person_outline



search

O AMOR SEMPRE PERDOA

Quando perdi a minha doce amada

Na bruma espessa do escuro dia,

Perdi toda razão, deixei meu bando

E revoei o céu em gritaria.

 

- Onde estás, amada?

- Onde Estás, amada?

 

Voei sem descanso até Campina Grande

Onde a minha amada tem um ninho,

Se estava  perdida o melhor pouso

Era o calor da família ou meu carinho.

 

Não estava perdida.  Ela seguiu

Um andorinho de olhos verde-mar,

Que migrava para o sul, onde o amor

Se aquecia no sol para cantar.

 

Pousei num cabo elétrico, quem se importa

Se eu viva ou morra assim por nada.

O norte do meu bando é alimento,

Minha única vida é minha amada.

 

Não sei se vindo do Leste ou do Oeste

Um bando jovem migrava para  o sul,

Me leva leve no rumor das asas

Como se eu fosse uma  folha azul.

 

Quando atinei já estava próximo

De uma cidade poluída e feia

E vi minha andorinha malograda

Enterrando tristeza na areia.

 

Voltando para o norte envolta em lágrimas,

Na hora que a  noite ainda voa,

Pediu perdão, fiquei mais perto dela,

Respondi que o amor sempre perdoa.

Pin It
Atualizado em: Qui 18 Jul 2013

Comentários  

#3 Marlende 26-09-2013 16:37
Aplausos !!! Perdoar é divino...muito lindo, apesar de triste...
#2 wicos 20-08-2013 15:11
parabéns poeta é assim que age o amor valeu do wicos
#1 azara 04-08-2013 10:24
Linda,parabens.
Abraços.

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222