person_outline



search

BENAI ELOHIM E NEPHILIM

INTRODUÇÃO
Com certeza os caros leitores já ouviram uma vez ou outra a música “Mulher Bonita e Carinhosa”. Para quem ainda não sabe os versos dessa composição são de Otacílio Batista e a melodia de Zé Ramalho. “Mulher Bonita e Carinhosa” ficara conhecida na voz da cantora Amelinha, contudo, existe uma versão mais recente na voz do próprio Zé Ramalho.
Os versos de Otacílio Batista são um enfoque ao poder atrativo feminino, e para dar ênfase a esse poder o mesmo da certas pinceladas na narrativa sistemática do passado de ilustres personagens da história.
“Mulher nova bonita e carinhosa faz um homem gemer sem sentir dor!”
Os versos de Otacílio são uma verdade incontestável. O poder atrativo feminino é irresistível, e até mesmo anjos, isto é, os Benai Elohim, traduzido por filhos de Deus, rederam-se a ele.
Gênesis 6/ 1-2: E aconteceu que, como os homens começaram a multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas, viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram.
Inicialmente se acreditava que os filhos de Deus eram anjos, no entanto, quando percebera que algumas Bíblias gregas traziam o termo “anjos de Deus” enquanto outras como “filhos de Deus”, Julius Africanus (+- 200 DC), contrariara essa crença, abraçando a teoria de que os “filhos de Deus” eram os descendentes de Sete, enquanto as “filhas dos homens” eram os descendentes de Caim.
Depois do parecer de Julius as opiniões se dividiram, porém, Agostinho de Hipona (354-430 DC), ou Santo Agostinho, decidira a questão, e acabara com a discussão dos anjos caídos, afirmando que Gênesis 6, falava a respeito da linhagem piedosa de Sete com a linhagem de Caim. Em decorrência do poder da igreja de abafar o que lhe interessava naquele tempo, o mito da linhagem de Sete prevalecera.
Hoje com mais liberdade religiosa a discussão volta à tona, e os defensores de que os “os filhos de Deus” mencionados em Gênesis (6) são os descendentes de Caim usam Mateus 22/ 30, para dar sustentáculo a essa crença.
Mateus 22/ 30: Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu.
Jesus afirma que os anjos de Deus não se casam nem são dados em casamento no céu, não na terra, dando a entender que fora do céu isso é possível, caso contrário Cristo não teria colocado o “no céu”.
ANJOS OU DESCENDENTES DE CAIM?
Na Bíblia sempre se encontra um fato esclarecendo outro, e o livro de Jó esclarece Gênesis (6).
Jó 1/ 6: E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles.
Jó 2/ 1: E, vindo outro dia, em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles, apresentar-se perante o Senhor.
Será que esses versículos estão se referindo aos descendentes de Sete ou a anjos? No Velho Testamento os Benai Elohim, isto é, os filhos de Deus são designados como anjos.
2 Coríntios 11/ 14: E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz.
Num dia em que os anjos foram apresentar-se perante Deus, Satanás se transfigurara num anjo de luz, e também se apresentara entre eles perante o Senhor.
Judas fala a respeito da condenação desses anjos que tomaram mulheres humanas como esposas.
Judas 1/ 6: E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande dia.
Judas afirma que os Benai Elohim que haviam colocado em prática uma invasão alienígena com o intuito de possuir fêmeas humanas de extrema beleza, não permanecendo, assim, dentro dos limites de autoridade que Deus lhes havia dado, mas tinham deixado o lugar que o Senhor lhes havia determinado, Deus guardara-os na escuridão perpetuamente, para o grande dia do seu julgamento.
O apóstolo Pedro também fala a respeito desse julgamento.
2 pedro 2/ 4: Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo.
 
A INVASÃO ALIENÍGENA
 
O apócrifo livro de Enoque descreve com mais detalhes a invasão alienígena com o propósito de possuir as fêmeas humanas.
Enoque 7/ 1-3: E aconteceu depois que os filhos dos homens se multiplicaram naqueles dias, nasceram-lhe filhas, elegantes e belas. E quando os anjos, os filhos dos céus, viram-nas, enamoraram-se delas, dizendo uns para os outros: Vinde, selecionemos para nós mesmos esposas da progênie dos homens, e geremos filhos.
Esses versículos têm as mesmas informações contidas em Gênesis 6/ 1-2, por isso vamos passar para os versos seguintes.
Enoque 7/ 3-9: Então seu líder Samyaza disse-lhes: Eu temo que talvez possais indispor-vos na realização deste empreendimento; e que só eu sofrerei por tão grave crime. Mas eles responderam-lhe e disseram: Nós todos juramos; (e amarraram-se por mútuos juramentos), que nós não mudaremos nossa intenção, mas executamos nosso empreendimento projetado. Então eles juraram todos juntos, e todos se amarraram (ou uniram) por mútuo juramento. Todo seu número era duzentos, os quais descendiam de Ardis, o qual é o topo do monte Armon. Estes são os nomes de seus chefes: Samyaza, que era o seu líder, Urakabarameel, Akibeel, Tamiel, Ramuel, Danel, Azkeel, Saraknyal, Asael, Armers, Batraal, Anane, Zavebe, Samsaveel, Ertael, Turel, Yomyael, Arazyal. Estes eram os prefeitos dos duzentos anjos, e os restantes estavam todos com eles. Então eles tomaram esposas, cada um escolhendo por si mesmo; as quais eles começaram a abordar, e com as quais eles coabitaram, ensinando-lhes sortilégios, encantamentos, e a divisão de raízes e árvores.
Primeiro houve um processo de escolha por parte dos Benai Elohim, ou seja, cada Benai Elohim escolheu a mulher de sua preferência. Uma vez feito à escolha os mesmos colocaram em prática um método de abordagem para conquista-las. Depois de conquista-las, e passarem a viver como marido e mulher, esses alienígenas de outra dimensão começaram a ensinar a elas malefícios de feiticeiros, encantamentos, e a divisão de raízes e árvores. Essas mulheres tornaram-se as mães de todas as correntes de bruxarias existentes no planeta.
Enoque 7/ 11: E as mulheres conceberam e geraram gigantes.
Desta união, Benai Elohim e filhas dos homens descendera uma espécie de gigantes híbridos que, ficaram conhecidos como os Nephelim.
Enoque 7/ 12-14: Cuja estatura era de trezentos cúbitos. Estes devoravam tudo o que o labor dos homens produzia e tornou-se impossível alimentá-los; então eles se voltaram contra os homens, a fim de devorá-los; e começaram a ferir pássaros, animais, répteis e peixes, para comer sua carne, um depois do outro, e para beber seu sangue.
Quando a espécie humana não mais conseguira produzir o suficiente para alimentar os Nephelim, esses gigantes híbridos passaram a tratar a humanidade como um manancial de alimentos, comendo a carne e bebendo o sangue dos humanos com rapidez e avidamente, dando origem ao canibalismo e ao vampirismo. 
O interessante é que os versículos acima deixam bem claro que, a espécie humana fora o primeiro alvo dos gigantes híbridos. Depois da espécie humana o alvo fora os pássaros, depois os animais. Em seguida fora a vez dos répteis e dos peixes. Quando uma espécie era devorada por completo, os mesmos começavam devorar outra, e assim por diante.
 
Pin It
Atualizado em: Dom 3 Jul 2016

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222