person_outline



search

“FÓRUM PREVILEGIADO BÍBLICO” E OUTROS ABUSOS

Não se deixem enganar: um título religioso ou unção ministerial não torna nenhum pilantra em semideus!
 
   Nos últimos 15 anos, diversos tipos de escândalos envolvendo líderes religiosos do Brasil e do mundo tem sido expostos como nunca antes fora.
   Não é que isso não ocorresse em outras épocas! Não que é eles fossem mais santos e dignos de total credibilidade em outros tempos. Não é por quê “jesus está” voltando e “as profecias estão se cumprindo” que só agora eles estão se corrompendo...
  É que com o aprimoramento dos recursos de gravações em aparelhos móveis e o avanço da internet, ficou muito mais fácil gravar e jogar na rede, muitos desses pilantras, reis da hipocrisia, que valendo-se de títulos de santidade, vivem uma vida dupla, deixando danos irreversíveis por ondem passam.
   Outro fato é que hoje, tanto é possível postar quanto acessar o que for do nosso próprio interesse, diferente de outras décadas, que víamos e ouvíamos somente o que os diretores de rádio e TV selecionavam para que víssemos. Nessa época, postar algo por nossa própria conta era impossível, a menos que você fosse o dono de alguma mídia.
   Grandes infratores jamais seriam expostos se tivessem dinheiro para vetar a divulgação de sua imagem, e mesmo quando expostos, uma propaganda reversa poderia ser feita em poucas horas, transformando-o de demônio à santos em questão de minutos.
   Pior ainda era quando nem rádio, TV ou Jornais Existiam! Não havia nenhum meio legal de denunciar os abusos cometidos pelos “homens de deus”, e quem o fizesse seria excomungado ou até morto. Eles sempre foram o que hoje tem se mostrado ser, apenas ninguém conseguia mostrar ao mundo, e quando mostrado eram desacreditados pela autoridade da igreja.
   A acessibilidade mudou isso. A aparência milenar de santidade e perfeição que os líderes religiosos possuíam por milênios vem perdendo crédito cada vez mais. Por esses meios, muitos já se desligaram de seus antigos grupos religioso e hoje conseguem viver uma vida normal, mesmo “sem deus” e de fato, vivem muito melhor “sem ele” e sem o grupo.
   Apesar de tantas ocorrências diárias, nem todas as pessoas prejudicadas fazem B.O, ou trazem à tona o que sofreram. Algumas por culpa, outras por vergonha e outras ainda por medo de serem mortas pelos seus abusadores.
   A exemplo do Caso João de Deus, demorou-se mais de 20 anos para que algumas pessoas tomassem coragem de revelar o que sofrera nas mãos daquela pessoa. Outras morrerão amarguradas e jamais revelarão o que passaram por medo de represálias.
  Em quase todas as igrejas, é regra que os problemas da igreja (escândalos) não sejam vazados, que fiquem apenas entre os fiéis do grupo e que tudo seja resolvido da melhor forma possível (melhor forma para quem causou o dano, claro!).
   Na maioria dos casos, o infrator ficará impune e a vítima será vista como vilã na história. Outros casos quando flagrados, são abafados chantageando quem fez registro.
    As chantagens mais comuns são: ascensão na hierarquia da igreja; ameaças veladas; ofertar dinheiro em troca do silencio e destruição de provas para que o testemunho do que sofrera o dano seja duvidoso, caso vá a júri.
   Nesse último caso, uma horda de falsas testemunhas da própria igreja será mobilizada para defender o líder. Se a vítima silenciar, não apenas ela mas outros de sua família poderão ser beneficiadas de alguma forma pela igreja. Se não, as testemunhas falsas executarão o combinado.
   Toda testemunha tem seu preço, nada é de graça! Nesses casos, o preço mínimo exigido por uma realidade alterada será o silencio e o apoio quando este cair em desgraça (e certamente cairá), contando com a garantia do perdão antecipado do cúmplice.
  É tipo um fundo de garantia para cobrir os pecados de um futuro próximo que será planejado em detalhes, mas se mesmo assim algo der errado, o infrator terá um salvo-conduto pelo cúmplice. Será um por todos e todos por um!
    Não será o vínculo do amor, da alegria e da paz quem os unirá à partir de então. Antes sim, será a cumplicidade de um segredo guardado, selado por uma aliança das trevas.
    Só quem já sofrera nas mãos de tais cúmplices sabe o quão ágeis eles são para mudar as versões dos fatos quando deixam pontas soltas. Parece até que se comunicam por wi-fi nos cérebros, de tão rápido que se atualizam para incriminar o inocente absorver o culpado.
    Tem sido cada vez mais frequente nos noticiários e em outros meios de comunicação em massa, casos de estupros de menores, estupros de vulneráveis, adultérios, extorsões, lavagem de dinheiro, corrupção e até crime com ocultação de cadáver, tudo isso realizado justamente por aqueles que dizem ser o baluarte da verdade e da justiça entre os homens.
