person_outline



search

PHILADELPHIA SOUL E O VIOLÃO ACÚSTICO

Voltei meus olhos para algum lugar que passei,

Não vi luzes, nem guitarra elétrica,

Preferi sentir a solidão do violão acústico que invadia os lagos do luar.

 

Seus passos ainda existem,

Mas não estou lá,

Talvez nunca tenha estado,

Mas a calçada está,

O muro também está.


Perto da calçada e do muro

Ainda posso ver o Dodge Dart, a Veraneio,

A solidão, a câmera que tremia sobre meus ombros,

E as marcas dos corpos na parede

Arnoldo Pimentel

Pin It
Atualizado em: Ter 22 Abr 2014

Comentários  

#4 jlcece 22-07-2014 15:36
Quem lê este poema não te deixa só. Vai junto.

Parabéns.

JLuiz
#3 EXTREMOFILO 31-05-2014 09:16
Lindas reminiscências camarada Arnoldo. Recordar é viver.
#2 logansolo 11-05-2014 17:00
Ótimo conto, porque me fez acalmar a alma. É sereno e suave. Paz no espírito.

:-) :-) Muito bom!
#1 filippi 08-05-2014 19:46
O filme da alma sempre revela o que escolhemos esquecer na escuridão do inconsciente...
Um abraço amigo Arnoldo!

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222