person_outline



search

doce pluma

dorme doce pluma verde

e cai solta no amanhã

me parindo num universo

inverso

reverso

 

morde prosa doida

o verso que te rouba o feto

abortando

penetrando

na pele massa grossa

que tapa ferida

que dá um tapa na vida

 

mas teu vôo cava fundo homem-poros

encarneossando minha fome libertina

ao entreolhar nos jardins daninha força

 

que corrói

rompe, dói

e rodopia

 

aquele amanhã ainda gira

esperando que num outro amanhã

o verde cuspa a fera e beije a pluma

 

e então durma...

e então pluma...

Pin It
Atualizado em: Dom 27 Maio 2012

Comentários  

#3 wicos 25-06-2012 14:11
a doce pluma ficou tão bela que nemgastou paeté valeu poetisa do amigo wicos
#2 PauloJose 30-05-2012 21:43
ESCARNEOSSANDO MINHA FONTE LIBERTINA!
CAVANDO FUNDO MATANDO MINHA FOME DE
PENETRANDO DANDO UM TAPA NA VIDA
PARABÉNS POETISA MIL ESTRELAS.
#1 PauloJose 27-05-2012 22:46
e então durma e então pluma.parabéns.

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222