person_outline



search

CANSADOS

O meu verso gostaria de ser forte

feito gente que enfrenta a morte.

O poema é uma arma carregada

sem tiro de pólvora, só de palavra.


O que não é meu vem da calçada,

da fuligem espessa que se instala,

quando todo o preto atinge o auge

antes da aurora vazar a madrugada;


esta lâmina delgada e lilás logo dissipa

a penumbra que não mais predomina

na atual desarmonia das mesas vazias,

dos corpos brancos e do chão de cinzas.


As portinholas quase fechadas da avenida.

E vejo os fantasmas dos poetas sem poesia.

Pin It
Atualizado em: Seg 16 Dez 2019

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222