person_outline



search

Melancolia

Meus olhos encontravam-se marejados
Minha alma estava profundamente consternada
Angústia e solidão pareciam não ter fim
Achava-me à beira de um precipício
Pronta para pular
Quem haveria de me salvar?
Nas inúmeras tentativas de acalentar
Minhas vozes internas
Que insistem em me dizer
O quão tola eu fui em desfazer-me
Da armadura que criei
Para me proteger de você.
Encantador, galante, instigante...
Eu deveria ter me entregado?
Depois que estou a juntar os cacos
Que você me deixou
Dou-me conta que ingenuamente agi...
Doce e amarga ilusão.
Tento de todas as formas
Esquecer o gosto do seu beijo.
No lugar onde você se deitava
Para me fazer juras e promessas,
Hoje eu ocupo com livros...
(Os livros que me deu de presente).
As rosas do buquê que me presenteou,
Encontram-se murchas
Assim como o amor que
Disse que duraria até aquele dia,
Quando te vi partir com outra pessoa
E levando consigo minha virtude.
Muito tempo se passou desde então...
Consegui o intercâmbio que eu sempre quis,
E a pessoa com que fugiste
Hoje te abandonou.
Ainda guardo a lembrança mais bonita de nós dois
Mas hoje... você é só mais um 
No meu oceano de amores.
Pin It
Atualizado em: Qui 12 Jul 2018

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222