person_outline



search

O viajante

Os olhos do mar de agosto

Que me olham profundamente

Desequilibram e concentram na mente

Toda hipertonia do mar morto

 

E eu, de amor, louco

Procuro-te insaciavelmente a quentura do corpo

E um indefinível "para sempre"

 

Mas marinheiro, apaixonado pelo mar

Passarei dez anos com William no Holandês

E terei uma vida incrível

 

E depois, encontrarei a sua tez

Para que possamos nos amar

Porque viver e amar não é preciso.

Pin It
Atualizado em: Qui 4 Fev 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222