person_outline



search

DESENHO

Os ponteiros parecem imóveis

Quase não se movem dentro do relógio

Que fica pendurado na parede

Para mostrar que os dias passam

 

A vaga luz que vem do céu

Não clareia o rio suficiente

Para que ele tenha vida

No árido pomar sem parábolas

 

As crianças brincavam de pegar vaga lumes

Na pequena rua descalça

Em noites secas

 

As chuvas molharam os quintais

E evaporaram junto com os sermões

Que nasceram no coração da montanha

Pin It
Atualizado em: Qua 20 Fev 2013

Comentários  

#11 Marlende 11-03-2013 16:58
Poeta!!! muito lindo...
#10 PauloJose 05-03-2013 20:05
os ponteiros parecem imóveis!
quanta inspiração.
cinco estrelas.
#9 PauloJose 03-03-2013 21:02
parabéns!
abraços.
#8 PauloJose 01-03-2013 14:26
muito bela,
estrelei,
parabéns...
#7 EXTREMOFILO 28-02-2013 11:11
Composição cósmica, viajante e lúdica. Parabéns.
#6 azara 26-02-2013 21:06
Parabens Arnoldo qual criança que nao corria atraz de um para colocar no vidro.Boas lembranças.
#5 Simony 26-02-2013 19:39
Encantada com tanta pureza de palavras! Amei!
#4 Mitya2 25-02-2013 09:38
Eu costumava pegar vaga lumes quando menina e amava ver eles acenderem dentro do escuro de minhas mãos, hoje em dia as crianças não brincam mais assim.
Saudade de minha infância, sua poesia é terna e singela!
Parabéns.
#3 PITER 24-02-2013 16:41
Muito bom! Tempos de criança...
Parabéns.
#2 PauloJose 24-02-2013 09:10
nossa que inspiração!!!
estrelei.

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222