person_outline



search

Sinistro

Não tenho pressa se sigo para masmorra
Sombrio já são meus pensamentos faz tempo
Lá ficarei por fim darei sossego ao espírito
As chaves que selam a alcova jogarei ao vento
Infinito aflito julgamento em conflito
Meu grito subirá montanhas ecoara nos ares
Nas trevas que selará os dias sou agonia
Que importa perdão se permaneço em sacrilégio.
Piedade curve-se ao meu domínio
O olhar firme correrá mundo sem rumo
Assumo e carrego nos ombros pesada cruz
No lúgubre buraco que escolho aqui eu morro.
Pin It
Atualizado em: Qua 23 Abr 2008

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222