person_outline



search

EXUBERÂNCIAS

Ainda estou em frente da moldura da janela.
São quase dezessete, no final da primavera
de uma tarde impressionista que atravessa
a rua, as cerâmicas dos telhados, o reflexo
das sombras cor de creme e do amplo bege
que rebate os ossos espalhados da costela.
Paira um silêncio ensurdecedor sem decibel
sobre a cúpula toda alaranjada do hemisfério.
Eu deveria ter falado desta elegância discreta.
Senti o vapor que saia da sua sandália amarela.
Pin It
Atualizado em: Qui 25 Nov 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222