São Paulo!
E tu educas para fumar droga no centro?
É este teu fim?
Para prostituir a miséria?
Jogar nas ruas quem te considera?
Tu não és São Paulo!
Você é o prédio que pega fogo? Que desaba?
É o formigueiro capitalista?
Grande coisa!
Mostre-me tuas credenciais!

Eu sei quem sou!
Sou defensor de Guilherme de Almeida,
Sou defensor do Hino do Estado de São Paulo,
Sou defensor de Tobias e Feijó!
E você? Quem é, São Paulo?
A musa cortejada pela nação?
Não deve ser!
Não há paz neste casamento insano se você não se ajeitar!

Eu sou a pizza bem feita,
A cantina com música italiana,
Lembrando irmãos e irmãs distantes,
Sou o negro que te construiu,
Sou o indígena que tu enganou!
E quem és tu, São Paulo!
Diga-me!
Sou o suor que cai na aguardente,
Sou quem te relembra!
Não sei quem tu és, São Paulo!

Eu não sou feudo, São Paulo!
Sou multiétnico,
Diversificado,
Construtor da História,
Poeta dos momentos vagos,
O Analista de Sistemas,
O Engenheiro de Software,
Sou também o coletor de resíduos,
O varredor de rua, a margarida!
E não sei quem tu és, São Paulo!

Eu sei quem sou!
Sou os trilhos intermináveis,
As rodovias que carregam a economia,
E você, o que é São Paulo?
Não grite comigo!
Eu sou filho da terra! Respeito!
Não sou Du Bocage, o putanheiro,
Que comeu, bebeu, f..., sem ter dinheiro!
Quem és tu São Paulo?
Diga-me!

Eu falo em alto e bom tom:
"Enquanto a bandeira no alto tremular,
Nós paulistas por ela iremos lutar!"
Ainda aponto para o Banespão.
E tu? Diga-me!
É o barulhento prédio ao lado sendo erguido?
Os engolidores da História?
Quem é você, São Paulo?

Eu sou a Mata Atlântica que você destruiu,
O caminho do mar,
Sou guaianás e tupi que você dizimou!
Sou também caiapó do interior.
E tu, quem é São Paulo?
Quem é!
Diga-me!

Eu sou a bananeira do Vale do Ribeira,
Sou os inúmeros leões que tem por aí,
Seja em Ribeirão Preto, na capital ou Birigui!
E você, já decidiu?
Eu também sou galo!
Galo do Japi, vermelho, azul e da Comarca!
Eu sou arara e macaca! Sou bugre também!
E você, o que é São Paulo!

Eu sou locomotiva grená e das terras sem limites!
Sou das terra que protege as crianças e carrega seu lema:
"Labor omnia vincit".
E quem es tú, São Paulo?
Fale alguma coisa!
Emudeceu?

Você é a terra da garoa ou das enchentes?
Vem mais água por aí em breve!
Eu sou Hermínio Ometto e Antônio Guimarães!
Sou Bento de Abreu!
Sou azul de Sorocaba!
Desconheço quem seja tu, São Paulo!

Sou Praça XV,
Sou Teatro Pedro II,
Sou Pinguim!
Sou mulheres na lavoura,
Pessoas na enxada,
Sou escola agrícola!
E quem é você, São Paulo?
Quem você é!

Sou Massa Bruta também,
Achou que eu ia esquecer?
Sou burro da central e águia do vale!
Sou Antônio Tavares Pereira Lima,
Sou Clássico do Fundador!
Desconheço quem seja tu, São Paulo!
Diga-me, antes que eu perca a paciência!

Eu carrego meus valores no bisaco,
A bandeira paulista, documentos e nada mais!
Um currículo na mão e quem sabe, inspiração!
Eu sou estação da Luz! Pinacoteca do Estado!
Sou Almeida Júnior e Anita Malfatti!
Sou Arte Sacra e profana, sou ROTA!
Sou o quadro "Saudade",
Sou Benedito Calixto!
E quem é você, São Paulo?

Sou Palácio dos Campos Elíseos e dos Bandeirantes!
Sou Parque da Independência e Museu Paulista,
Sou Cinemateca e Vera Cruz!
Sou Tupi e Excelsior!
Sou liberdade de imprensa e expressão,
Sou paulista e do estado-nação!
E você, São Paulo? É ditadura ou libertação?

Sou o Campo Santo, local de heróis!
Sou MMDC, 23 de Maio e 9 de Julho!
Não coloco caixões de heróis ao chão no dia da Revolução!
Você assim faz!
Tem certeza que você é São Paulo?
Tenho minhas dúvidas!
Eu sou Arthur Friedenreich, na bola ou na guerra!
Sou 25 de Janeiro de 1554!
Sou a corneta tocando a Paris-Belfort!
Eu sou paulista, E você, São Paulo?
É?
Quem é você, São Paulo?
Pin It
Atualizado em: Qua 20 Jul 2022

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222