person_outline



search

Da vida nem sei

Coisas que eu sei...
Ou imagino saber, 
Nem sei...
Tem tanto pra aprender,
Que me calei.
Observei.
Atenta!
Aos detalhes dos pequenos gestos,
Dos olhares...
Da vida, nem sei,
Mas vivo como se soubesse,
Ando como se Correse, 
Com medo do relógio que parece ter pressa,
Pressa não sei de que, nem pra que.
Amo como se soubesse esquecer,
Sinto como se não fosse mais viver...
Mas ainda sim, sei sobreviver.
A tantas coisas pra aprender...
A tanto pra ver que meus olhos não dão conta.
A tanto pra sentir que meu corpo pula!
Não dou conta.
De tudo que ainda há por vir.
De todo esse sentir...
Nem sei.
Vou levando o que tenho de melhor, na bagagem bem pequenina que carrego de minhas poucas qualidades...
Tentando mudar numa constante procura da felicidade.
Pin It
Atualizado em: Ter 10 Jul 2018

Comentários  

#1 D_A 11-07-2018 09:22
Cada palavra escrita, cada poema seu, encolhe o mundo, fazendo com que ele caiba na palma da sua mão... Então, tenho certeza que terá sabedoria para cuidar e zelar, pq seus versos te tornam maiores que ele... Como diria um dos meus poetas favoritos, Alexandre Magno (Chorão para os íntimos! rs): "O impossível é só questão de opinião, e disso os loucos sabem..."!

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222