person_outline



search

Presa fácil

Quando me olhas,

Sou presa fácil,

Sem direção e sem rumo,

Pronta pra teus braços.

Quando me tocas,

E me puxas pela cintura,

Estremeço e me desfaço,

Sou criança insegura.

Quando me adentras,

Entre beijos e carícias,

Redijo meu novo ser:

Sou fêmea selvagem,

Que te prende e te domina;

Escravizo-te em teus desejos,

Da tua razão, sou a ruína.

Pin It
Atualizado em: Seg 28 Fev 2011

Comentários  

#9 Juarez_do_Brasil 05-08-2011 00:44
Poesia encantadora! Uma paixão, pele que arde de desejos, alma que voa em direção ao prazer e se entrega sem reservas ao ser amado. Belíssimo!
#8 GeraldoJCostaJr 04-08-2011 22:55
Ruína. E redenção. Bonito poema.
#7 PauloLeandroValoto 04-04-2011 23:53
calma. alguns entendem, outros nao.
ficou belo o seu texto.
#6 Ellinn 30-03-2011 09:13
Uma mulher sofre por ele até quando quer...ele é o prisioneiro desta mulher.Assim que é. Estrelas bjoss
#5 rackel 30-03-2011 06:13
Poesia elegante, sensual, digna de uma sensibilidade como a tua. Concordo com a Niki. Também estou surpresa com a infelicidade do comentário externado pelo PJLIMA.
Abraços, Cat.
#4 NIKI 29-03-2011 21:09
Poesia linda e sensual.Tens meu respeito e admiração pela maestria que usas ao escrever.
Parabéns Cat!


Não entendi os infelizes comentários do amigo pjlima, confesso que estou deveras surpresa com as palavras que usou.

NIKI
#3 AJO 23-03-2011 15:52
Sua poesia é linda, agradável e elegante, sem perder a ideia, sensual e saudável, parabéns. Entre outras coisas, receba minha admiração e o respeito que Você merece.
Grande Abraço
AJO
#2 azara 03-03-2011 18:31
Bonita,parabéns.Abraços
#1 ANTENA 28-02-2011 10:12
Puxa, coitado, mais um em tua teia de viúva negra!!!!!! Beijos e

abraço anarquista

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222