   O mais recente caso com repercussão nacional está sendo atribuído à deputada e pastora Srta. Flor de Lis. Recentemente o ministério público a denunciou como suspeita de encomendar a morte do próprio marido, pastor e companheiro de ministério! Mesmo assim ela continua pastora e deputada.
   Outro caso ainda mais grave ocorreu em Linhares-ES em Abril de 2018. Dessa vez o crime fora cometido por um jovem pastor e acobertado por sua esposa.
   Segundo os investigadores, ele espancou, estuporou e depois queimou ainda vivo o próprio filho e o enteado, duas crianças que tinham entre 3 e 6 anos na época. Ainda segundo o relato, pouco depois de cometer esse crime hediondo, o “ungido” foi para a igreja dirigir o culto e “adorar a deus” como se nada tivesse acontecido. Comentou inclusive que deus permitiu que seus filhos morressem de forma tão precoce que ele e sua esposa ficassem livres para fazer a sua obra, pois tinha grandes planos para o casal...
    Menos de seis meses depois, outro pastor, dessa vez um senhor de 58 anos foi preso em Mogi das Cruzes, acusado de engravidar a própria nora, e para ocultar o escândalo, encomendou a morte desta e ainda foi ao enterro orar pela família da vítima...
    Qualquer um que pesquisando na internet ou em noticiários, poderá encontrar centenas de outras tragédias como essas, ou ainda mais graves, denotando uma elevada frieza e desvio de caráter por parte dos acusados.
    Da execução do plano à ocultação das provas, eles costumam ter tudo programado, sempre com um ou mais bodes expiatórios para terceirizar suas responsabilidades. E o deus deles, dos altos céus apenas assiste de camarote as vítimas se ferrando, clamando por piedade e justiça divina enquanto cada gota do sangue destes se esvai... Uma justiça que de fato nunca virá, pelo menos por parte de nenhum deus.
   Há diversos blogs e canais de you tube que se encarregam de mostrar tais acontecimentos quase que diariamente. Outros casos são tão evidentes, que mesmo sem acusação ou “levante” algum de parte alguma, seria impossível negar o crime, a exemplo de um filho que surgiu de uma gravidez da pessoa que foi abusada/estuprada ou da que teve relação adúltera com o líder religioso.
   Nesses casos, pessoas de dentro e de fora da igreja se perguntam: como pode um líder religioso cometer tais delitos e ainda continuar liderando o povo? Como pode ele pregar uma coisa e viver outra e mesmo assim ocupar posição de destaque? Como pode ele causar prejuízos psicológicos, morais, emocionais e financeiros a uma pessoa ou grupo e mesmo assim pagar de santo? Como pode o pessoal da igreja ser tão trouxa em aceitar uma pessoa dessas como líder? Como, como, como...?
   Quem já esteve envolvido nesse tipo de ambiente por mais de 1 ano terá na ponta da língua todas essas respostas: um povo amedrontado, intimidado pelo líder e acorrentado por aquilo que eles mesmo chamam de palavra da verdade é capaz de suportar tudo isso e mais um pouco e ainda por cima achar que isso faz parte dos planos de deus ou que estão vendo cumprir em seus dias alguma profecia do passado. Mas é apenas canalhice do líder mesmo!
   São escravos das diversas interpretações pessoais da bíblia e da intenção dos que a interpretam, sendo que a grande maioria deles (principalmente os de linha pentecostal) acreditam que um pastor tem foro privilegiado diante de deus.  Em outras palavras, por mais que um líder religioso apronte, ninguém poderá julgá-lo, condená-lo, ou afrontá-lo a não ser o próprio deus em pessoa.
   Recomenda-se que qualquer crente que se sentiu ofendido ou foi prejudicado por um pastor, apenas ore e entregue tudo a deus, que não o denuncie, que não o enfrente, que não o desmoralize e que apenas ore, pois quem escandalizar a obra de deus vazando assuntos delicados para fora da igreja, terá cometido um pecado ainda maior do que o que cometera o dano.
   Os crentes “tremem na base” com essa citação bíblica! Os que se valem do medo alheio completam com a célebre frase bíblica: “Melhor fora que se amarrasse uma pedra ao próprio pescoço e se lançasse-se ao mar que expor a obra do senhor”. Não há nada mais eficiente nesses casos que usar a própria bíblia para inocentar o culpado e acusar o inocente. Sempre funciona nesses meios!
   Os que pregam o “fórum privilegiado para pastores” dizem que deus julgara os seus ungido no tempo e na hora certa. Que esse julgamento será no juízo final, depois do apocalipse, depois do reino milenar de cristo na terra, depois da condenação ímpios, depois que o próprio satã for acorrentado e lançado no lado de fogo e enxofre e depois da coroação dos justos! Somente depois disso tudo é que os pastores infratores serão ouvidos e julgados por deus.
