person_outline



search

192

E amar e te amarrar no desfiladeiro livre,

feito esta pedraria esparsa que se desloca

entre o eco do céu turquesa da tua órbita.


E inundar cada pele sem pelos e cada fatia

ao redor da barriga aos roxos dos mamilos intumescidos: a rigidez dos teus holofotes.


Escalar os músculos e dar com a tua língua

e fundir duas carnes em múltiplos galopes.

Te amar com a dependência de quem vive.


E com a emergência doída de quem morre.

Pin It
Atualizado em: Qua 23 Jun 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222