person_outline



search

Único Amor

Não posso e não vou me acostumar com tua ausência
Com esse teu jeito de demonstrar desamor
Não posso e não vou desprender de minha memória
Não lembrar da nossa história
E seguir sem teu calor

Eu peço e espero que acordes dessa fantasia
Que me encares e enxergues a ilha em tu me enclausuraste
A disritmia que te abate ao lembrar de nós dois

Não posso e não vou me habituar ao teu rancor travestido de sorriso
Não posso e não vou seguir sem teu candor e teu perdão

Não posso e não quero viver contigo em paralelo
Sem nenhum toque, sem encaixarmos os hemisférios
Sem escrevermos um outro verso onde rimado esteja o elo do nosso bem querer

TE posso perder, mas que não seja por abandono
TE posso esquecer, mas que não seja por mágoa
TE posso irromper, rompendo contigo nosso trato astral de tantas outras vidas
EU posso sofrer, mas não te magoaria
EU posso escrever uns mil versos em memória daquela alegria
EU posso viver, mas amor de verdade só uma vez ousaria
Pin It
Atualizado em: Qui 31 Jul 2008

Comentários  

#2 Hiago R.R. de Queirós 31-07-2008 19:51
Legal. gostei sim..
tem um jogo de palavras bom.

E o fim explica o tema.. legal mesmo.

parabéns
+5 #1 Hiago R.R. de Queirós 31-07-2008 19:51
Legal. gostei sim..
tem um jogo de palavras bom.

E o fim explica o tema.. legal mesmo.

parabéns

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222