person_outline



search

APELO

Vai minha poesia, buscar nos limites do mundo a lâmina com que ceifar a amargura que me cerca,

Vai e traz contigo de volta o brilho apagado dos meus olhos pela névoa da solidão,

Traz  outra vez o riso fácil que habitou meus lábios e a sagacidade em meu pensamento,

Busca minha fé perdida entre as centenas de orações não atendidas ou esquecidas por  Deus,

Rompe o silencio das minhas noites insones com a paz dos noturnos  de Chopin.

Seca minha poesia, o pranto morno que me brota d’alma e banha meus dias,

Leva de mim essa desesperança, essa angústia e essa mágoa grudadas em meu peito

 como polvos asfixiando o meu perdão,

Planta minha poesia, uma nova semente que germine um sonho  tão perto da realidade

Do qual eu nunca seja capaz de despertar.

Pin It
Atualizado em: Ter 27 Mar 2012

Comentários  

#4 PauloJose 30-04-2012 23:29
uma prosa poética nota máxima, parabéns.
#3 PauloJose 10-04-2012 21:07
PARABÉNS LINDA PROSA POÉTICA.
#2 PauloJose 06-04-2012 20:51
UMA PROSA POÉTICA , QUE AO LER PARECE QUE AGENTE FLUTUA EM MARAVILHAS!
ABRAÇOS.
#1 PauloJose 04-04-2012 10:40
GRACIAS, " MEU DEUS O SENHOR DEU O DOM PARA ELE ESCREVER."
1000 ESTRELAS...................................

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222