person_outline



search

Loucuras do cotidiano de um fã

Você me faz correr demais os riscos dessa Highway
Mas não sei se é certo correr... pego a pista da direita
Pra ser sincero
Somos quem podemos ser
Mas não quem queremos ser

A seguir cenas obcenas do próximo capítulo
Mas não vire a página ainda
Espere o próximo exemplar ser vendido

O pop não poupa ninguém
Mas, pra quê poupar, se não se é poupado?
Escute garota, o vento canta uma canção
Tenho dó do fan clube do vento

Anoiteceu à meia noite
Mas a noite é muito lenta
Amanheceu ao meio dia
E eu continuo descendo a serra
Silenciosa Highway

Vamos remar contra a corrente
Mas que não morramos eletrocutados

Escute garota
Era o meu corpo que caía
Quando eu desci a serra
Cego pela serração
Dessa infinita Highway

E o sol nascendo sem saber
Anoiteceu em Porto Alegre

Chegamos ao fim do dia
Chegamos, quem diria?
Escute garota
Aonde leva essa loucura?
Você nem imagina

Tudo bem, garota
Estamos sós
Atrás de palavras escondidas
Mas nem por isso ficaremos parados
O medo nos leva a tudo
Nas grandes cidades
Aonde leva essa loucura?
Talvez nenhum dos dois
sAbe exatamente onde vai parar
Levamos uma vida
Infinita Highway
Atrás de muros e grades

Agora sinto um medo infantil
Afundaremos o navio
Sentindo frio
Na guerra ou no amor
E nas fotos um sorriso
Idiota!

Os dias parecem séculos
Estamos no dia 21
Manchetes de vôlei, seja lá o que for
Cadê o jornal?
Volte uma página para entender as cenas obcenas
Você comprou o novo exemplar?

O pastor é pop
O pobre não poupa ninguém
E os DNSs correndo
Fugindo da hora do Brasil
Anoiteceu em Cuiabá, VG (onde é isso?), Tangará
E no raio que o parta...

Na escuridão
A luz azul do MP4
Azul anil
Estranhos sinais
Há tantas coisas a sonhar
E o telefone que não pára de tocar
Anoiteceu a noite inteira

Recomeça tudo lá fora
Voltei o motor
Mas não consegui colocar as peças que sobraram
O que diz esse "poema"?

Fui à luta
Fazer a Guerra do Vietnã
Na infinita Highway
Com meus cabelos longos
Larguei as armas químicas
Usei os poemas
E matei todos
De tédio

Amanheceu, não só em Porto Alegre
(Baseado nas letras de Humberto Gessinger, um dos grandes gênios brasileiros)
Pin It
Atualizado em: Qua 8 Out 2008

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222