person_outline



search

A queda

E o levantar como dói
Acordar e ver que tudo continua;
A vida, o vento, a música as sombras;
As luzes;
As vozes, as cruzes, as velas;
O cheiro, o medo;
O arrepio.
O remédio que não cura;
Tudo está no mesmo lugar.
Isso me irrita e me acalma;
Aos meus olhos o caminho de volta não existe.
O retorno está em obras;
E a sujeira me contaminou de todas as maneiras.
Fez amargar meu pranto.
Quanto de medo ainda existe?
Quanto de mim ainda não se partiu?
Quem partiu? Fui eu...
Pin It
Atualizado em: Qui 28 Maio 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222