   Segundo os defensores dessa perversão, os pastores serão os últimos seres viventes entre toda a criação a serem julgados e que apesar dos pesares, por maiores que sejam os delitos de um pastor, há 99% de chance dele ser absolvido, pois eles estavam na linha de frente de batalha, eram os mais tentados e portanto os mais passíveis a errar, e se erraram, foi em função do serviço...
    Por essa crença, muitos pastores são reintegrado às suas funções em pouquíssimo tempo quando causa danos a outrem ou ao grupo. Em alguns casos eles nem são punidos. Serão apenas mudado de município ou de estado para que a poeira abaixe, o povo esqueça e tudo volte ao normal. Azar de quem se lascou por meio deles!
   Em certos casos, o mesmo se dá com líderes da igreja católica e outros movimentos religiosos. Quem se ferrou vai chorar, quem causou o dano estará livre para infernizar a vida de outros por ai. É notável que por esse tipo de mentalidade, algumas igrejas se assemelham muito ao crime organizado.
   Alguns chegam ao barbarismo de dizer que quando o pastor peca, não foi ele quem o fez e sim o diabo que se apoderou do corpo dele para aprontar, isentando-o de quaisquer responsabilidade.
   Dizem também que um “homem de deus”, depois de ungido a pastor passa a ser ainda mais tentando pelo diabo a fim de desmoralizá-lo, pois “afugentando-se o pastor, dispersar-se-á o rebanho”. Afirmam até que desde o ventre de suas mães que eles são perseguidos e que apesar de o diabo não ser onisciente, sabe muito bem quem eles serão no futuro e por isso os tentam mais que os outros a fim de atrapalhar os planos de deus.
     Quando estão diante de um povo ignorante, os que pensam assim quando querem aprontar e continuar impunes usam o seu fórum privilegiado divino para dizer e fazer o que quiserem, afinal, só deus os julgará! Se dizem protegidos por deus acima da média e que quem os enfrentar só terá 3 caminhos: ou se convertem, ou correm ou morrem!
   Complementam a chantagem, ameaçando aos que resistem com falência financeira, na saúde e nas relações pessoais, além de desemprego e doenças degenerativas, não apenas para o que o enfrentou, mas para toda a família deste, incluindo irmãos, tios, primos, sobrinhos e até amigos chegados. Prometem bênçãos para quem se rebaixar a eles e maldições a quem os enfrentar.
  Os que sob essa égide se escondem valendo-se daquilo que dizem ser autoridade divina, abusam, humilham, pisam e perseguem qualquer um que não seja simpático a eles, que não os obedeçam 100% em tudo ou que saibam de algum segredo deles. Nesses casos, a coisa mais perigosa do mundo será descobrir algum podre de “ungido”. Uma queima de arquivo ou a desconstrução pública do seu caráter é o mínimo que você pode esperar nesses casos.
   Se “o ungido” que assim se comporta, além de ser pastor, for também um político eleito ou um oportunista, a desgraça poderá ser ainda maior, tanto para os de dentro da igreja quanto para os de fora dela. O duplo fórum privilegiado será evocado toda vez que algum delito for cometido. Temos um exemplo em curso no atual congresso.
  Um mente liberta de certas infantilidades, jamais será presa por nenhuma falácia de nenhum salafrário desse tipo!
   Se a liberdade de culto é permitida por lei, a liberdade de não permanecer nele também!
   Boa parte dos líderes religiosos querem fazer valer o primeiro ponto, mas desprezam o segundo, por que não querem crentes em suas igrejas e sim escravos e capatazes. Não estão se importando com a salvação ou bem estar de ninguém, mas apenas com o seu próprio bem estar ou dos que a eles estão ligados, fazendo da igreja sua principal fonte de renda. Ninguém é obrigado a tolera isso!
   Ninguém deverá ser ameaçado, humilhado, intimidado ou ter a sua reputação destruída quando desejar se desligar de uma igreja, se afiliar em outra ou não fazer parte mais de nenhuma delas!
   Se todos os homens são iguais perante a lei, não há ungidos, nem homens de deus, nem criaturas especiais de deus ou religião alguma!
    Se todos os homens são iguais diante de deus (aos que creem assim), que façam valer essa parte da crença (até que não precise mais dela), jamais se deixe explorar ou humilhar por qualquer um que dizendo estar à servindo dos deuses, te obrigue a fazer o que não deves, não queres, ou te rebaixe. Você não precisa disso! Se o conceito de deus evolui, evolua você também e pare de depender dele e de seus representantes.
     Reveja Seus Conceitos! Saúde e Sanidade à Todos!
Pin It
Atualizado em: Seg 15 Mar 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222