person_outline



search

FUMAR

Antónia! Antónia! Porque que me puseste, triste?!
Sim! Eu nunca fumei!...
Porque assim, mentiste?!...
Como? Se eu não, te odiei!
Disseste, que eu no quarto, a fumar,
Ai, nesse hospital, estava!...
Portanto, a defender-me, tive que falar...
A esse homem, que me acusava.
Fala a verdade, só!...
Antes, que sejas pó...
Antes de partires, para lá.
Porque, entre o que fiz, nunca fumei, cá.
Tal, sempre, rejeitei, só...
Repõe, a verdade, oh já!...
Pin It
Atualizado em: Ter 8 Abr 2008

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222