person_outline



search

DE REPENTE

é que você foi assim de repente

o que não avisa quando aparece

de repente feito uma nuvem bege

que cobre a tarde e não sei direito


como estou se estilhaço que lacera

ou alguma outra forma eu amordacei

uma voz que vinha em rimas diretas

com pontos e vírgulas e parênteses


e versos longínquos que nada servem

para arrancar essa tempestade severa

e que remexe a profundeza modorrenta

deste meu oceano de pedras de sal secas


onde busco o poema que mova esta febre

que pula do seu corpo e quase o reveste

de uma antiaura que arde e nada protege

senão a fogueira abóbora de rim e de pele


é que você veio assim de repente a alegoria

vestida de vestido perfumado e de poesia.

Pin It
Atualizado em: Seg 2 Nov 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222