person_outline



search

The End

Eu não tenho mais forças
Estou caindo no abismo da morte solitário
Onde ninguém te vê ninguém conhece você

Arranque minha alma
Retire minha vida
Pois da morte não mais tenho medo
Do que tenho medo é da vida

Crave esta estaca em meu coração
Oh doce donzela de cabelos dourados
Crave esta estaca em meu coração
E me tire da vida toda emoção

Corte minha garganta
Dilacere-me como sempre fez
Quero agora e mais uma vez

Oh doce donzela de cabelos dourados
Mate-me depressa antes que me lembre de todos os pecados
E diga que não sou um homem abandonado
Perdoe-me por vomitar minhas tripas em você
Mas é desse modo que quero partir
É desse modo que quero morrer (por um triz).

Não vejo luz, só trevas
Só a pura escuridão
Enfie a mão em minha garganta
E arranque meu coração!

Pra onde é que todos foram?
Partiram e me deixaram aqui sozinho.
Pra onde é que todos foram? .

Meus lábios estão sangrando,
Sinto o gosto do meu próprio sangue
Que não me pertences, fora roubado
Não é meu. (Irônico no mínimo não acham?!)

Eu me levanto e digo: Eu vou recuperar!
Tudo o que me foste roubado, irei recuperar!
Recuperar a essência em si, a vida.

Não, não vou recuperar
Pois é impossível recuperar
O que um dia jamais tivera
Pin It
Atualizado em: Ter 22 Fev 2022

Comentários  

#2 Akuma 13-12-2011 23:07
Um poema vampírico, que diferente.
#1 Akuma 13-12-2011 23:07
Um poema vampírico, que diferente.

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222